JO­VENS RE­VO­LU­CI­O­NÁ­RI­OS CONVOCAM MARCHA CON­TRA VI­O­LÊN­CIA

Folha 8 - - POLITICA -

Os jo­vens da so­ci­e­da­de ci­vil in­te­gran­tes do de­no­mi­na­do Mo­vi­men­to Re­vo­lu­ci­o­ná­rio An­go­la­no, irão mar­char pa­ci­fi­ca­men­te em pro­tes­to con­tra o fe­nó­me­no “Vi­o­lên­cia”, que tem ater­ro­ri­za­do a vi­da das ven­de­do­ras e ven­de­do­res am­bu­lan­tes, bem co­mo das zun­guei­ras, que fa­ce ao de­sem­pre­go e au­sên­cia de po­lí­ti­cas de fo­men­to e re­lan­ça­men­to de pro­jec­tos de de­sen­vol­vi­men­to, ras­gam as ci­da­des e vi­las, ba­nha­das de ho­nes­ti­da­de e, com su­or ven­dem o quan­to bas­te, pa­ra com o lu­cro ga­ran­tir o pão a me­sa e o caderno na sa­co­la do fi­lho, pa­ra ir a es­co­la. As cons­tan­tes vi­o­la­ções, agressões, de­ten­ções ar­bi­trá­ri­as e fun­da­men­tal­men­te, os rou­bos des­ca­ra­dos dos seus pro­du­tos, pe­los agen­tes da fis­ca­li­za­ção, têm le­va­do a in­dig­na­ção, ao pon­to de, pe­lo es­ta­do de ne­ces­si­da­de, mui­tos es­ta­rem a opor re­sis­tên­cia a es­sa prática mus­cu­la­da dos agen­tes da ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca do Es­ta­do. A ma­ni­fes­ta­ção, au­to­ri­za­da pe­lo Go­ver­no Pro­vin­ci­al de Lu­an­da, es­tá pre­vis­ta pa­ra o dia 25.08.2018, em Lu­an­da e con­ta reu­nir pes­so­as de to­dos os ex­tra­tos da so­ci­e­da­de ci­vil, que têm tes­te­mu­nha­do as prá­ti­cas dan­tes­cas, muitas pi­o­res, que as pra­ti­ca­das pe­los os po­li­ci­as co­lo­ni­ais, dos ele­men­tos da fis­ca­li­za­ção e da po­lí­cia na­ci­o­nal, com a cum­pli­ci­da­de dos ór­gãos su­pe­ri­o­res do Es­ta­do. Nu­ma pa­la­vra crua e nua, que doí, o que es­tes ho­mens com far­da pú­bli­ca fa­zem é rou­bo e agres­são fí­si­ca des­bra­va­da, com ci­da­dãos ho­nes­tos e tra­ba­lha­do­res, que eles não con­se­guem ser, por te­rem no DNA, tal co­mo os seus pa­trões a la­dro­a­gem e a cor­rup­ção, que têm, por do­mí­nio e con­tro­lo do sis­te­ma ju­di­ci­al, co­ber­tu­ra le­gal. Por es­te e ou­tros mo­ti­vos o gru­po de jo­vens de­ci­diu in­dig­nar-se pu­bli­ca­men­te, le­van­do es­sa as ru­as, pa­ra que o Ti­tu­lar do Po­der Exe­cu­ti­vo e os tri­bu­nais su­pe­ri­o­res pos­sam, as­su­mir as su­as ver­da­dei­ras fun­ções de ga­ran­tes da le­ga­li­da­de e har­mo­nia so­ci­al, pa­ra que es­sas ac­ções não ve­nham, mais ce­do ou mais tar­de, es­ti­mu­lar uma gran­de on­da de re­vol­ta po­pu­lar in­con­tro­lá­vel. A Cons­ti­tui­ção da Re­pú­bli­ca de An­go­la no ar­ti­go 31.º nos pon­tos 1 e 2, afir­ma: “a in­te­gri­da­de mo­ral, in­te­lec­tu­al e fí­si­ca das pes­so­as é in­vi­o­lá­vel, o Es­ta­do res­pei­ta e pro­te­ge a pes­soa e a dig­ni­da­de hu­ma­na”. En­tre­tan­to pe­se a ma­gis­tra­tu­ra des­ta nor­ma, ela tem si­do le­tra mor­ta di­an­te dos agen­tes pú­bli­cos, que a vi­o­lam os­ten­si­va­men­te, com re­cur­so ao uso da for­ça, quan­do têm a mis­são de pro­te­ger o ci­da­dão. Com uma mai­or di­vul­ga­ção e co­nhe­ci­men­to da cons­ti­tui­ção, prin­ci­pal­men­te, do art.º 47.º da CRA, os jo­vens es­gri­mi­ram es­se ar­gu­men­to pa­ra in­for­mar as au­to­ri­da­des pro­vin­ci­ais de Lu­an­da, pa­ra que as no­vas au­to­ri­da­des, ca­pi­ta­ne­a­das por João Lou­ren­ço se vis­ta de hu­mil­da­de, no res­pei­to aos di­rei­tos de in­te­gri­da­de pes­so­al, a li­ber­da­de fí­si­ca e segurança pes­so­al. A ma­ni­fes­ta­ção sai­rá, às 11h00, do Ce­mi­té­rio da San­ta Ana, pas­san­do pe­la Ave­ni­da De­o­lin­da Ro­dri­gues, Lar­go 1º de Maio, ter­mi­nan­do no Lar­go das He­roí­nas do MPLA, às 16 ho­ras do dia 25.08.2018.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.