Des­co­ber­to tra­ta­men­to efi­caz

DO­EN­ÇAS PARASITÁRIAS Me­di­ca­men­to re­no­va es­pe­ran­ça de mi­lha­res de pa­ci­en­tes

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

Ci­en­tis­tas ame­ri­ca­nos iden­ti­fi­ca­ram um no­vo tra­ta­men­to que po­de ser efi­caz pa­ra com­ba­ter do­en­ças parasitárias, res­pon­sá­veis por mais de 50 mil mor­tes por ano no mun­do, se­gun­do um es­tu­do pu­bli­ca­do pe­la re­vis­ta es­pe­ci­a­li­za­da “Na­tu­re”.

O me­di­ca­men­to, de­sen­vol­vi­do por pes­qui­sa­do­res do Ins­ti­tu­to de Ge­nó­mi­ca da No­var­tis, nos Es­ta­dos Uni­dos, de­mons­trou a sua efi­cá­cia em ra­tos pa­ra a do­en­ça de cha­gas, a leish­ma­ni­o­se e a tri­pa­nos­so­mía­se afri­ca­na, do­en­ças que afec­tam 20 mi­lhões de pes­so­as, es­pe­ci­al­men­te em co­mu­ni­da­des po­bres da Amé­ri­ca La­ti­na, da Ásia e de Áfri­ca.

Os pa­ra­si­tas que cau­sam as três do­en­ças são se­me­lhan­tes, por is­so o gru­po de pes­qui­sa­do­res ame­ri­ca­nos pro­cu­rou iden­ti­fi­car uma pro­teí­na co­mum a to­dos eles que pos­sa ser­vir de al­vo de um úni­co re­mé­dio. De­pois de ava­li­ar cer­ca de três mi­lhões de pro­teí­nas can­di­da­tas, os ci­en­tis­tas en­con­tra­ram um com­pos­to viá­vel, cha­ma­do GNF6702, ca­paz de blo­que­ar de for­ma se­lec­ti­va a ac­ti­vi­da­de dos pa­ra­si­tas.

Ape­sar de exis­ti­rem tra­ta­men­tos pa­ra cha­gas, leish­ma­ni­o­se e tri­pa­nos­so­mía­se afri­ca­na, eles são ca­ros, têm efei­tos li­mi­ta­dos e são mal to­le­ra­dos por al­guns pa­ci­en­tes, pro­ble­mas que o no­vo com­pos­to pre­ten­de di­mi­nuir.

“Tra­ta-se de um pas­so adi­an­te na nos­sa com­pre­en­são dos pa­ra­si­tas que cau­sam es­sas três do­en­ças e que, po­ten­ci­al­men­te, nos vai per­mi­tir cu­rá-las”, afir­mou Je­remy Mot­tram, um dos ci­en­tis­tas en­vol­vi­dos no es­tu­do. Cal­cu­la-se que 120 mi­lhões de pes­so­as es­te­jam em ris­co de con­trair cha­gas, que têm 300 mil no­vos ca­sos de­tec­ta­dos a ca­da ano.

A in­fec­ção pro­vo­ca, nu­ma pri­mei­ra fa­se, fe­bres e in­cha­ço dos nó­du­los lin­fá­ti­cos, sin­to­mas que po­dem evo­luir pa­ra um qua­dro se­ve­ro e pro­vo­car a mor­te se não fo­rem tra­ta­dos. Os pa­ci­en­tes in­fec­ta­dos pe­lo pa­ra­si­ta cos­tu­mam pas­sar por uma fa­se as­sin­to­má­ti­ca que po­de du­rar me­ses ou ano , mas ór­gãos co­mo o co­ra­ção e o sis­te­ma di­ges­ti­vo são da­ni­fi­ca­dos.

A leish­ma­ni­o­se pro­duz dois mi­lhões de ca­sos anu­ais em 88 paí­ses, es­pe­ci­al­men­te em re­giões em de­sen­vol­vi­men­to, dos quais meio mi­lhão com ris­co de mor­te pa­ra os pa­ci­en­tes. A tri­pa­nos­so­mía­se afri­ca­na, co­nhe­ci­da co­mo a do­en­ça do so­no, tem mais de 500 mil no­vos ca­sos por ano e pro­vo­ca de­sor­dens neu­ro­ló­gi­cas e en­dó­cri­nas, que po­dem le­var à mor­te se não fo­rem tra­ta­das.

AFP

In­ves­ti­ga­do­res iden­ti­fi­cam um com­pos­to viá­vel ca­paz de blo­que­ar a ac­ti­vi­da­de dos pa­ra­si­tas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.