400 mil elei­to­res re­gis­ta­dos

Se­cre­tá­rio de Es­ta­do anun­cia con­clu­são do cre­den­ci­a­men­to dos fis­cais dos par­ti­dos po­lí­ti­cos

Jornal de Angola - - PARTADA - ADELINA INÁ­CIO e JOÃO DI­AS |

O se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra os As­sun­tos Ins­ti­tu­ci­o­nais anun­ci­ou on­tem em Lu­an­da que mais de 400 mil ci­da­dãos já ac­tu­a­li­za­ram os da­dos do re­gis­to elei­to­ral e re­a­li­za­ram a pro­va de vi­da. Adão de Al­mei­da anun­ci­ou os no­vos nú­me­ros do re­gis­to elei­to­ral à im­pren­sa no fi­nal da ac­tu­a­li­za­ção de da­dos dos juí­zes e pro­cu­ra­do­res, no Pa­lá­cio da Jus­ti­ça.

O se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra os As­sun­tos Ins­ti­tu­ci­o­nais, Adão de Al­mei­da, anun­ci­ou on­tem, em Lu­an­da, que 400 mil ci­da­dãos já ac­tu­a­li­za­ram os da­dos e re­a­li­za­ram a pro­va de vi­da. Adão de Al­mei­da, que fa­lou à im­pren­sa no fi­nal da ac­tu­a­li­za­ção de da­dos dos juí­zes e pro­cu­ra­do­res, no Pa­lá­cio da Jus­ti­ça, sa­li­en­tou que o Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio con­ti­nua a tra­ba­lhar pa­ra o al­can­ce dos ob­jec­ti­vos.

“Con­ti­nu­a­mos a ter in­di­ca­do­res po­si­ti­vos em re­la­ção aos nos­sos tra­ba­lhos”, dis­se, adi­an­tan­do que di­a­ri­a­men­te es­tão dis­po­ní­veis 800 ope­ra­do­res dis­tri­buí­dos em pos­tos fi­xos e mó­veis em di­fe­ren­tes lo­cais do país. Adão de Al­mei­da fa­lou tam­bém do pro­ces­so de cre­den­ci­a­men­to dos par­ti­dos po­lí­ti­cos e es­cla­re­ceu que o cre­den­ci­a­men­to dos fis­cais é fei­to ten­do em con­ta o nú­me­ro de bri­ga­das pre­vis­tas.

“Cre­den­ci­a­men­tos até três fis­cais de ca­da par­ti­do por bri­ga­da, is­so pa­ra per­mi­tir que os par­ti­dos po­lí­ti­cos pos­sam ter o fis­cal que con­tro­la os pos­tos fi­xos e ou­tros que acom­pa­nham os pos­tos mó­veis que se des­do­bram pe­las di­fe­ren­tes lo­ca­li­da­des”, ex­pli­cou, adi­an­tan­do que o pro­ces­so de cre­den­ci­a­men­to es­tá con­cluí­do. Até ao mo­men­to fo­ram re­ce­bi­dos qua­tro mil so­li­ci­ta­ções de cre­den­ci­a­men­to e fo­ram emi­ti­dos cer­ca de 3.600 cre­den­ci­ais.

Pro­ces­sos in­de­fe­ri­dos

Adão de Al­mei­da aler­tou so­bre a exis­tên­cia de pro­ces­sos dos par­ti­dos po­lí­ti­cos que fo­ram in­de­fe­ri­dos pe­lo fac­to de os pe­di­dos não pos­suí­rem a do­cu­men­ta­ção ne­ces­sá­ria pa­ra o efei­to. Mas adi­an­tou que exis­te uma in­te­rac­ção com os par­ti­dos po­lí­ti­cos pa­ra cor­ri­gir os ele­men­tos em fal­ta. Re­fe­riu con­tu­do que as cre­den­ci­ais emi­ti­das pe­lo Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio per­mi­tem aos par­ti­dos po­lí­ti­cos fa­zer a fis­ca­li­za­ção do pro­ces­so con­si­de­ran­do o nú­me­ro de pos­tos que es­tão pre­vis­tos.

Adão de Al­mei­da afir­mou que ca­da par­ti­do po­de cre­den­ci­ar até 1.788 fis­cais à ra­zão de três fis­cais por bri­ga­da, mas que ne­nhum par­ti­do so­li­ci­tou cre­den­ci­a­men­to até es­te ní­vel. O par­ti­do que mais cre­den­ci­ais so­li­ci­tou foi o MPLA, com cer­ca de 1500 so­li­ci­ta­ções. Os ou­tros têm me­nos, dis­se Adão de Al­mei­da.

Por is­so, en­ten­de ser ne­ces­sá­rio uma in­te­rac­ção com os par­ti­dos po­lí­ti­cos de mo­do que eles te­nham co­nhe­ci­men­to da pro­gra­ma­ção. “Com es­ta pro­gra­ma­ção, os par­ti­dos po­lí­ti­cos po­dem acom­pa­nhar e fa­zer o pro­gra­ma de co­lo­ca­ção dos seus fis­cais em fun­ção”, re­for­çou.

Con­fi­an­ça nas ins­ti­tui­ções

O Pro­cu­ra­dor-Ge­ral da Re­pú­bli­ca, João Ma­ria de Sou­sa, pe­diu que os ci­da­dãos con­fi­em nas ins­ti­tui­ções vo­ca­ci­o­na­das pa­ra tra­tar do pro­ces­so elei­to­ral. Pa­ra João Ma­ria de Sou­sa, par­ti­ci­par na ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral é, por um la­do, um di­rei­to, mas tam­bém um de­ver pa­trió­ti­co que ca­da ci­da­dão de­ve ob­ser­var no sen­ti­do de ga­ran­tir que os re­sul­ta­dos fu­tu­ros cor­res­pon­dam aos seus an­sei­os.

“Cum­pri o meu de­ver cí­vi­co e va­mos aguar­dar que no pró­xi­mo ano to­dos pos­sam par­ti­ci­par nas elei­ções ge­rais”, dis­se adi­an­tan­do que as elei­ções es­tão mar­ca­das pa­ra 2017. “Es­ta é uma fa­se ini­ci­al e es­pe­ro que tu­do cor­ra bem”, dis­se. “Acho que não há ra­zões pa­ra du­vi­dar da re­a­li­za­ção das elei­ções e do su­ces­so das mes­mas”, dis­se o Pro­cu­ra­dor-Ge­ral da Re­pú­bli­ca.

O pre­si­den­te do Tri­bu­nal Su­pre­mo, Ma­nu­el Ara­gão, dis­se igual­men­te que cum­priu um de­ver cí­vi­co e ape­lou a to­dos os ci­da­dãos no sen­ti­do de fa­ze­rem o mes­mo. O pre­si­den­te do Tri­bu­nal de Con­tas, Ju­lião An­tó­nio, con­si­de­rou a ac­tu­a­li­za­ção dos da­dos e a pro­va de vi­da co­mo um ac­to de re­no­va­ção do pro­ces­so de re­gis­to que ha­bi­li­ta o ci­da­dão a vo­tar. En­ten­de que o re­gis­to vai per­mi­tir tam­bém a par­ti­ci­pa­ção, de for­ma ac­ti­va, no pro­ces­so de es­co­lha do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca e dos de­pu­ta­dos à As­sem­bleia Na­ci­o­nal. “Cum­prin­do es­te de­ver es­ta­re­mos a con­tri­buir pa­ra aqui­lo que os ci­da­dãos que­rem. Es­te é o mo­men­to de nos pre­pa­ra­mos pa­ra o exer­cí­cio de ci­da­da­nia, es­co­lhen­do aque­les que fa­rão par­te da di­rec­ção do país”, dis­se o juiz pre­si­den­te do Tri­bu­nal de Con­tas.

Fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos

O Mi­nis­té­rio da In­dús­tria tem des­de o iní­cio des­ta se­ma­na um pos­to de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral pa­ra aten­der os fun­ci­o­ná­ri­os e ou­tras pes­so­as in­te­res­sa­das. O pe­que­no pos­to es­tá à por­ta do edi­fí­cio 25, on­de fun­ci­o­na o Mi­nis­té­rio da In­dús­tria, na rua Cer­quei­ra Lu­ko­ki, In­gom­bo­ta. O ob­jec­ti­vo é ac­tu­a­li­zar o re­gis­to elei­to­ral de to­dos os tra­ba­lha­do­res do sec­tor e de quem por ali cir­cu­la.

O se­cre­tá­rio de Es­ta­do da In­dús­tria, Ki­a­la Ga­bri­el, fez on­tem a ac­tu­a­li­za­ção do seu re­gis­to elei­to­ral no pos­to ins­ta­la­do à por­ta do Mi­nis­té­rio da In­dús­tria, e apro­vei­tou a oca­sião pa­ra ape­lar aos ci­da­dãos em ge­ral a acor­re­rem aos pos­tos de re­gis­to ins­ta­la­dos um pou­co por to­do o país pa­ra a ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral.

Ki­a­la Ga­bri­el, que te­ceu es­tas con­si­de­ra­ções após ter efec­tu­a­do a ac­tu­a­li­za­ção do seu re­gis­to, des­ta­cou a im­por­tân­cia do ac­to, que ha­bi­li­ta o ci­da­dão a ter a opor­tu­ni­da­de de ex­pri­mir o seu di­rei­to de vo­to. “Vim exer­cer o meu di­rei­to de ci­da­da­nia e o ape­lo que fa­ço é o mes­mo que fiz aos fun­ci­o­ná­ri­os do Mi­nis­té­rio. Ape­lo aos de­mais ci­da­dãos que fa­çam o mes­mo.”

A fun­ci­o­ná­ria pú­bli­ca Ma­ria Ali­ce ain­da não efec­tu­ou o seu re­gis­to, mas re­ve­la que es­ta ques­tão es­tá na sua agen­da pes­so­al e que tão lo­go dis­po­nha de al­gum tem­po vai fa­zê-lo, pois en­ten­de ser um de­ver que dá lu­gar a um di­rei­to: o de vo­tar. “Sou ci­da­dã e sin­to-me no de­ver de ac­tu­a­li­zar o meu re­gis­to elei­to­ral pa­ra exer­cer o meu di­rei­to de vo­to quan­do for ne­ces­sá­rio”, dis­se Ma­ria Ali­ce.

Bran­ca Ma­nu­el, 55 anos, fez a ac­tu­a­li­za­ção do seu re­gis­to elei­to­ral e em fun­ção dis­so já sa­be on­de vai vo­tar em 2017. “Sou ci­da­dã com to­do o or­gu­lho e por is­so aten­di ao cha­ma­do. Es­tá mui­to bem or­ga­ni­za­do es­te pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to. É sim­ples e mui­to rá­pi­do. As coi­sas es­tão mui­to bem ela­bo­ra­das e por is­so não cus­ta na­da”, elo­gi­ou a fun­ci­o­ná­ria do Mi­nis­té­rio da In­dús­tria.

A Ali­an­ça Pa­trió­ti­ca Na­ci­o­nal. O vi­ce-pre­si­den­te, Mar­cos Can­ga, dis­se que o seu par­ti­do tem cre­den­ci­a­dos fis­cais em to­dos os mu­ni­cí­pi­os do país, mas ad­mi­te que te­ve di­fi­cul­da­des nas pro­vín­ci­as do Zai­re e da Lun­da Sul.

MO­TA AM­BRÓ­SIO

Juí­zes e pro­cu­ra­do­res re­a­li­za­ram a ac­tu­a­li­za­ção dos seus da­dos elei­to­rais na pre­sen­ça do se­cre­tá­rio de Es­ta­do Adão de Al­mei­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.