MA­NU­EL VI­CEN­TE NE­GA TU­DO

Folha 8 - - DESTAQUE -

No dia 2 de Mar­ço de 2016, Ma­nu­el Do­min­gos Vi­cen­te de­cla­rou que são fal­sas e aten­ta­tó­ri­as ao seu bom no­me in­for­ma­ções vei­cu­la­das pe­la im­pren­sa de to­do o mun­do, com ex­cep­ção pa­ra a que per­ten­ce ao re­gi­me an­go­la­no, so­bre o seu su­pos­to en­vol­vi­men­to em fac­tos que es­ta­rão a ser ob­jec­to de uma in­ves­ti­ga­ção, em Por­tu­gal. Eis o co­mu­ni­ca­do emi­ti­do nes­sa da­ta por Ma­nu­el Vi­cen­te e re­ce­bi­do na Re­dac­ção do Fo­lha 8: “Tem es­ta­do a ser vei­cu­la­das pe­la co­mu­ni­ca­ção so­ci­al notícias dan­do con­ta do meu su­pos­to en­vol­vi­men­to em fac­tos que es­ta­rão a ser ob­jec­to de uma in­ves­ti­ga­ção co­nhe­ci­da por “Ope­ra­ção Fizz”, con­du­zi­da pe­las au­to­ri­da­des ju­di­ciá­ri­as por­tu­gue­sas. Des­co­nhe­ço se o vei­cu­la­do pe­la co­mu­ni­ca­ção so­ci­al cor­res­pon­de ou não àqui­lo que es­ta­rá a ser efec­ti­va­men­te in­ves­ti­ga­do. Po­rém, os re­la­tos apre­sen­ta­dos por di­ver­sos ór­gãos de co­mu­ni­ca- ção a meu res­pei­to, pa­ra além de não cor­res­pon­de­rem à ver­da­de, aten­tam gra­ve­men­te con­tra o meu bom no­me, a mi­nha hon­ra, ima­gem e re­pu­ta­ção. Na ver­da­de, sou com­ple­ta­men­te alheio, no­me­a­da­men­te, à con­tra­ta­ção de um ma­gis­tra­do do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co por­tu­guês pa­ra fun­ções no sec­tor pri­va­do, bem co­mo a qual­quer pa­ga­men­to de que se diz ter be­ne­fi­ci­a­do, con­for­me re­la­tos da co­mu­ni­ca­ção so­ci­al, ale­ga­da­men­te por uma so­ci­e­da­de com a qual eu não ti­nha ne­nhu­ma es­pé­cie de re­la­ção, e que não era nem nun­ca foi sub­si­diá­ria da Sonangol. Quan­to ao pro­ces­so arquivado, ao que sei uma sim­ples ave­ri­gua­ção de ori­gem de fun­dos re­la­ti­vos à com­pra de um imó­vel, con­fi­ei a mi­nha re­pre­sen­ta­ção a um ad­vo­ga­do, o qual apre­sen­tou com­pro­va­ção ca­bal da ori­gem lí­ci­ta dos fun­dos, com o que o pro­ces­so não po­de­ria dei­xar de ter si­do arquivado – com­pro­va­ção es­sa que, se ne­ces­sá­rio, po­de­rá ser re­no­va­da. O en­vol­vi­men­to do meu no­me na in­ves­ti­ga­ção ora em cur­so, não tem, pois, qual­quer fun­da­men­to; não obs­tan­te, es­tou to­tal­men­te dis­po­ní­vel pa­ra o es­cla­re­ci­men­to dos fac­tos na par­te em que me di­zem res­pei­to, de mo­do a pôr ter­mo a qual­quer ti­po de sus­pei­ções, e, com cer­te­za, tu­do fa­rei pa­ra que se­jam de­vi­da­men­te re­pa­ra­dos os gra­ves da­nos cau­sa­dos à mi­nha pes­soa.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.