PAU­LO BAT­TIS­TA “UM DIA VI­LA NO­VA DE MILFONTES SE­RÁ A MI­NHA CA­SA”

Correio da Manha - Sexta - - Segredos -

É A L FAC I N H A D E GE­MA, MAS FOI NO ALEN­TE­JO QUE en­con­trou o seu “re­fú­gio”. Em Vi­la No­va de Milfontes, no con­ce­lho de Ode­mi­ra, Pau­lo Bat­tis­ta diz en­con­trar a tran­qui­li­da­de após os ‘ di­as lou­cos’ pas­sa­dos na ca­pi­tal. “Sem­pre que pos­so é pa­ra lá que vou. Às ve­zes vou e ve­nho no mes­mo dia e che­go co­mo no­vo só por res­pi­rar aque­le ar”, con­ta. O mes­tre al­fai­a­te re­ve­la que se dei­xou con­quis­tar pe­la gas­tro­no­mia, pe­las pes­so­as e prai­as de­ser­tas da­que­la ter­ra que, su­bli­nha, é a “prin­ce­sa do Alen­te­jo”. “A mi­nha mu­lher é de lá e eu apren­di a gos­tar da­que­le lu­gar. Ali en­con­tro o meu equi­lí­brio ”, ex­pli­ca o ju­ra­do do pro­gra­ma ‘ Cosido à Mão’, da RTP1. Em fa­mí­lia re­cor­da os pas­sei­os a pé pe­las ru­as e uma sen­sa­ção de li­ber­da­de. “É lá que um dia va­mos aca­bar por fi­car quando a vi­da pro­fis­si­o­nal o per­mi­tir. Vi­la No­va de Milfontes se­rá a mi­nha ca­sa”, con­fi­den­cia.

Ain­da que o fu­tu­ro pos­sa es­tar lon­ge de Lis­boa, o al­fai­a­te des­ta­ca a be­le­za da ca­pi­tal. “Uma ci­da­de re­no­va­da mas que man­tém a sua his­tó­ria.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.