MA­TIL­DE É OPE­RA­DA AO TU­MOR MAS ACA­BA POR FI­CAR CEGA

A OPE­RA­ÇÃO PA­RE­CIA SER UM SU­CES­SO E A MÃE DE NA­ZA­RÉ JÁ NÃO TEM CAN­CRO. MAS COMO CON­SEQUÊN­CIA PER­DEU A VI­SÃO

Correio da Manha - Sexta - - Tv Não Perca Novelas -

Na­za­ré re­ce­be a cha­ma­da que mais an­si­a­va: au­to­ri­za­ção pa­ra a mãe ser ope­ra­da ao tu­mor na ca­be­ça. As du­as fes­te­jam de fe­li­ci­da­de com a no­tí­cia. De for­ma a cum­prir o pla­no, a jo­vem con­se­gue con­ven­cer Duarte a acom­pa­nhá-la na vi­a­gem até Lon­dres. O ca­sal as­sis­te à ope­ra­ção e es­tá tu­do a cor­rer bem, até que as má­qui­nas co­me­çam a api­tar e Ma­til­de tem de ser re­a­ni­ma­da. Na­za­ré as­sis­te a tu­do e fi­ca em de­ses­pe­ro ao per­ce­ber que a mãe pode mor­rer. Fe­liz­men­te, a ope­ra­ção aca­bou por cor­rer bem e o mé­di­co vem dar a no­tí­cia a Na­za­ré e Duarte. Mas o pi­or acon­te­ce quan­do Ma­til­de acor­da e des­co­bre que es­tá cega. O mé­di­co ana­li­sa a mãe de Na­za­ré e afir­ma que pode fa­zer re­a­bi­li­ta­ção vi­su­al, mas não ga­ran­te que a na­za­re­na vol­te a ver dei­xan­do-a to­tal­men­te de­ses­pe­ra­da.

Ma­til­de fi­ca de­ses­pe­ra­da quan­do acor­da e não con­se­gue ver na­da. Na­za­ré e Duarte cha­mam o mé­di­co, que aca­ba por não dar ga­ran­ti­as de que a na­za­re­na vol­te a ver

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.