NA­ZA­RÉ FI­CA EM PRI­SÃO DOMICILIÁR­IA APÓS SER OPERADA

DUARTE CON­SE­GUE QUE A FI­LHA DE NA­ZA­RÉ ES­PE­RE PE­LO JUL­GA­MEN­TO EM CA­SA APÓS QUA­SE MOR­RER NA PRI­SÃO

Correio da Manha - Sexta - - Tv Não Perca Novelas -

guar­da Fer­nan­da foi pa­ga por Ve­ró­ni­ca pa­ra ma­tar Na­za­ré e, des­de en­tão, tem fei­to a vi­da da jo­vem num in­fer­no na pri­são. A man­dan­te con­se­gue o que quer e a fi­lha de Na­za­ré fi­ca en­tre a vi­da e a mor­te de­pois de ser es­fa­que­a­da. Duarte fi­ca pre­o­cu­pa­do por ver o es­ta­do de Na­za­ré e vai fa­lar com o ad­vo­ga­do pa­ra ar­ran­jar ma­nei­ra da jo­vem aguar­dar pe­lo jul­ga­men­to em ca­sa com pul­sei­ra ele­tró­ni­ca. Tu­do cor­re bem e Na­za­ré tem al­ta hos­pi­ta­lar e vai pa­ra ca­sa na com­pa­nhia de Duarte. O mo­men­to é de fe­li­ci­da­de e, em ca­sa de Ma­til­de, to­dos brin­dam a co­me­mo­rar por Na­za­ré es­tar de re­gres­so. Mas o mo­men­to vai ser in­ter­rom­pi­do por Bár­ba­ra, que faz uma ce­na de ciú­mes por ver Duarte jun­to de Na­za­ré e que ten­ta agre­dir a ri­val. To­ni con­se­gue evi­tar o pi­or e me­te-se à fren­te da ir­mã de Luís. Duarte e Bár­ba­ra aban­do­nam a ca­sa de Na­za­ré e dis­cu­tem.

Na­za­ré vai pa­ra ca­sa com pul­sei­ra ele­tró­ni­ca pa­ra fe­li­ci­da­de de to­dos. Bár­ba­ra apa­re­ce em ca­sa da ri­val e faz ce­na de ciú­mes ao ver Duarte com a ex-noi­va

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Portugal

© PressReader. All rights reserved.