In­ter­net

De­se­jou a to­dos um Mer­ry Cris­tas e sur­ge, co­mo ne­nhum ou­tro lí­der, mo­der­na e car­re­ga­da de emo­jis e hash­tags pe­las re­des so­ci­ais.

Sábado - - SUMÁRIO - Por Ma­ri­aHen­ri­queEs­pa­da

O es­ti­lo mo­der­na­ço de As­sun­ção Cris­tas nas re­des so­ci­ais

Um uti­li­za­dor do Twit­ter mon­tou um car­taz com a fo­to de As­sun­ção Cris­tas e a men­sa­gem I wish you a Mer­ry Cris­tas, um tro­ca­di­lho com Mer­ry Ch­rist­mas (Fe­liz Na­tal). Gran­de fã de Cris­tas, ain­da su­bli­nhou com o twe­et: “Por­que o Na­tal é a épo­ca em que ce­le­bra­mos o nas­ci­men­to de Cris­tas... per­dão, de Cris­to! (de Cris­tas é o 15 de Agos­to dia de Nos­sa Se­nho­ra da As­sun­ção).” E Cris­tas? Aplau­diu: no Twit­ter, saí­ram três emo­jis (mão so­bre a bo­ca, pre­su­me-se que a rir, e dois po­le­ga­res no ar a fa­zer ok). E a pró­pria se en­car­re­gou de par­ti­lhar no seu Fa­ce­bo­ok. Du­as con­clu­sões pos­sí­veis: As­sun­ção Cris­tas tem sen­ti­do de hu­mor, e é pre­ci­so ter um cur­so em emo­jis pa­ra ini­ci­a­dos pa­ra a se­guir. É de­mais? Exa­ge­ra? Não é sé­rio? Ela pa­re­ce achar que não, por­que nou­tro twe­et, há um uti­li­za­dor que ga­ran­te que es­tá fo­ra de tom e ela res­pon­de-lhe à le­tra. O hu­mo­ris­ta Di­o­go Fa­ro es­cre­veu: “A As­sun­ção Cris­tas a fa­lar de qual­quer as­sun­to cau­sa-me sem­pre aque­la ver­go­nha alheia da mãe de um ami­go nos­so que quer ser co­ol e jo­vem e em 2018 ain­da diz ‘en­tão, pu­tos, tu­do ba­ril?’” E As­sun­ção, fi­cou-se? Não, res­pon­deu com um me­me com a ima­gem do ator Ro­bin Wil­li­ams com bo­né vi­ra­do pa­ra trás a dis­pa­rar um pro­vo­ca­tó­rio “Wazzup?” (abre­vi­a­tu­ra co­lo­qui­al de What’s

up?, ou “o que é que se pas­sa?”). O que por sua vez de­sen­ca­de­ou um co­men­tá­rio de apoio de Fran­cis­co Men­des da Sil­va, di­ri­gen­te do par­ti­do, no Fa­ce­bo­ok: “Boss AC”, elo­gi­ou – usan­do a al­cu­nha, ou nick­na­me, com que no nú­cleo mais pró­xi­mo por ve­zes é cha­ma­da. O AC é de As­sun­ção Cris­tas, cla­ro. Além do tom as­su­mi­da­men­te

“A LIN­GUA­GEM DAS RE­DES SO­CI­AIS É DI­FE­REN­TE. DI­VIR­TO-ME IMEN­SO”, DIZ AS­SUN­ÇÃO CRIS­TAS

des­con­traí­do, As­sun­ção Cris­tas tam­bém entra no dia a dia. Com bra­vu­ra, par­ti­lhou o cor­te de ca­be­lo no Ins­ta­gram: “Só pa­ra avi­sar.” Se­gui­ram-se emo­ji de cor­te de ca­be­lo, emo­ji de te­sou­ra, emo­ji a rir. Hash­tag “newhair­cut ”e

hash­tag “new lo­ok”, no­vo cor­te de ca­be­lo e no­vo lo­ok. Ti­rou a sel­fie pa­ra en­vi­ar aos fi­lhos, riu-se e de­ci­diu pu­bli­car.

Tam­bém já apre­sen­tou o seu cão, o Had­dock, hash­tag “co­mi­té de bo­as-vin­das”, o pri­mei­ro a re­ce­bê-la com en­tu­si­as­mo quan­do che­ga a ca­sa. E acom­pa­nha­do de emo­ji co­ra­ção, emo­ji a rir e mais um

emo­ji que la­men­ta­vel­men­te não sa­be­mos tra­du­zir. Já cri­ou tam­bém o ter­mo “as­sun­sel­fie”: se Mar­ce­lo tem a sua mar­sel­fie, por­que não uma as­sun­sel­fie? Já mo­lhou pão em azei­te, já mos­trou a fa­mí­lia no Na­tal, no car­ros­sel e no cinema, en­fim, que a vi­da de um po­lí­ti­co não é só po­lí­ti­ca.

Ges­tão pes­so­al

O es­ti­lo é de­la, os con­teú­dos tam­bém. É a pró­pria quem twit­ta, pos­ta e ins­ta­gra­ma. Ou se­ja, ge­re di­re­ta­men­te, no te­le­mó­vel e on­de es­ti­ver, as re­des so­ci­ais em que es­tá pre­sen­te. “É uma op­ção com­ple­ta­men­te mi­nha. A lin­gua­gem das re­des so­ci­ais é di­fe­ren­te, e per­mi­te es­sa li­ber­da­de. E di­vir­to-me imen­so”, diz. Já sal­tou do car­ro pa­ra se ir fo­to­gra­far (e par­ti­lhar de­pois) jun­to a um out­do­or seu a que al­guém ti­nha acres­cen­ta­do uma ma­qui­lha­gem ex­tra.

Tem al­guns cui­da­dos quan­do são fo­tos dos fi­lhos: li­ga a per­gun­tar se po­de ser. E são as ima­gens mais pes­so­ais, re­co­nhe­ce, a ge­rar mais in­te­res­se: “No­to que há mais re­a­ções e par­ti­lhas do que em re­la­ção a men­sa­gens mais po­lí­ti­cas, o que até ge­ra sen­ti­men­tos mis­tos em re­la­ção a is­so...” Afi­nal, o que é su­pos­to pas­sar é a men­sa­gem po­lí­ti­ca.

E com Cris­ti­na Fer­rei­ra tam­bém

O Twit­ter é mais po­lí­ti­co, o Ins­ta­gram o mais pes­so­al, o Fa­ce­bo­ok fi­ca a meio ca­mi­nho. É a úni­ca a fa­zer di­re­tos pa­ra a câ­ma­ra no Fa­ce­bo­ok, e com frequên­cia, quan­do sai do Lar­go do Cal­das, aí já com o apoio téc­ni­co dos as­ses­so­res que a acom­pa­nham nas des­lo­ca­ções. Mas es­ta aber­tu­ra é no­vi­da­de no CDS (e nou­tros par­ti­dos tam­bém, já ago­ra). Pau­lo Por­tas da­va me­nos en­tre­vis­tas e quan­to a re­des so­ci­ais, só em re­gis­to ins­ti­tu­ci­o­nal e de lon­ge. No par­ti­do, há quem pos­sa achar ex­ces­si­va a do­se de ex­po­si­ção, mas As­sun­ção as­se­gu­ra que as re­a­ções in­ter­nas que tem re­ce­bi­do têm si­do po­si­ti­vas. E nas re­des tam­bém. Tam­bém é mais li­be­ral quan­do à pre­sen­ça nou­tras pla­ta­for­mas mais va­ri­a­das, de re­vis­tas de so­ci­al a pro­gra­mas de en­tre­te­ni­men­to: re­cen­te­men­te foi ao Ca­ba­ret da Co­xa, já ti­nha ido ao 5 Pa­ra a Meia-Noi­te e es­ta­rá no no­vo pro­gra­ma de Cris­ti­na Fer­rei­ra na SIC no dia 16. E usa em re­gra o à-von­ta­de que jul­gar ade­qua­do ao meio. Se cor­re nas re­des so­ci­ais uma ca­ri­ca­tu­ra de­la em fa­to de ba­nho a sur­far nu­ma pran­cha com o sím­bo­lo do CDS, o que faz? Sur­fa tam­bém es­sa on­da: par­ti­lha no Ins­ta­gram. Re­sul­ta? Ver-se-á. W

APOS­TA EM PLA­TA­FOR­MAS VA­RI­A­DAS. NO DIA 16, VAI AO PRO­GRA­MA DE CRIS­TI­NA FER­REI­RA

O no­vo cor­te de ca­be­lo foi apre­sen­ta­do nas re­des so­ci­ais e o cão da fa­mí­lia, Had­dock, tam­bém

O hash­tag da fo­to com sel­fie é “as­sun­sel­fie”A fo­to de Na­tal da fa­mí­lia: com au­to­ri­za­ção pré­via dos fi­lhos pa­ra pu­bli­carSe há crí­ti­cas, ela res­pon­de à al­tu­raA mon­ta­gem não é de­la, mas Cris­tas gos­tou e par­ti­lhou

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.