Tri­bu­nal con­fir­ma pri­são de par­la­men­tar do PAIGC

Jornal de Angola - - MUNDO -

O Supremo Tri­bu­nal de Jus­ti­ça da Gui­né-Bis­sau in­de­fe­riu o pe­di­do de ‘ha­be­as cor­pus’ apre­sen­ta­do pe­lo ad­vo­ga­do do de­pu­ta­do Ga­bri­el Sow, de­ti­do no pas­sa­do dia 28 de Ju­lho, con­fir­man­do des­ta for­ma a de­ten­ção.

O Supremo Tri­bu­nal gui­ne­en­se, atra­vés da Câ­ma­ra Cri­mi­nal, emi­tiu um acór­dão a dar con­ta do in­de­fe­ri­men­to da pro­vi­dên­cia de 'ha­be­as cor­pus' com o qual o ad­vo­ga­do de Ga­bri­el Sow so­li­ci­ta­va a sua li­ber­ta­ção.

Sow foi de­ti­do, por or­dem de um juiz, no dia 28 de Ju­lho, em ple­na via pú­bli­ca em Bis­sau, e ime­di­a­ta­men­te con­du­zi­do pa­ra o es­ta­be­le­ci­men­to pri­si­o­nal de Ba­fa­tá, a 150 qui­ló­me­tros da ca­pi­tal gui­ne­en­se, on­de se en­con­tra des­de en­tão.

O ad­vo­ga­do do po­lí­ti­co ale­gou co­mo fun­da­men­to pa­ra pe­dir a sua li­ber­ta­ção o fac­to de es­te ter si­do de­ti­do sem que lhe te­nha si­do le­van­ta­da a imu­ni­da­de par­la­men­tar.

O par­ti­do a que per­ten­ce Ga­bri­el Sow, o PAIGC, tem exi­gi­do a li­ber­ta­ção do de­pu­ta­do cu­ja de­ten­ção con­si­de­ra co­mo abu­so de po­der por par­te do ju­di­ci­al.

O Supremo Tri­bu­nal in­vo­ca co­mo ar­gu­men­to pa­ra ne­gar o pro­vi­men­to de 'ha­be­as cor­pus' o fac­to de Ga­bri­el Sow ter si­do con­de­na­do a uma pe­na de oi­to anos de pri­são efec­ti­va e que es­sa con­de­na­ção te­nha si­do tran­si­ta­da em jul­ga­do.

O de­pu­ta­do foi con­de­na­do num pro­ces­so de uma em­pre­sa co­mer­ci­al de que era só­cio ge­ren­te e que de­cla­rou fa­lên­cia. O Supremo Tri­bu­nal ne­ga ain­da o pro­vi­men­to pe­lo fac­to de Ga­bri­el Sow ter re­cor­ri­do a um tri­bu­nal afri­ca­no do qual diz aguar­dar o re­cur­so in­ter­pos­to, in­vo­can­do que aque­la ins­tân­cia não tem com­pe­tên­cia pa­ra jul­gar “in­frac­ções pe­nais co­me­ti­das por di­ri­gen­tes de so­ci­e­da­des co­mer­ci­ais no exer­cí­cio das su­as fun­ções de ges­tão”. O se­cre­tá­rio na­ci­o­nal do PAIGC, Aly Hi­jazy, ame­a­çou no prin­cí­pio do pas­sa­do mês de Agos­to que o par­ti­do deu ori­en­ta­ções aos seus de­pu­ta­dos pa­ra não par­ti­ci­pa­rem nos tra­ba­lhos par­la­men­ta­res até à li­ber­ta­ção do de­pu­ta­do Ga­bri­el Sow.

O PAIGC con­si­de­ra “um abu­so” a de­ten­ção de um de­pu­ta­do sem que lhe te­nha si­do le­van­ta­da a imu­ni­da­de par­la­men­tar.

O PAIGC apre­sen­tou, ain­da, co­mo con­di­ção pa­ra vol­tar aos tra­ba­lhos par­la­men­ta­res, a exo­ne­ra­ção do Pro­cu­ra­dor-Ge­ral da República, António Sed­ja Man.

Além das ame­a­ças ao boi­co­te aos tra­ba­lhos par­la­men­ta­res, o PAIGC avi­sa que não vai dis­cu­tir o pro­gra­ma do Go­ver­no en­tre­gue por Ba­ci­ro Djá ao Par­la­men­to por­que se tra­ta de “um plá­gio” feito ao seu pro­gra­ma de ac­ção. O par­ti­do li­de­ra­do por Domingos Si­mões Pe­rei­ra pe­diu ao Pre­si­den­te gui­ne­en­se, Jo­sé Má­rio Vaz, pa­ra de­mi­tir o go­ver­no de Ba­ci­ro Djá que, em qua­se três me­ses, não con­se­guiu apre­sen­tar no Par­la­men­to o seu pla­no de ac­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.