O QUE O FMI DIS­SE AO ZIM­BABWE

Folha 8 - - DESTAQUE -

Ao anun­ci­ar no dia 25 de Mar­ço de 2009 que a aju­da téc­ni­ca e fi­nan­cei­ra ao go­ver­no do Zimbabué de­pen­dia da adop­ção de bo­as po­lí­ti­cas eco­nó­mi­cas e do sal­do da dí­vi­da ex­ter­na, o Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal veio ape­nas di­zer que o po­vo ia con­ti­nu­ar a mor­rer à fo­me. “A aju­da téc­ni­ca e fi­nan­cei­ra do FMI de­pen­de da adop­ção de um me­ca­nis­mo de acom­pa­nha­men­to das po­lí­ti­cas eco­nó­mi­cas, do apoio dos do­a­do­res e do sal­do das dí­vi­das aos cre­do­res ofi­ci­ais, dos quais faz par­te o FMI”, in­di­cou a ins­ti­tui­ção in­ter­na­ci­o­nal num co­mu­ni­ca­do de­pois de ter en­vi­a­do uma mis­são ao Zimbabué. No iní­cio des­sa mis­são de du­as se­ma­nas, o mi­nis­tro da Eco­no­mia zim­ba­bu­e­a­no, El­ton Man­go­na, ti­nha anun­ci­a­do que o FMI se ti­nha pron­ti­fi­ca­do a aju­dar “ime­di­a­ta­men­te” o no­vo go­ver­no de união. Os paí­ses vi­zi­nhos do Zimbabué ape­la­ram tam­bém ao FMI pa­ra apoi­ar Ha­ra­re, an­tes da ci­mei­ra da Co­mu- ni­da­de pa­ra o De­sen­vol­vi­men­to da Áfri­ca Aus­tral (SADC) pa­ra exa­mi­nar os mei­os pa­ra aju­dar fi­nan­cei­ra­men­te es­te país mem­bro. No co­mu­ni­ca­do, o FMI sau­dou as pri­mei­ras me­di­das to­ma­das pe­lo en­tão no­vo go­ver­no. A de­ci­são de au­to­ri­zar as tran­sac­ções co­mer­ci­ais em di­vi­sas es­tran­gei­ras per­mi­tiu, se­gun­do o FMI, tra­var a in­fla­ção e re­for­çar o pla­no de re­lan­ça­men­to apre­sen­ta­do pe­lo go­ver­no. No en­tan­to, o FMI su­bli­nhou que “um for­te de­clí- nio das ac­ti­vi­da­des eco­nó­mi­cas e dos ser­vi­ços pú­bli­cos con­tri­buiu for­te­men­te pa­ra a de­te­ri­o­ra­ção da si­tu­a­ção hu­ma­ni­tá­ria”. A gran­de mai­o­ria do po­vo zim­ba­bu­e­a­no lu­ta­va por so­bre­vi­ver num país com a eco­no­mia em ruí­nas, con­fron­ta­do com a es­cas­sez de ali­men­tos e uma ta­xa de in­fla­ção de 231 mi­lhões por cen­to. Mais de 80 por cen­to da sua po­pu­la­ção es­ta­va de­sem­pre­ga­da. Re­cor­de-se que, co­mo me­di­da ma­cro­e­co­nó­mi­ca de vas­tís­si­mo al­can­ce e que de­ve­ria cons­ti­tuir um exem­plo pa­ra o Mun­do que se di­zia es­tar a atra­ves­sar uma gra­ve cri­se fi­nan­cei­ra, o go­ver­no de Ro­bert Mu­ga­be lan­çou na épo­ca a no­ta de 100 mil mi­lhões de dó­la­res… zim­ba­bu­e­a­nos. As­sim, mes­mo que ti­ves­se uma das no­vas no­tas no bol­so, qual­quer ci­da­dão do po­vo (sim do po­vo, que os da ga­me­la usam, ape­sar da cri­se mun­di­al, dó­la­res nor­te-ame­ri­ca­nos) não con­se­gui­ria com­prar três ovos. É que ca­da ovo cus­ta­va, 35 mil mi­lhões.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.