TAAG com­pra Bo­eing 777

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

An­go­la con­traiu um em­prés­ti­mo de 153,6 mi­lhões de dó­la­res pa­ra ga­ran­tir a en­tre­ga do ter­cei­ro avião Bo­eing 777-300 ER en­co­men­da­do pe­la com­pa­nhia aé­rea TAAG, nos ter­mos de um des­pa­cho pre­si­den­ci­al.

O tex­to do des­pa­cho, que con­ce­de um aval do Es­ta­do à ope­ra­ção, in­for­ma que se tra­ta de um “em­prés­ti­mo in­ter­ca­lar” con­ce­di­do pe­la Bo­eing Ca­pi­tal Cor­po­ra­ti­on (BCC), jus­ti­fi­ca­do pe­la “ne­ces­si­da­de” da “pon­tu­a­li­da­de da en­tre­ga por par­te do fa­bri­can­te, ini­ci­al­men­te pre­vis­ta pa­ra Agos­to des­te ano”.

O Go­ver­no an­go­la­no te­ve de apro­var o em­prés­ti­mo in­ter­ca­lar, vis­to que o fi­nan­ci­a­men­to pre­vis­to pa­ra ser con­ce­di­do pe­lo Ban­co de Ex­por­ta­ções e Im­por­ta­ções dos Es­ta­dos Uni­dos pa­ra es­ta aqui­si­ção não es­tá ain­da dis­po­ní­vel. A en­tre­ga des­te apa­re­lho, a úl­ti­ma de uma en­co­men­da de três, che­gou a ser anun­ci­a­da pa­ra Ju­nho pas­sa­do pe­lo ad­mi­nis­tra­dor da com­pa­nhia aé­rea de ban­dei­ra an­go­la­na.

O con­tra­to pa­ra a aqui­si­ção dos três B777 foi as­si­na­do en­tre a TAAG e a Bo­eing a 27 de Mar­ço de 2012, ten­do o pri­mei­ro avião en­tra­do ao ser­vi­ço em 2014. O ter­cei­ro avião de­ve­ria ter che­ga­do a Lu­an­da em Ju­nho pas­sa­do, de­pois de con­cluí­do o pro­ces­so de fi­nan­ci­a­men­to, pa­ra ga­ran­tir as li­ga­ções de An­go­la pa­ra a Amé­ri­ca do Sul a par­tir de Ju­lho. Em Fe­ve­rei­ro, a TAAG anun­ci­ou a com­pra de dois no­vos Bo­eing 777 pa­ra en­trar em ope­ra­ção a par­tir de Abril. Com os no­vos aviões, a TAAG au­men­tou as frequên­ci­as nas ro­tas en­tre Lu­an­da e Lis­boa e Ha­va­na. O ne­gó­cio foi anun­ci­a­do pe­lo ad­mi­nis­tra­dor exe­cu­ti­vo da com­pa­nhia, Wil­li­am Boul­ter, na Te­le­vi­são Pú­bli­ca An­go­la­na (TPA) a 24 de Fe­ve­rei­ro. O va­lor fi­nal do ne­gó­cio não foi re­ve­la­do, mas o mo­de­lo mais ba­ra­to da ga­ma da Bo­eing 777 cus­ta 277 mi­lhões de dó­la­res, en­quan­to o mais ca­ro tem um pre­ço de 400 mi­lhões, se­gun­do os va­lo­res apre­sen­ta­dos pe­lo fa­bri­can­te.

Nes­te mo­men­to, a em­pre­sa con­ta com cin­co Bo­eing 737 que as­se­gu­ram as ro­tas do­més­ti­cas. Já os vo­os in­ter­na­ci­o­nais pa­ra Cu­ba, Bra­sil e Por­tu­gal são as­se­gu­ra­dos por seis Bo­eing 777.

Na al­tu­ra, o ges­tor anun­ci­ou que a com­pa­nhia pre­ten­dia ga­nhar no­vos cli­en­tes e fo­men­tar o tu­ris­mo atra­vés da pro­mo­ção do país a ní­vel in­ter­no e in­ter­na­ci­o­nal. “Qu­e­re­mos ele­var os pa­drões dos ser­vi­ços pa­ra ga­nhar­mos quo­ta de mer­ca­do”, afir­mou. O lí­der da TAAG ad­mi­tiu que a cri­se afec­ta­va a com­pa­nhia e, por is­so, a em­pre­sa ajus­tou o seu “pla­no de ne­gó­ci­os pa­ra fa­zer fa­ce à cri­se”.

O Go­ver­no an­go­la­no as­si­nou em 2014 com a Emi­ra­tes um con­tra­to de ges­tão da TAAG. Ape­sar de a com­pa­nhia con­ti­nu­ar a ser uma em­pre­sa pú­bli­ca, com se­de em Lu­an­da, a ges­tão pas­sou a ser fei­ta pe­la trans­por­ta­do­ra aé­rea dos Emi­ra­dos Ára­bes Uni­dos. A no­va equi­pa de ges­tão da TAAG, man­da­ta­da pe­la Emi­ra­tes, as­su­miu o car­go no ano pas­sa­do e o avi­so à na­ve­ga­ção foi fei­to pou­co de­pois. “Não ha­ve­rá re­tor­no aos ve­lhos tem­pos de per­for­man­ce in­di­fe­ren­te, de en­ga­nar a com­pa­nhia e de apro­pri­a­ção in­de­vi­da dos fun­dos da com­pa­nhia e de equi­pa­men­tos”, dis­se o pre­si­den­te exe­cu­ti­vo da TAAG, Pe­ter Hill, em No­vem­bro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.