SAL­VAR A PÁ­TRIA

Folha 8 - - CULTURA - POR GIL GON­ÇAL­VES

A pro­fes­so­ra não sa­be es­cre­ver Os alu­nos não vão apren­der A ler Das coi­sas sa­ber De es­mo­las vi­ver É so­frer No exér­ci­to de fa­min­tos cres­cer Sem es­pe­ran­ça a mor­rer

Não há na­da em que acre­di­tar Em quem con­fi­ar Na pá­tria a de­ser­dar Tu­do a de­ser­tar Não se po­de cri­ti­car Não se po­de mur­mu­rar Tu­do a mur­char Na­da pa­ra de­sa­bro­char

Nos olhos tris­tes o la­cri­me­jar Não há na­da pa­ra mas­ti­gar A fo­me en­ga­nar A al­ma a pe­nar Vê-se co­mo is­to vai aca­bar A fo­me tu­do vai le­var Na tei­mo­sia se vai apos­tar Des­go­ver­nar

Se­rá a na­ção do as­sal­tar Do to­dos a rou­bar Mais um país afri­ca­no aca­bar No abismo se afun­dar

O pi­or que há é acre­di­tar On­de só há al­dra­bar É de­cre­tar O in­jus­ti­çar

Na mi­sé­ria a pros­pe­rar Há que apos­tar Em tu­mul­tos na­dar As­sim se vai fi­car

Pro­mes­sas? na­da a es­pe­rar São pa­ra par­vos en­ga­nar Na on­da le­var Nau­fra­gar

E tu­do a cor­rup­ção le­vou Nos inun­dou Pá­tria de fin­gir nos atrai­ço­ou A vi­da nos su­gou

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.