MPLA SUS­TEN­TA A BOM­BA ATÓ­MI­CA DA COR­RUP­ÇÃO

Folha 8 - - DESTAQUE -

Acon­sul­to­ra BMI Re­se­ar­ch pre­vê que a pro­du­ção de pe­tró­leo em An­go­la “cres­ça for­te­men­te” no pró­xi­mo ano, mas abran­de até ao fi­nal da dé­ca­da de­vi­do aos po­ços es­go­ta­dos e ao mau re­la­ci­o­na­men­to en­tre a pe­tro­lí­fe­ra do re­gi­me (sob o co­man­do de Isa­bel dos San­tos, fi­lha do ac­tu­al pre­si­den­te, Jo­sé Eduardo dos San­tos) Sonangol e as com­pa­nhi­as in­ter­na­ci­o­nais. “A pro­du­ção pe­tro­lí­fe­ra em An­go­la es­ta­rá es­tag­na­da em 2017, cres­cen­do for­te­men­te em 2018 com mui­tos pro­jec­tos a en­trar em fun­ci­o­na­men­to mas a par­tir de 2018 vai cair de­vi­do a um for­te de­clí­nio dos po­ços em ex­plo­ra­ção e à fal­ta de pro­jec­tos no­vos que equi­li­bram os de­clí­ni­os”, es­cre­vem os ana­lis­tas des­ta con­sul­to­ra do Gru­po Fit­ch. “Com mui­tos pro­jec­tos em fa­se an­te­ri­or à De­ci­são Fi­nal de In­ves­ti­men­to e uma for­te pre­sen­ça das mai­o­res com­pa­nhi­as in­ter­na­ci­o­nais, os ris­cos à pre­vi­são da pro­du­ção es­tão do la­do su­pe­ri­or, mas o mau re­la­ci­o­na­men­to en­tre a Sonangol e es­tas pe­tro­lí­fe­ras co­lo­cam os pro­jec­tos em pe­ri­go”, acres­cen­tam os ana­lis­tas na aná­li­se tri­mes­tral ao pe­tró­leo e gás de An­go­la. No re­la­tó­rio, a BMI Re­se­ar­ch pre­vê uma pro­du­ção de 1,747 mi­lhões de bar­ris diá­ri­os es­te ano, o que re­pre­sen­ta um li­gei­ro au­men­to fa­ce aos 1,743 do ano pas­sa­do, mas uma des­ci­da so­bre os 1,814 mi­lhões por dia bom­be­a­dos em 2015. No pró­xi­mo ano, a es­ti­ma­ti­va da BMI apon­ta pa­ra uma pro­du­ção de 1,861 mi­lhões de bar­ris, des­cen­do de­pois em 2019 pa­ra 1,820 em 2019 e pa­ra 1,739 e 1,662 mi­lhões até 2021. Na aná­li­se que fa­zem aos pon­tos for­tes do mai­or pro­du­tor de pe­tró­leo na Áfri­ca sub­sa­a­ri­a­na, a par da Ni­gé­ria, a BMI apon­ta a tra­di­ção de dé­ca­das na ex­plo­ra­ção pe­tro­lí­fe­ra no país, o for­te po­ten­ci­al de ex­plo­ra­ção no pré-sal e um re­gi­me fis­cal e de li­cen­ças es­tá­vel. Pa­ra além des­tes pon­tos po­si­ti­vos, a BMI Re­se­ar­ch no­ta tam­bém um gran­de nú­me­ro de pro­jec­tos em de­sen­vol­vi­men­to e as in­ten­ções do Go­ver­no em ter­mos de mo­ne­ti­za­ção dos re­cur­sos do gás, a que se jun­ta a pre­vi­são de for­te su­bi­da no con­su­mo de pe­tró­leo e gás no país. Por ou­tro la­do, os ana­lis­tas aler­tam pa­ra a “pra­ga da cor­rup­ção de al­to ní­vel que tor­na o ambiente em­pre­sa­ri­al de­sa­fi­an­te e a for­te pre­sen­ça da Sonangol na in­dús­tria pe­tro­lí­fe­ra que ope­ra no país, apon­tan­do ain­da co­mo pon­tos ne­ga­ti­vos do sec­tor as fra­cas re­cei­tas da ex­por­ta­ção de­vi­do à que­da dos pre­ços e a de­te­ri­o­ra­ção das re­la­ções en­tre a em­pre­sa es­ta­tal e as pe­tro­lí­fe­ras in­ter­na­ci­o­nais.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.