Go­ver­no de­fi­ne li­mi­tes na des­pe­sa or­ça­men­tal

Jornal de Angola - - PARTADA - KUMUÊNHO DA ROSA |

As Co­mis­sões Eco­nó­mi­ca e pa­ra a Eco­no­mia Re­al do Con­se­lho de Mi­nis­tros apro­va­ram on­tem os li­mi­tes de des­pe­sa pa­ra a elaboração do Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do de 2017, ten­do ob­ti­do as ne­ces­sá­ri­as con­tri­bui­ções por par­te dos ti­tu­la­res dos ór­gãos or­ça­men­tais. Du­ran­te a reu­nião, ori­en­ta­da pe­lo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, as Co­mis­sões pro­ce­de­ram à aná­li­se do me­mo­ran­do so­bre a si­tu­a­ção ma­cro­e­co­nó­mi­ca do país, que su­bli­nha a evo­lu­ção até ao mo­men­to dos prin­ci­pais in­di­ca­do­res de na­tu­re­za fis­cal, mo­ne­tá­ria e cam­bi­al. A reu­nião apro­vou ain­da a pro­pos­ta do Pla­no de Cai­xa do mês de Se­tem­bro de 2016, que con­tém a pro­jec­ção de en­tra­das e saí­das de re­cur­sos fi­nan­cei­ros com in­ci­dên­cia di­rec­ta na te­sou­ra­ria, no pe­río­do a que se re­por­ta. A pro­pos­ta do Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do Re­vis­to pa­ra es­te ano apro­va­da na ge­ne­ra­li­da­de pe­los de­pu­ta­dos com­por­ta re­cei­tas es­ti­ma­das em 6,9 tri­liões de kwan­zas e des­pe­sas fi­xa­das em igual mon­tan­te. O do­cu­men­to es­tá em dis­cus­são nas co­mis­sões de es­pe­ci­a­li­da­de do Par­la­men­to.

As Co­mis­sões Eco­nó­mi­ca e pa­ra Eco­no­mia Re­al do Con­se­lho de Mi­nis­tros apro­va­ram on­tem os Li­mi­tes de Des­pe­sa pa­ra a Elaboração do Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do de 2017, nu­ma al­tu­ra em que os de­pu­ta­dos dis­cu­tem na es­pe­ci­a­li­da­de a pro­pos­ta de OGE de 2016 re­vis­to.

De re­fe­rir que o li­mi­te de Re­cei­ta e Des­pe­sa do OGE 2016, apro­va­do pe­la Lei n.º 28/15 de 31 de De­zem­bro, no va­lor de 6.429.287.906.777,00 (seis tri­liões, qua­tro­cen­tos e vin­te e no­ve bi­li­o­ẽ s, du­zen­tos e oi­ten­ta e se­te mi­lho­ẽ s, no­ve­cen­tos e seis mil, se­te­cen­tos e se­ten­ta e se­te kwan­zas) foi ajus­ta­do no OGE 2016 - Re­vis­to, com­por­tan­do re­cei­tas es­ti­ma­das em KZ 6.959.728.851.527,00 (seis tri­li­o­ẽ s, no­ve­cen­tos e cin­quen­ta e no­ve bi­li­ões, se­te­cen­tos e vin­te e oi­to mi­lhões, oi­to­cen­tos e cin­quen­ta e um mil, qui­nhen­tos e vin­te e se­te kwan­zas) e de des­pe­sas fi­xa­das, em igual mon­tan­te, pa­ra o mes­mo pe­río­do.

Ain­da acres­ce que, pa­ra efei­tos de cál­cu­lo da re­cei­ta tri­bu­tá­ria pe­tro­lí­fe­ra, foi fi­xa­do, co­mo pre­ço de re­fe­rên­cia fis­cal, o va­lor de 41,00 dó­la­res, cor­res­pon­den­te ao pre­ço mé­dio es­ti­ma­do de ex­por­tação do bar­ril de pe­tró­leo bru­to pa­ra o ano em cur­so.

Na reu­nião de on­tem, que foi ori­en­ta­da pe­lo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, a pro­pos­ta de li­mi­tes da des­pe­sa te­ve con­tri­bui­ções dos ti­tu­la­res dos ór­gãos or­ça­men­tais que, por sua vez, vão fa­ci­li­tar os de­vi­dos ajus­ta­men­tos a se­rem efec­tu­a­dos no âm­bi­to do seu pro­ces­so de elaboração. Nos úl­ti­mos anos, o Exe­cu­ti­vo tem pro­cu­ra­do me­lho­rar o pro­ces­so de elaboração do OGE, me­lho­ran­do a ca­pa­ci­da­de dos ges­to­res das uni­da­des or­ça­men­tais em to­das as pro­vín­ci­as. A pro­pos­ta do OGE pa­ra 2017 co­me­çou a ser ela­bo­ra­da num ce­ná­rio de al­gu­ma in­cer­te­za de­vi­do às os­ci­la­ções da co­ta­ção do pe­tró­leo no mer­ca­do mun­di­al, cu­jo prin­ci­pal re­fle­xo é a re­vi­são or­ça­men­tal em cur­so pa­ra o exer­cí­cio de 2016. Re­cor­de-se que, ape­sar do au­men­to das re­cei­tas do sec­tor não pe­tro­lí­fe­ro nos úl­ti­mos anos, o pe­tró­leo é ain­da a prin­ci­pal fon­te de re­cei­tas pa­ra o país.

O Exe­cu­ti­vo tem le­va­do a ca­bo um pro­ces­so de ajus­ta­men­to das des­pe­sas pú­bli­cas, com a in­tro­du­ção de al­te­ra­ções nas po­lí­ti­cas or­ça­men­tais, vi­san­do dar pri­o­ri­da­de na re­a­li­za­ção da des­pe­sa com pes­so­al e em bens e ser­vi­ços. Des­de a apro­va­ção da res­pec­ti­va lei nº 15/10, de 14 de Ju­lho, on­de cons­tam as ins­tru­ções ema­na­das pe­lo ti­tu­lar do po­der Exe­cu­ti­vo que es­ta­be­le­cem as re­gras e os pro­ce­di­men­tos a se­rem ob­ser­va­dos pe­las uni­da­des or­ça­men­ta­das do Es­ta­do e seus ór­gãos de­pen­den­tes, tem ha­vi­do me­lho­ri­as sig­ni­fi­ca­ti­vas na elaboração e apre­sen­ta­ção do OGE.

O Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do é um pla­no fi­nan­cei­ro anu­al ou plu­ri­a­nu­al, que re­flec­te os ob­jec­ti­vos, as me­tas e ac­ções con­ti­das no ins­tru­men­to do pla­ne­a­men­to nacional.

A Lei 15/10 de­fi­ne que o OGE pa­ra 2017 de­ve dar en­tra­da na As­sem­bleia Nacional, pa­ra apre­ci­a­ção e vo­ta­ção fi­nal, en­tre 28 e 31 de Ou­tu­bro, com os vá­ri­os ór­gãos da ad­mi­nis­tra­ção pú­bli­ca a te­rem de ca­bi­men­tar as des­pe­sas e pro­jec­tos em fun­ção do tec­to de des­pe­sas a de­fi­nir.

As Co­mis­sões pro­ce­de­ram à aná­li­se de um Me­mo­ran­do so­bre a si­tu­a­ção ma­cro­e­co­nó­mi­ca, do­cu­men­to que efec­tua um di­ag­nós­ti­co pre­ci­so das cau­sas sub­ja­cen­tes ao mo­men­to ad­ver­so que o País atra­ves­sa, tra­ça as pers­pec­ti­vas de evo­lu­ção eco­nó­mi­ca pa­ra os pró­xi­mos me­ses, su­bli­nhan­do tam­bém a evo­lu­ção até ao mo­men­to dos prin­ci­pais in­di­ca­do­res de na­tu­re­za fis­cal, mo­ne­tá­ria e cam­bi­al. A reu­nião apro­vou a Pro­pos­ta de Pla­no de Cai­xa do mês de Se­tem­bro de 2016, con­ten­do a pro­jec­ção de en­tra­das e saí­das de re­cur­sos fi­nan­cei­ros com in­ci­dên­cia di­rec­ta na te­sou­ra­ria, no pe­río­do a que se re­por­ta.

FRANCISCO BERNARDO

Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos ori­en­tou reu­nião da Equi­pa Eco­nó­mi­ca

FRANCISCO BERNARDO

Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca ori­en­tou on­tem a reu­nião das Co­mis­sões Eco­nó­mi­ca e pa­ra a Eco­no­mia Re­al do Con­se­lho de Mi­nis­tros

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.