Afas­ta­da

APRESENTAD­ORA DA TVI VAI PAS­SAR MAIS TEM­PO LON­GE DO ESTÚDIO, MAS CON­TI­NUA NOS ECRÃS COM REPORTAGEM NO EX­TE­RI­OR. APE­SAR DA MU­DAN­ÇA, GA­RAN­TE QUE NÃO ES­TÁ AN­SI­O­SA EM RE­LA­ÇÃO AO FU­TU­RO E QUE ATÉ TEM NO­VOS PRO­JE­TOS

Correio da Manha - Sexta - - Primeira Página -

APRESENTAD­ORA DAS TARDES DA TVI AS­SU­ME QUE VAI PAS­SAR A FA­ZER MAIS REPORTAGEM E ES­TAR LON­GE DO ESTÚDIO. ORDENADO MILIONÁRIO MAN­TÉM-SE INALTERADO

Aa­pre­sen­ta­do­ra Fátima Lo­pes, de 50 anos, anun­cia uma cer­te­za e uma no­vi­da­de na sua vi­da pro­fis­si­o­nal na TVI. “Va­mos por par­tes, eu não vou sair das tardes”, ga­ran­te, avan­çan­do ain­da uma no­vi­da­de fres­ca pa­ra bre­ve no ‘A Tar­de é Sua’: “A TVI pe­diu-me uma coi­sa que há mui­to não fa­zia e que adoro e que co­me­cei a fa­zer, que é reportagem na rua. Eu já co­me­cei a sair em reportagem e adoro, por­que gos­to de es­tar com e ver pes­so­as. Fa­ço is­so no âm­bi­to do pro­gra­ma, com um bo­ca­di­nho de mai­or sa­cri­fí­cio pes­so­al.”

A ve­de­ta das tardes na es­ta­ção de Qu­e­luz de Bai­xo ju­ra que não irá re­ve­lar os se­gre­dos bem guar­da­dos por Felipa Garnel, a no­va di­re­to­ra de Pro­gra­mas da TVI, e não abre o jogo quan­to a uma pos­sí­vel par­ce­ria de pe­so: “Não vou di­zer se se­rá ao la­do de Manuel Luís Gou­cha. Es­pre­mam-me o que qui­se­rem que não di­go na­da”, sol­ta.

Não diz na­da, mas vai le­van­tan­do umas pon­tas, no­me­a­da­men­te que já exis­ti­rá um pro­je­to gi­za­do pe­la di­re­to­ra de Pro­gra­mas Felipa Garnel. “Es­tou mui­to en­tu­si­as­ma­da com o pro­je­to, de uma for­ma ge­ral, pa­ra a es­ta­ção. Foi-me apre­sen­ta­da mui­ta coi­sa. Sig­ni­fi­ca que as pes­so­as que lá es­tão têm idei­as, são crí­ti­cas, são gran­des pro­fis­si­o­nais e querem fa­zer di­fe­ren­te. Há pro­je­tos.”

As­su­min­do que as tardes con­ti­nu­a­rão a ser a sua praia, mes­mo que es­te­ja afas­ta­da do estúdio, Fátima Lo­pes ex­pli­ca co­mo se sen­te bem em televisão. “Pos­so ga­ran­tir que me sin­to bem às tardes, nas manhãs e nas noites, de madrugada e em qual­quer ho­ra. Adoro o que fa­ço e sou fe­liz a fazê-lo”, de­cla­ra, lan­çan­do pa­ra o ar mais uma fra­se enig­má­ti­ca: “As gran­des mu­dan­ças são mais pa­ra a fren­te e vou ter mais de­sa­fi­os na TVI”, sem es­cla­re­cer se se tra­ta, ou não, de mais um no­vo pro­gra­ma.

Com de­sa­fi­os e pro­je­tos no­vos na ca­lha a tí­tu­lo par­ti­cu­lar, Fátima Lo­pes acei­ta ain­da o de­sa­fio pa­ra res­pon­der so­bre qual o es­ta­do de es­pí­ri­to na es­ta­ção que per­deu a li­de­ran­ça em fe­ve­rei­ro des­te ano. “Atu­al­men­te vi­ve-se um es­pí­ri­to de con­fi­an­ça e es­pe­ran­ça no fu­tu­ro. As pes­so­as não es­tão des­mo­ti­va­das. Sei que é mui­to fá­cil pas­sar es­sa men­sa­gem cá pa­ra fo­ra, pa­ra de­ne­grir as pes­so­as e a es­ta­ção”, quei­xa-se, apon­tan­do o de­do aos cul­pa­dos por es­sa si­tu­a­ção: “Nor­mal­men­te, quem faz is­so é por­que es­tá com me­do do que es­tá do la­do de lá. E do la­do de lá não es­tão pes­so­as mor­tas, es­tão pes­so­as cri­a­ti­vas, com von­ta­de de tra­ba­lhar. Do la­do de lá es­tão ga­rim­pei­ros, pron­tos pa­ra tra­ba­lhar.”

Quan­to à po­lé­mi­ca em tor­no da guer­ra de ve­de­tas en­tre a TVI e a SIC, e so­bre a proi­bi­ção de apa­re­cer nos canais ri­vais, Fátima Lo­pes ri­pos­ta: “Não per­mi­to que me proí­bam de fa­lar com co­le­gas de ou­tros canais. Se a Cris­ti­na me con­vi­dar, vou sem pro­ble­mas ne­nhuns”, dis­pa­ra.

“ADORO O QUE FA­ÇO E SOU FE­LIZ A FAZÊ-LO. SIN­TO-ME BEM ÀS TARDES, NAS MANHÃS, NAS NOITES OU DE MADRUGADA”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.