Oi­to cen­te­nas de bens di­ver­sos exi­bem o se­lo “Fei­to em An­go­la”

Jornal de Angola - - PARTADA -

Mais de 800 pro­du­tos na­ci­o­nais exi­bem o se­lo “Fei­to em An­go­la” atri­buí­do pe­lo Mi­nis­té­rio da Eco­no­mia des­de 2012, al­tu­ra em que foi lan­ça­do, dis­se ter­ça-fei­ra à An­gop a co­or­de­na­do­ra des­se pro­gra­ma ins­ti­tu­ci­o­nal.

Ana Ce­les­te anun­ci­ou que 90 mi­cro, pe­que­nas e mé­di­as em­pre­sas es­tão as­so­ci­a­das ao pro­gra­ma e que a me­ta é atin­gir cem até ao fi­nal des­te ano, pe­lo que se es­tá a tra­ba­lhar nas pro­vín­ci­as em que mais se re­gis­ta o sur­gi­men­to de no­vas em­pre­sas.

“Es­ta­mos a cri­ar um gru­po de apoio pa­ra aten­der as pro­vín­ci­as com uma mas­sa con­si­de­rá­vel de em­pre­sas, co­mo Ben­gue­la, Huí­la e Na­mi­be, on­de pre­ten­de­mos an­ga­ri­ar no­vas em­pre­sas e in­te­grá-las no pro­gra­ma”, afir­mou.

O pro­gra­ma já con­ta com em­pre­sas as­so­ci­a­das das pro­vín­ci­as de Lu­an­da, Cabinda, Uí­ge e Zai­re mas o nú­me­ro de can­di­da­tu­ras ao pro­gra­ma con­ti­nua a cres­cer. Al­gu­mas em­pre­sas pro­cu­ram me­lho­rar a ex­po­si­ção ao va­lor acres­cen­ta­do nacional (VAN) de pe­lo me­nos 50 por cen­to na produção, vis­to que não reú­nem es­tes re­qui­si­tos, dis­se.

“Pa­ra um pro­du­to ser ad­mi­ti­do ao pro­gra­ma, pre­ci­sa de ter um VAN de pe­lo me­nos 50 por cen­to. Al­gu­mas em­pre­sas im­por­tam pro­du­tos e em­ba­lam no ter­ri­tó­rio nacional, pe­lo que es­tes pro­du­tos não po­dem ser con­si­de­ra­dos na­ci­o­nais, ou me­lhor, não são fei­tos em An­go­la”, ex­pli­cou. Sem avan­çar o nú­me­ro de em­pre­sas que so­li­ci­tam ade­são ao pro­gra­ma, Ana Ce­les­te con­si­de­rou ser gran­de o im­pac­to des­ta em­prei­ta­da.

Qu­an­to à acei­ta­ção dos pro­du­tos fei­tos em An­go­la pe­los con­su­mi­do­res, dis­se que, ho­je, gran­de par­te das fa­mí­li­as an­go­la­nas tem à me­sa vá­ri­os pro­du­tos de mar­ca nacional, so­bre­tu­do ago­ra, que o país pro­cu­ra di­ver­si­fi­car a eco­no­mia pa­ra re­du­zir os ní­veis de im­por­ta­ção.

Os in­cen­ti­vos pa­ra as em­pre­sas que ade­rem ao pro­gra­ma são di­ver­sos, des­de a uti­li­za­ção do lo­gó­ti­po do pro­gra­ma, aces­so à for­ma­ção e a vi­si­bi­li­da­de em cam­pa­nhas pu­bli­ci­tá­ri­as, en­tre ou­tros be­ne­fí­ci­os.

O pro­gra­ma “Fei­to em An­go­la” foi lan­ça­do a 18 de Maio de 2012 e in­se­re-se nas me­di­das do Exe­cu­ti­vo pa­ra a di­na­mi­za­ção das mi­cro, pe­que­nas e mé­di­as em­pre­sas, pro­mo­ção do em­pre­en­de­do­ris­mo, cri­a­ção de em­pre­gos e com­ba­te à po­bre­za, atra­vés do fo­men­to dos pro­du­tos e ser­vi­ços pro­du­zi­dos em ter­ri­tó­rio nacional.

O Exe­cu­ti­vo de­fi­niu li­nhas es­tra­té­gi­cas a lon­go pra­zo, plas­ma­das na es­tra­té­gia An­go­la 2025, que iden­ti­fi­ca ei­xos li­ga­dos à pro­mo­ção do de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel, es­ta­bi­li­da­de ma­cro­e­co­nó­mi­ca e er­ra­di­ca­ção da po­bre­za, avan­çou Ana Ce­les­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.