PRE­SEN­ÇA DOS DE­LE­GA­DOS DE LIS­TA NAS ME­SAS DE VO­TO

Folha 8 - - DESTAQUE -

Re­sol­vi­da a ques­tão do cre­den­ci­a­men­to, a CNE sur­ge ago­ra com uma no­va di­fi­cul­da­de. Pre­ten­de im­pe­dir o aces­so dos su­plen­tes às me­sas de vo­to. O nú­me­ro 1 do ar­ti­go 93.º da Lei n.º 36/11 es­ta­be­le­ce o se­guin­te: “Em ca­da me­sa de vo­to po­de ha­ver um de­le­ga­do e res­pec­ti­vo su­plen­te in­di­ca­do por ca­da uma das lis­tas con­cor­ren­tes”. A CNE es­tá a ins­truir os seus ór­gãos lo­cais pa­ra não per­mi­tir a en­tra­da dos su­plen­tes nas as­sem­blei­as de vo­to nem a sua pre­sen­ça nas me­sas de vo­to. Nem o seu re­ve­za­men­to com os de­le­ga­dos de lis­ta! A lei man­da os de­le­ga­dos de lis­ta es­ta­rem pre­sen­tes no lo­cal da vo­ta­ção e ini­ci­a­rem os tra­ba­lhos de fis­ca­li­za­ção das me­sas de vo­to, à par­tir das 4 ho­ras da ma­nhã, três ho­ras an­tes do iní­cio da vo­ta­ção. As me­sas de vo­to en­cer­ram às 19H30 e os tra­ba­lhos de con­ta­gem, apu­ra­men­to dos re­sul­ta­dos e ela­bo­ra- ção das ac­tas ter­mi­nam em ge­ral por vol­ta das 22H00. Ao to­do, são mais de 18 ho­ras de tra­ba­lho. Du­ran­te es­se pe­río­do to­do o de­le­ga­do efec­ti­vo vai pre­ci­sar co­mer, ir à ca­sa de banho, des­can­sar e even­tu­al­men­te co­mu­ni­car com a fa­mí­lia e com a can­di­da­tu­ra que re­pre­sen­ta até mes­mo pa­ra ti­rar dú­vi­das ou ob­ter es­cla­re­ci­men­tos. A CNE não quer per­mi­tir que nes­sas au­sên­ci­as cur­tas a fis­ca­li­za­ção dos ac­tos dos mem­bros das me­sas se­ja fei­ta pe­lo de­le­ga­do su­plen­te, igual­men­te cre­den­ci­a­do, co­mo aliás, foi fei­to em to­das as an­te­ri­o­res elei­ções e co­mo se pro­ce­de em to­do o mun­do! Com es­ta ati­tu­de in­com­pre­en­sí­vel, a CNE es­tá a cri­ar des­con­fi­an­ças des­ne­ces­sá­ri­as, pois quer que os ac­tos da me­sa fi­quem sem fis­ca­li­za­ção, nos mo­men­tos em que hu­ma­na­men­te se im­pu­ser um ac­to fi­si­o­ló­gi­co! Ou se­rá que vão ter ca­bi­nes/wc’s jun­to às me­sas? Há for­tes evi­dên­ci­as que os mem­bros das me­sas, es­pe­ci­al­men­te os pre­si­den­tes e os se­cre­tá­ri­os, que têm a res­pon­sa­bi­li­da­de de ela­bo­rar as ac­tas elei­to­rais, são to­dos mem­bros dos co­mi­tés de ac­ção do MPLA e da po­lí­cia, ha­ven­do re­ceio que te­nham si­do ins­truí­dos pa­ra pro­ce­de­ram a ac­tos de ma­ni­pu­la­ção, al­te­ra­ção e mo­di­fi­ca­ção dos re­sul­ta­dos da con­ta­gem dos vo­tos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.