ES­PA­ÇO ÓB­VIO RE­FE­RÊN­CIA DO CEN­TRO HIS­TÓ­RI­CO

Correio da Manha - Sexta - - À Noite Obviamente -

NO LAR­GO PIN­TOR G ATA , E M P L E N O CEN­TRO HIS­TÓ­RI­CO DE VI­SEU, o bar Ob­vi­a­men­te é uma es­pé­cie de te­sou­ro de diversão meio es­con­di­do pa­ra to­das as ho­ras e es­ta­ções do ano. A ca­mi­nho dos 21 anos, sem­pre sob a ge­rên­cia de An­tó­nio Alves, um em­pre­sá­rio que diz ba­ter- se to­dos os di­as por ga­ran­tir três coi­sas fun­da­men­tais no seu es­ta­be­le­ci­men­to: a qua­li­da­de do que se con­so­me, o sos­se­go e a se­gu­ran­ça.

“É mais do que a jun­ção de du­as pa­la­vras e mui­to mais do que é ób­vio sig­ni­fi­ca­do da pa­la­vra. É um es­pa­ço lo­ta­do de cul­tu­ra, ar­te e men­tes que se ma­ni­fes­tam de di­fe­ren­tes for­mas. Mas, aci­ma de tu­do, Ob­vi­a­men­te é uma for­ma de es­tar, é um es­ta­do da men­te, é ser po­si­ti­vo, evi­den­te, cla­ro, e na­tu­ral­men­te úni­co”. É as­sim que An­tó­nio Alves des­cre­ve o seu es­ta­be­le­ci­men­to de diversão.

Re­mo­de­la­do há pou­co tem­po e de­co­ra­do de for­ma futurista mas ao mes­mo tem­po pre­ser­van­do o gran­de le­ga­do his­tó­ri­co que trans­por­ta, o Ob­vi­a­men­te é um lo­cal fre­quen­ta­do por pes­so­as jo­vens e mais adul­tas. Con­for­me a noi­te vai avan­çan­do, tam­bém se vai mo­di­fi­can­do o es­ti­lo da cli­en­te­la e são mui­tas as ve­zes quando um DJ to­ma o co­man­do da me­sa de mú­si­ca e con­se­gue man­ter os cli­en­tes ani­ma­dos até às qua­tro da ma­dru­ga­da. Co­mo nem só da be­bi­da sobrevive o cli­en­te, o bar tam­bém faz co­mi­da rá­pi­da, des­de ham­búr­gue­res, pi­ca- pau, pre­gos e tos­tas.

GARRAFEIRA DE INEGÁVEL QUA­LI­DA­DE À DIS­PO­SI­ÇÃO DE QUEM APRECIA BONS VI­NHOS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.