O LE­GA­DO LI­TE­RÁ­RIO DE CAR­LOS PI­MEN­TEL

Jornal Cultura - - LETRAS -

Em en­tre­vis­ta con­ce­di­da a Agui­nal­do Cris­tó­vão, in­ti­tu­la­da “Car­los Pi­men­tel, um po­e­ta iti­ne­ran­te”, diz-se, a abrir que Car­los Pi­men­tel, “es­cri­tor an­go­la­no, re­co­nhe­ci­do po­e­ta e con­tis­ta, re­ve­la-nos um in­te­res­san­te per il li­te­rá­rio que cu­ri­o­sa­men­te ini­cia nu­ma sa­la de au­las on­de não con­se­gue de­se­nhar um ele­fan­te e ul­tra­pas­sa a bar­rei­ra que se­pa­ra o au­tor do es­cri­tor. A atri­bui­ção do pré­mio No­ma de li­te­ra­tu­ra pa­ra a obra “Ti­jo­lo a ti­jo­lo” é ape­nas um exem­plo. Mas do au­tor so­bres­sa­em ou­tras fa­ce­tas sen­do re­le­van­te a de cro­nis­ta do Jor­nal de An­go­la, com a co­nhe­ci­da co­lu­na “Pi­men­ta na Lín­gua”.

O au­tor de po­e­mas co­mo “Sal­fa­be­ti­zan­do”, “Pe­drei­ros”, “Pra o Ama­nhã”, “Ma­mãe, “Me Faz Uma Flôr”, é igual­men­te con­tis­ta. Es­cre­veu ape­nas um tí­tu­lo “O Rio Só Ter­mi­na na Foz”, não pu­bli­ca­do e que o po­e­ta es­cre­veu, guar­dou e man­dou pa­ra o Con­cur­so Li­te­rá­rio 1 º de Maio de 1977 da UNTA, no qu­al ob­te­ve uma men­ção hon­ro­sa.

O cri­a­dor da Re­vis­ta Mi­li­tar, la­men­ta, na en­tre­vis­ta que “já não te­mos in­dús­tria de pa­pel, em­bo­ra te­nha exis­ti­do em An­go­la um dos mai­o­res pó­los de eu­ca­lip­tos do mun­do, ao lon­go de to­do o ca­mi­nho de fer­ro de Ben­gue­la, do mar à fron­tei­ra do Mo­xi­co com a ho­je Zâm­bia. Não há eu­ca­lip­tos, ma­té­ria-pri­ma pa­ra a pro­du­ção de pa­pel. A Ce­lu­lo­se foi o que se viu, já não exis­te fá­bri­ca. As má­qui­nas, as tin­tas, o pa­pel, as cha­pas, os pro­du­tos quí­mi­cos, tu­do é im­por­ta­do. Com­pe­te ao Es­ta­do a pro­tec­ção is­cal, isen­ção ou di­mi­nui­ção efec­ti­va dos va­lo­res dos im­pos­tos e au­xí­lio ver­da­dei­ro às ti­po­gra ias que tra­ba­lham de fac­to co­mo tal, atra­vés dou­tras me­di­das per­ti­nen­tes.”

HOMENAGENS

O mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra des­ta­cou dia 7 de De­zem­bro, em Lu­an­da, o con- tri­bu­to e o le­ga­do li­te­rá­rio do es­cri­tor Car­los Pi­men­tel, fa­le­ci­do um dia an­tes, ví­ti­ma de do­en­ça.

O De­par­ta­men­to Mi­nis­te­ri­al que ve­la pe­la cul­tu­ra no país acen­tua que Car­los Pi­men­tel dei­xa um le­ga­do li­te­rá­rio en­rai­za­do no ar­qui­tex­to an­go­la­no da cul­tu­ra na­ci­o­nal, on­de se des­ta­cam as obras co­mo Pa­no Ba­ra­to (1989) e Ti­jo­lo a ti­jo­lo (1981), Men­ção hon­ro­sa do Pré­mio NO­MA-1982.

“Com uma no­tá­vel car­rei­ra li­ga­da no mun­do das le­tras em An­go­la, Car­los Pi­men­tel as­su­miu- se, des­de o prin­cí­pio dos anos 1980, com a pu­bli­ca­ção do seu pri­mei­ro li­vro, Ti­jo­lo a ti­jo­lo. De­fen­sor in­tran­si­gen­te e lu­ta­dor pe­la pre­ser­va­ção, va­lo­ri­za­ção e di­vul­ga­ção dos tra­ços iden­ti­tá­ri­os da an­go­la­ni­da­de”, lê-se no do­cu­men­to.

O mi­nis­té­rio acres­ce ain­da que Car­los Pi­men­tel, po­e­ta de mão cheia e de olho aberto pa­ra a des­co­ber­ta de no­vos ta­len­tos, ao lon­go dos anos em que exer­ceu o car­go de Di­rec­tor Ge­ral da Em­pre­sa Na­ci­o­nal de Dis­cos e Pu­bli­ca­ções “ENDIPU”, in­cen­ti­vou no­vos es­cri­to­res que pu­bli­ca­ram di­ver­sas obras li­te­rá­ri­as pa­ra o mer­ca­do na­ci­o­nal, con­tri­buin­do, as­sim, pa­ra o sur­gi­men­to do mo­vi­men­to li­te­rá­rio da Ge­ra­ção dos anos 1980.

O ES­CRI­TOR

nas­ceu Na­mi­be ( Mo­çâ­me­des), a 24 de Se­tem­bro de 1944. O fac­to de ser ori­gi­ná­rio do Sul de An­go­la não o im­pe­diu de co­mun­gar a ex­pe­ri­ên­cia da cha­ma­da “ge­ra­ção de 50” que, co­mo sa­be­mos, te­ve a ci­da­de de Lu­an­da por ber­ço. Se Ben­gue­la, pe­la voz dos po­e­tas Ai­res de Al­mei­da San­tos e Er­nes­to La­ra Fi­lho, res­pon­deu pron­ta­men­te ao gri­to li­ber­ta­dor de Lu­an­da, Na­mi­be só o faz bem mais tar­de e pe­la pe­na des­te po­e­ta.

Car­los Pi­men­tel foi mem­bro fun­da­dor da União dos Es­cri­to­res An­go­la­nos ( UEA) e da Aca­de­mia de Le­tras de An­go­la.

Vo­tan­do pa­ra os cor­pos so­ci­ais da AAL

Du­ran­te a pro­cla­ma­ção da AAL

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.