15 LIVROS FA­ZEM A DIFERENÇA É “CHATO” SERMOS… PO­BRES!

Folha 8 - - DESTAQUE -

Es­tu­dan­tes da Es­co­la Su­pe­ri­or de Ho­te­la­ria e Tu­ris­mo de An­go­la ma­ni­fes­ta­ram-se no 13.08 pre­o­cu­pa­dos com a fal­ta de in­fra-es­tru­tu­ras ade­qua­das para o cur­so e a ine­xis­tên­cia de es­tá­gi­os in­ter­nos, recebendo (sem na­da pa­gar em tro­ca, re­cor­de-se) ga­ran­ti­as do Go­ver­no de que vai to­mar “me­di­das prá­ti­cas”. As pre­o­cu­pa­ções fo­ram apre­sen­ta­das às mi­nis­tras an­go­la­nas do Tu­ris­mo, Ân­ge­la Bra­gan­ça, e do En­si­no Su­pe­ri­or, Ci­ên­cia, Tec­no­lo­gia e Ino­va­ção, Ma­ria do Ro­sá­rio Sam­bo, du­ran­te uma vi­si­ta que fi­ze­ram às ins­ta­la­ções da ins­ti­tui­ção no Ki­lam­ba, ar­re­do­res de Lu­an­da. Se­gun­do os es­tu­dan­tes, em cin­co anos, a qua­li­da­de das in­fra-es­tru­tu­ras da ins­ti­tui­ção, vo­ca­ci­o­na­da para a for­ma­ção de es­pe­ci­a­lis­tas do sec­tor da ho­te­la­ria e tu­ris­mo, “são im­pró­pri­as para a res­pec­ti­va for­ma­ção e os es­tá­gi­os não exis­tem”, su­bli­nhan­do ain­da que o es­ta­be­le­ci­men­to ne­ces­si­ta de um “ho­tel-es­co­la”. A mi­nis­tra do Tu­ris­mo ma­ni­fes­tou-se so­li­dá­ria (cla­ro, cla­ro) com os es­tu­dan­tes de ho­te­la­ria e tu­ris­mo, ga­ran­tin­do que irá cri­ar me­ca­nis­mos, em con­jun­to com o Mi­nis­té­rio do En­si­no Su­pe­ri­or, para me­lho­rar e acu­dir às pre­o­cu­pa­ções apre­sen­ta­das. “Tal co­mo po­de­mos cons­ta­tar por in­ter­mé­dio da in­te­rac­ção com os es­tu­dan­tes, há di­fi­cul­da­des nas in­fra-es­tru­tu­ras. São pre­ci- sas con­di­ções para a re­a­li­za­ção do tra­ba­lho prá­ti­co e la­bo­ra­tó­ri­os on­de os es­tu­dan­tes pos­sam ter con­tac­to com as ac­ções prá­ti­cas”, dis­se Ân­ge­la Bra­gan­ça, sa­li­en­tan­do ain­da a ine­xis­tên­cia de uma bi­bli­o­te­ca. Es­sa de os es­tu­dan­tes pre­ci­sa­ram de “con­di­ções para a re­a­li­za­ção do tra­ba­lho prá­ti­co” on­de “pos­sam ter con­tac­to com as ac­ções prá­ti­cas” é bri­lhan­te. Ain­da bem que a mi­nis­tra per­ce­beu. “Há ain­da uma ac­ção em tor­no do es­tu­do dos cur­rí­cu­los, uma ac­ção que de­ve­rá igual­men­te ser con­jun­ta, de mo­do a que as du­as va­lên­ci­as, quer a da for­ma­ção bá­si­ca quer a da ho­te­la­ria e tu­ris­mo, se­jam de­vi­da­men­te equa­ci­o­na­das”, acres­cen­tou. Já a mi­nis­tra do En­si­no Su­pe­ri­or, Ci­ên­cia, Tec­no­lo­gia e Ino­va­ção, Ma­ria do Ro­sá­rio Sam­bo, con­si­de­rou “le­gí­ti­mas” as pre­o­cu­pa­ções dos es­tu­dan­tes, ten­do apon­ta­do “me­di­das prá­ti­cas” para in­ver­ter a si­tu­a­ção. “As me­di­das prá­ti­cas para in­ver­ter esta si­tu­a­ção são pre­ci­sa­men­te aque­las que têm a ver com a cri­a­ção de mai­o­res opor­tu­ni­da­des de es­tá­gi­os, co­mo lo­cais pri­vi­le­gi­a­dos para que a for­ma­ção des­ses es­tu­dan­tes não se­ja me­ra­men­te teó­ri­ca”, adi­an­tou. “To­das as uni­da­des que exis­tem e que es­tão li­ga­das ao tu­ris­mo no seu to­do, e des­de que a Uni­ver­si­da­de Agos­ti­nho Ne­to ( UAN) apre­sen­te pro­pos­tas, no qua­dro da sua au­to­no­mia, de­vem cri­ar con­di­ções para que a for­ma­ção dos es­tu­dan­tes pos­sa ser me­lho­ra­da”, as­se­gu­rou. Para res­pon­der às pre­o­cu­pa­ções dos es­tu­dan­tes, a rei­to­ra em exer­cí­cio da UAN, An­to­ni­e­ta Bap­tis­ta, pro­me­teu apoi­ar os alu­nos com 15 livros so­bre ges­tão de tu­ris­mo, bem co­mo ins­ta­lar na­que­le es­ta­be­le­ci­men­to uma bi­bli­o­te­ca vir­tu­al. Quin­ze livros. A UAN não se pou­pa a es­for­ços. É que não são dois ou três, são um mon­tão de­les: 15! “Es­ti­ve já a con­cer­tar com a di­rec­ção e va­mos ten­tar con­se­guir, pe­lo me­nos, o soft­ware de apoio aos la­bo­ra­tó­ri­os vir­tu­ais. Tam­bém va­mos aju­dar a di­rec­ção da ins­ti­tui­ção a con­se­guir al­guns con­tra­tos, ain­da que a ní­vel não mui­to al­to, de es­tá­gi­os nal­gu­mas uni­da­des”, apon­tou.

MI­NIS­TRA DO TU­RIS­MO, ÂN­GE­LA BRA­GAN­ÇA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.