Su­dão do Sul vai ter mais for­ças de paz

Jornal de Angola - - MUNDO -

O Go­ver­no do Su­dão do Sul e o Con­se­lho de Se­gu­ran­ça da ONU anun­ci­a­ram na se­gun­da-fei­ra num co­mu­ni­ca­do con­jun­to que o país afri­ca­no acei­tou re­ce­ber mais 4.000 ca­pa­ce­tes azuis su­ple­men­ta­res.

“O go­ver­no de tran­si­ção de união na­ci­o­nal con­cor­dou com o des­ta­ca­men­to da for­ça re­gi­o­nal”, re­fe­re o co­mu­ni­ca­do li­do à im­pren­sa em Ju­ba, ca­pi­tal do país, pe­lo mi­nis­tro su­da­nês dos As­sun­tos Go­ver­na­men­tais, Mar­tin Elia Lo­mo­ro.

Mar­tin Elia Lo­mo­ro re­cor­dou que o des­ta­ca­men­to foi au­to­ri­za­do pe­la Re­so­lu­ção 2.304 do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça da ONU, que de­ci­diu au­men­tar pa­ra 17.000 efec­ti­vos a mis­são no Su­dão do Sul, e acres­cen­tou que o con­sen­ti­men­to pa­ra a en­tra­da de ca­pa­ce­tes azuis foi da­do “pa­ra me­lho­rar a si­tu­a­ção de se­gu­ran­ça, co­mo par­te da UNMISS Mis­são da ONU no Su­dão do Sul”, acres­cen­tou o mi­nis­tro.

Os sol­da­dos da ONU, co­nhe­ci­dos co­mo ca­pa­ce­tes azuis, são for­ças mi­li­ta­res mul­ti­na­ci­o­nais de ma­nu­ten­ção da paz com mis­sões de­fi­ni­das pe­las Na­ções Uni­das pa­ra ac­tu­ar em zo­nas de con­fli­to ar­ma­do.

En­tre­tan­to, mem­bros do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça das Na­ções Uni­das ter­mi­na­ram, no do­min­go, uma vi­a­gem de três di­as ao Su­dão do Sul que ser­viu pa­ra ava­li­ar o que a ONU con­si­de­ra uma “cri­se hu­ma­ni­tá­ria ar­ra­sa­do­ra” e ma­ni­fes­ta­ram uma “enor­me pre­o­cu­pa­ção” com o es­ta­do da na­ção mais jo­vem do mun­do. A de­le­ga­ção do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça que in­te­grou os em­bai­xa­do­res Sa­mantha Power, dos EUA, e Fo­dé Seck, do Se­ne­gal, de­sem­bar­cou em Ju­ba, na sex­ta-fei­ra, e vi­si­tou os cen­tros de pro­tec­ção aos ci­vis co­or­de­na­dos pe­la Mis­são da ONU no Su­dão do Sul.

Ao fa­zer o re­la­tó­rio da ava­li­a­ção, a em­bai­xa­do­ra Sa­mantha Power afir­mou que o Go­ver­no do Su­dão do Sul tem fa­lha­do na co­o­pe­ra­ção com a ONU, que a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal es­tá mui­to de­cep­ci­o­na­da e tem si­do di­fí­cil ter aces­so hu­ma­ni­tá­rio pa­ra ali­men­tar as pes­so­as.

O Con­se­lho de Se­gu­ran­ça da ONU, re­fe­riu, acre­di­ta que a im­ple­men­ta­ção, de fac­to, do acor­do de paz é a me­lhor so­lu­ção pa­ra evi­tar mais de­ses­ta­bi­li­za­ção no país, nu­ma al­tu­ra em que da­dos da ONU re­ve­lam que 10 mil sul-su­da­ne­ses fu­gi­ram pa­ra o Ugan­da e 4,8 mi­lhões es­tão a so­frer de for­ma se­ve­ra com a in­se­gu­ran­ça ali­men­tar.

A vi­o­lên­cia se­xu­al é ou­tro pro­ble­ma. Em Ju­lho, fo­ram do­cu­men­ta­dos mais de 200 ca­sos de vi­o­la­ções se­xu­ais, in­cluin­do es­tu­pros co­lec­ti­vos. A mor­te de ci­vis e as vi­o­la­ções se­xu­ais cho­ca­ram o Con­se­lho de Se­gu­ran­ça, dis­se a em­bai­xa­do­ra dos EUA na ONU.

Os con­fli­tos, con­cluiu Sa­mantha Power, pi­o­ra­ram a se­gu­ran­ça no país e agra­va­ram uma cri­se hu­ma­ni­tá­ria que já era ar­ra­sa­do­ra.

AFP

Che­fe de Es­ta­do sul-su­da­nês Sal­va Ki­ir au­to­ri­zou o en­vio de mais ca­pa­ce­tes azuis

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.