ACOR­DOS CO­MER­CI­AIS

Folha 8 - - INTERNACIONAL -

“Ire­mos ser um país mui­to di­fe­ren­te, te­mos va­lo­res mas, em ter­mos mi­li­ta­res, va­mos ser mui­to mais for­tes e os nos­sos acor­dos co­mer­ci­ais vão ser bons e só­li­dos, não acor­dos co­mer­ci­ais que con­du­zam a en­cer­ra­men­tos e a um de­sem­pre­go tre­men­do”, con­cluiu Trump. Merkel per­mi­tiu-se lem­brar aqui os su­ces­sos da União Eu­ro­peia e dos acor­dos que fir­ma e que, diz, são van­ta­jo­sos para to­das as par­tes. A chan­ce­ler atri­buiu o su­ces­so dos ale­mães no pla­no econô­mi­co mas tam­bém na se­gu­ran­ça e na paz, à in­te­gra­ção eu­ro­peia. “Es­tou pro­fun­da­men­te con­vic­ta disso”, afir­mou. “Qual­quer acor­do ce­le­bra­do pe­la União Eu­ro­peia, por exem­plo com a Co­reia do Sul, re­sul­tou em mais pos­tos de tra­ba­lho para a Ale­ma­nha, e para a União Eu­ro­peia”, re­fe­riu. “Ha­via tam­bém al­gu­ma pre­o­cu­pa­ção quan­to à in­dús­tria au­to­mó­vel em re­la­ção à Co­reia do Sul mas o que se ve­ri­fi­cou é que am­bas as par­tes aca­ba­rem por ti­rar pro­vei­to da si­tu­a­ção e é per­fei­ta­men­te jus­to e equi­ta­ti­vo”. “Am­bos pro­cu­ram ter van­ta­gens e as­sim iria fe­li­ci­tar-me se as con­ver­sa­ções en­tre os Es­ta­dos Uni­dos e a União Eu­ro­peia fos­sem re­to­ma­das” em re­la­ção ao acor­do de li­vre comércio, re­fe­riu a chan­ce­ler. Lem­bran­do o re­cém acor­do as­si­na­do en­tre a União Eu­ro­peia e o Ca­na­dá, Merkel de­se­jou o re­co­me­ço das ne­go­ci­a­ções de comércio li­vre en­tre a UE e os EUA, afas­ta­das por Trump. “Pen­so que es­ta­mos nu­ma si­tu­a­ção em que po­de­mos re­to­mar es­sas con­ver­sa­ções”, dis­se a chan­ce­ler. Num dos úni­cos mo­men­tos de des­con­tra­ção du­ran­te a con­fe­rên­cia de im­pren­sa, Trump re­fe­riu que ra­ra­men­te se ar­re­pen­de da­qui­lo que pu­bli­ca na re­de so­ci­al Twit­ter, nu­ma res­pos­ta so­bre as su­as acu­sa­ções, sem pro­vas, de que o seu pre­de­ces­sor, o de­mo­cra­ta Barack Obama, o gra­vou du­ran­te o úl­ti­mo ano de cam­pa­nha elei­to­ral.“ao me­nos te­mos uma coi­sa em co­mum” ex­cla­mou, pro­vo­can­do ri­sos, nu­ma re­fe­rên­cia a re­la­tó­ri­os que re­ve­la­ram que o te­le­fo­ne foi pos­to sob es­cu­ta pe­los es­ta­dos uni­dos du­ran­te a Ad­mi­nis­tra­ção Obama. Via Reuters

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.