Cam­pa­nha por­ta-a-por­ta

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

Uma cam­pa­nha de edu­ca­ção am­bi­en­tal e ci­da­da­nia é re­a­li­za­da ama­nhã, por­ta-a-por­ta, no bair­ro Zan­ga­do, dis­tri­to ur­ba­no do Ran­gel, mu­ni­cí­pio de Lu­an­da, pe­lo Nú­cleo de Jo­vens Es­tu­dan­tes Li­ga­dos à Li­te­ra­tu­ra e Ar­te.

Um do­cu­men­to, en­vi­a­do on­tem ao Jor­nal de An­go­la, re­fe­re que o ob­jec­ti­vo da cam­pa­nha, que co­me­ça às 9h30 sob o le­ma “Re­ci­cla os seus há­bi­tos, pro­du­za me­nos li­xo”, é in­cen­ti­var os mo­ra­do­res do Zan­ga­do a pau­ta­rem por uma con­du­ta po­si­ti­va em re­la­ção ao meio am­bi­en­te e à ci­da­da­nia.Já ao te­le­fo­ne, o co­or­de­na­dor da cam­pa­nha, Adwa­ne Ki­lun­do, dis­se ao Jor­nal de An­go­la que a in­ten­ção é a re­a­li­za­ção até De­zem­bro de cam­pa­nhas e pa­les­tras so­bre edu­ca­ção am­bi­en­tal e ci­da­da­nia nas co­mu­ni­da­des e nos es­ta­be­le­ci­men­tos es­co­la­res.

O ac­ti­vis­ta dis­se es­pe­rar que a cam­pa­nha con­si­ga al­can­çar os re­sul­ta­dos es­pe­ra­dos que são a re­du­ção e pro­du­ção des­ne­ces­sá­ria de li­xo pe­las fa­mí­li­as, a co­lo­ca­ção de re­sí­du­os só­li­dos em lo­cais apro­pri­a­dos e a di­mi­nui­ção da po­lui­ção dos so­los, da água e do ar, pa­ra a me­lho­ria da qua­li­da­de de vi­da.

Du­ran­te a cam­pa­nha, vão ser dis­tri­buí­das car­ti­lhas in­for­ma­ti­vas so­bre edu­ca­ção am­bi­en­tal e ci­da­da­nia em lo­cais on­de, re­cen­te­men­te, a Ad­mi­nis­tra­ção do Ran­gel re­a­li­zou uma cam­pa­nha de lim­pe­za. Os or­ga­ni­za­do­res pre­ten­dem en­vol­ver­se os mu­ní­ci­pes, atra­vés de ini­ci­a­ti­vas que pos­si­bi­li­tem um au­men­to do ní­vel de cons­ci­ên­cia am­bi­en­tal.

Os mai­o­res go­ri­las do mun­do têm si­do em­pur­ra­dos pa­ra a ex­tin­ção, de­vi­do ao au­men­to da ca­ça ile­gal na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go, e ago­ra es­tão “em pe­ri­go crí­ti­co”, aler­ta­ram es­pe­ci­a­lis­tas nes­te do­min­go. Com ape­nas cin­co mil exem­pla­res de go­ri­las do ori­en­te (go­ril­la­be­rin­gei) em to­do o pla­ne­ta, a es­pé­cie en­fren­ta ago­ra o ris­co de de­sa­pa­re­cer com­ple­ta­men­te, ad­ver­ti­ram au­to­ri­da­des na con­fe­rên­cia glo­bal da União In­ter­na­ci­o­nal pa­ra a Con­ser­va­ção da Na­tu­re­za (IUCN, si­gla em in­glês), em Ho­no­lu­lu, Ha­vai.

Qua­tro em ca­da seis dos gran­des sí­mi­os da ter­ra es­tão clas­si­fi­ca­dos na ca­te­go­ria “em pe­ri­go crí­ti­co” e “a ape­nas um pas­so de se­rem ex­tin­tos”, in­cluin­do os go­ri­las do ori­en­te e do oci­den­te e os oran­go­tan­gos de Bor­néu e o de Su­ma­tra, se­gun­do a ac­tu­a­li­za­ção mais re­cen­te da lis­ta ver­me­lha da IUCN, o in­ven­tá­rio mais com­ple­to de es­pé­ci­es ani­mais e ve­ge­tais do mun­do. Os chim­pan­zés e os bo­no­bos são da­dos co­mo “em pe­ri­go”. “Ver o go­ri­la do ori­en­te - um dos nos­sos pri­mos mais pró­xi­mos - a ca­mi­nho da ex­tin­ção é ver­da­dei­ra­men­te an­gus­ti­an­te”, de­sa­ba­fou o di­rec­tor-ge­ral da IUCN, In­ger An­der­sen.

A gu­er­ra, a ca­ça e a per­da de ter­ras pa­ra os re­fu­gi­a­dos, nos úl­ti­mos 20 anos, le­va­ram a um “de­clí­nio de­vas­ta­dor de mais de 70 por cen­to” da po­pu­la­ção do go­ri­la do ori­en­te, de acor­do com a IUCN. Uma das du­as su­bes­pé­ci­es do go­ri­la do ori­en­te, o de grau­er (go­ril­la­be­rin­gei­grau­e­ri), di­mi­nuiu dras­ti­ca­men­te des­de 1994, quan­do ha­via 16.900 in­di­ví­du­os, pa­ra ape­nas 3.800 em 2015. Ape­sar de ile­gal, a ca­ça é a mai­or ame­a­ça que es­ses ma­ca­cos en­fren­tam, re­la­ta­ram pes­qui­sa­do­res. Os nú­me­ros da se­gun­da su­bes­pé­cie do go­ri­la do ori­en­te - o das mon­ta­nhas (go­ril­la­be­rin­gei­be­rin­gei) - ti­ve­ram uma pe­que­na re­cu­pe­ra­ção, to­ta­li­zan­do cer­ca de 880 in­di­ví­du­os. A ac­tu­a­li­za­ção da lis­ta ver­me­lha de es­pé­ci­es ame­a­ça­das in­clui 82.954 es­pé­ci­es de plan­tas e de ani­mais, das quais qu­a­se um ter­ço (23.928) es­tá ame­a­ça­do de ex­tin­ção. Hou­ve uma boa no­tí­cia pa­ra os pan­das, que pas­sa­ram da ca­te­go­ria “em pe­ri­go” pa­ra o gru­po “vul­ne­rá­vel”, gra­ças aos es­for­ços in­ten­si­vos de con­ser­va­ção por par­te da Chi­na.

A si­tu­a­ção do an­tí­lo­pe ti­be­ta­no (pantho­lopshodg­so­nii) tam­bém me­lho­rou, de­pois de me­di­das de pro­tec­ção que aju­da­ram o ani­mal a pas­sar de “em pe­ri­go” pa­ra “qu­a­se ame­a­ça­do”, de­pois de um pi­co de ca­ça co­mer­ci­al pa­ra a re­ti­ra­da de sua va­li­o­sa pe­le, uti­li­za­da pa­ra pro­du­zir xai­les. Mas a si­tu­a­ção­pa­re­ce ter pi­o­ra­do pa­ra ou­tras es­pé­ci­es, co­mo a ze­bra da pla­ní­cie (equ­us­quag­ga), que pas­sou de uma es­pé­cie “se­gu­ra ou pou­co pre­o­cu­pan­te” pa­ra “qu­a­se ame­a­ça­da.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.