Co­mo cui­dar de cães após uma ci­rur­gia?

Correio da Manha - Sexta - - Guia Do Lazer - POR NA­DI­NE VIEGAS MÉ­DI­CA VE­TE­RI­NÁ­RIA ENVIE AS SU­AS DÚ­VI­DAS PA­RA: CONSULTORI­ODOSANIMAI­[email protected]

Ope­río­do pós ope­ra­tó­rio po­de ser um mo­men­to an­gus­ti­an­te se nos sen­tir­mos per­di­dos e sem sa­ber co­mo atu­ar. De­pen­den­do do que foi a ci­rur­gia, ha­ve­rá re­qui­si­tos di­fe­ren­tes em ter­mos de tra­ta­men­to de fe­ri­das, re­cu­pe­ra­ção e tem­po de des­can­so, bem co­mo de me­di­ca­men­tos ou te­ra­pi­as de su­por­te de que pos­sam ne­ces­si­tar.

Na mai­or par­te dos ca­sos, as pri­mei­ras 24 ho­ras são as mais crí­ti­cas e nes­te pe­río­do o mais im­por­tan­te é ga­ran­tir que o ani­mal se sin­ta con­for­tá­vel, aque­ci­do se­gu­ro e vi­gi­a­do. É sem­pre im­por­tan­te que se man­te­nha hi­dra­ta­do. A ali­men­ta­ção nes­te pe­río­do de­ve ser fra­ci­o­na­da em vá­ri­as tomas ao lon­go do dia.

ATEN­ÇÃO AO ANI­MAL

Quan­do fa­la­mos em man­ter o ani­mal vi­gi­a­do, de­ve­mos ter aten­ção a al­guns sin­to­mas anor­mais, co­mo:

Tre­mo­res;

Fra­que­za ex­tre­ma ou pros­tra­ção; San­gra­men­to / cor­ri­men­to da área da fe­ri­da ou em qual­quer ou­tro lu­gar;

Fe­bre;

Vó­mi­tos ou di­ar­rei­as;

É im­por­tan­te vi­gi­ar a uri­na, cor, chei­ro ou pre­sen­ça de san­gue, as­sim co­mo es­tar aten­to se o nos­so ani­mal es­tá a eva­cu­ar ou não. Te­nha em aten­ção que é nor­mal que es­te­ja uns di­as sem fa­zer fe­zes, pois fez je­jum no pe­río­do pré-ci­rúr­gi­co e co­meu me­nos nos pós-ci­rúr­gi­co.

Se­rá im­pres­cin­dí­vel fa­zer a me­di­ca­ção que o mé­di­co ve­te­ri­ná­rio re­cei­tou na for­ma co­mo es­tá des­cri­ta; se ti­ver al­gu­ma dú­vi­da ou in­ca­pa­ci­da­de de ad­mi­nis­trar a me­di­ca­ção, é pre­fe­rí­vel con­tac­tar o mé­di­co ve­te­ri­ná­rio em vez de fa­zer o tra­ta­men­to pres­cri­to de for­ma er­ró­nea.

De­ve­rá ser sem­pre res­pei­ta­do um tem­po de re­pou­so on­de os pas­sei­os se­rão au­men­ta­dos de in­ten­si­da­de e es­for­ço con­so­an­te o ti­po de ci­rur­gia a que o ani­mal foi sub­me­ti­do e se­gun­do as in­di­ca­ções do mé­di­co ve­te­ri­ná­rio.

Pa­ra al­gu­mas ci­rur­gi­as, em par­ti­cu­lar as or­to­pé­di­cas, po­de ser útil o cão ter al­gu­ma te­ra­pia pós-ci­rúr­gi­ca pa­ra aju­dar a pro­mo­ver a cu­ra, tais co­mo a fisioterap­ia, hi­dro­te­ra­pia ou acu­pun­tu­ra.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.