Ruí­nas na Ci­da­de Ve­lha em des­ta­que na im­pren­sa

Jornal de Angola - - CULTURA -

O si­te no­ti­ci­o­so “Fa­ce2­fa­ce Áfri­ca”, que se de­di­ca à ac­tu­a­li­da­de dos paí­ses do con­ti­nen­te, anun­ci­ou nu­ma ma­té­ria pu­bli­ca­da on­tem que ti­nha si­do “de­sen­ter­ra­da a ci­da­de per­di­da dos es­cra­vos”, de Ca­bo Ver­de.

Se­gun­do o jor­nal “Ex­pres­so das Ilhas”, de Ca­bo Ver­de, o ar­ti­go ci­ta co­mo fon­te uma re­por­ta­gem da CNN pu­bli­ca­da no fi­nal de Ju­lho, que fa­la so­bre o ca­so das es­ca­va­ções ar­que­o­ló­gi­cas le­va­das a ca­bo por uma equi­pa da Uni­ver­si­da­de de Cam­brid­ge (Rei­no Uni­do).

A re­por­ta­gem, di­vul­ga­da no ano pas­sa­do, des­ta­ca que foi de­sen­ter­ra­da a pri­mei­ra igre­ja cons­truí­da por eu­ro­peus na re­gião da Áfri­ca Sub­sa­a­ri­a­na, nu­ma “ci­da­de ve­lha” (Ri­bei­ra Gran­de de San­tia­go).

O re­pór­ter con­fun­de a des­co­ber­ta das ruí­nas des­ta igre­ja, cu­ja exis­tên­cia já se co­nhe­cia sem que se con­se­guis­se en­con­trar a sua lo­ca­li­za­ção pa­ra efei­tos de es­ca­va­ções ar­que­o­ló­gi­cas, com a des­co­ber­ta de uma ci­da­de de es­cra­vos per­di­da, co­mo se to­da a ci­da­de ve­lha ti­ves­se si­do ago­ra des­co­ber­ta em es­ca­va­ções.

A pe­ça no­ti­ci­o­sa tam­bém con­fun­de os lei­to­res quan­do exi­be uma fo­to­gra­fia de uma rua da ci­da­de ve­lha (rua Ba­na­na, uma das pou­cas que con­ser­va a ar­qui­tec­tu­ra an­ti­ga). Co­mo le­gen­da, a fo­to é acom­pa­nha­da com os di­ze­res “Ci­da­de ca­pi­tal das ilhas de Ca­bo Ver­de, Praia é tam­bém a mai­or ci­da­de do ar­qui­pé­la­go e o mai­or cen­tro co­mer­ci­al e ci­da­de-por­to.”

A ideia de que na área on­de foi en­con­tra­da a igre­ja pos­sam es­tar so­ter­ra­dos ou­tros edi­fí­ci­os e cons­tru­ções é plau­sí­vel, con­for­me ex­pli­cou à CNN Jail­son Mon­tei­ro, téc­ni­co do Ins­ti­tu­to do Pa­tri­mó­nio Cul­tu­ral. Em­bo­ra o pró­prio téc­ni­co ad­mi­ta que não se sa­be ain­da a mag­ni­tu­de do que po­de ser en­con­tra­do, di­fi­cil­men­te se po­de fa­lar nu­ma “ci­da­de per­di­da dos es­cra­vos” e nem a CNN, fon­te da pe­ça, dis­põe de mais da­dos pa­ra fa­lar so­bre o as­sun­to.

Pa­tri­mó­nio da Hu­ma­ni­da­de

A Ci­da­de Ve­lha lo­ca­li­za-se no con­ce­lho da Ri­bei­ra Gran­de de San­tia­go, a 15 qui­ló­me­tros a oes­te da Praia, na cos­ta de Ca­bo Ver­de. Cons­ti­tui-se na pri­mei­ra ci­da­de cons­truí­da pe­los eu­ro­peus nos tró­pi­cos e na pri­mei­ra ca­pi­tal do ar­qui­pé­la­go de Ca­bo Ver­de. Foi pri­mi­ti­va­men­te de­no­mi­na­da co­mo Ri­bei­ra Gran­de, vin­do a mu­dar de no­me pa­ra evi­tar am­bi­gui­da­de com a po­vo­a­ção ho­mó­ni­ma, na ilha de San­to An­tão.

A 10 de Ju­nho de 2009 foi clas­si­fi­ca­da co­mo uma das Se­te Ma­ra­vi­lhas de Ori­gem Por­tu­gue­sa no Mun­do. De­vi­do à sua his­tó­ria, ma­ni­fes­ta­da por um va­li­o­so pa­tri­mó­nio ar­qui­tec­tó­ni­co, a 26 de Ju­nho do mes­mo ano foi clas­si­fi­ca­da pe­la UNESCO co­mo Pa­tri­mó­nio Mun­di­al da Hu­ma­ni­da­de.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.