CA­SA-CE en­cer­ra II Con­gres­so com de­ci­são de pas­sar a par­ti­do

Jornal de Angola - - PARTADA - BERNARDINO MANJE |

O II Con­gres­so Ordinário da CA­SA-CE de­li­be­rou on­tem pe­la trans­for­ma­ção da co­li­ga­ção em par­ti­do e ori­en­tou os ór­gãos exe­cu­ti­vos des­ta for­ma­ção po­lí­ti­ca a pas­sa­rem à fa­se de exe­cu­ção da de­ci­são.

De acor­do com uma re­so­lu­ção emi­ti­da no fi­nal do Con­gres­so que re­e­le­geu Abel Chi­vu­ku­vu­ku no car­go de pre­si­den­te do fu­tu­ro par­ti­do, a de­ci­são foi to­ma­da em res­pei­to ao es­ta­be­le­ci­do no n.º 3 do ar­ti­go 3.º dos Es­ta­tu­tos da CA­SA-CE, apro­va­dos pe­lo I Con­gres­so Ex­tra­or­di­ná­rio, re­a­li­za­do em 2013, da Lei dos Par­ti­dos Po­lí­ti­cos, dos acor­dos cons­ti­tu­ti­vos, das de­li­be­ra­ções do Con­se­lho De­li­be­ra­ti­vo Na­ci­o­nal e das re­so­lu­ções saí­das dos con­gres­sos da mai­o­ria dos par­ti­dos cons­ti­tu­ti­vos da co­li­ga­ção.

O II Con­gres­so Ordinário de­ci­diu ain­da que o fu­tu­ro par­ti­do adop­te a si­gla CA­SA (Con­ver­gên­cia Am­pla de Sal­va­ção Na­ci­o­nal), eli­mi­nan­do as­sim o su­fi­xo “CE”, de Co­li­ga­ção Elei­to­ral. Em re­ac­ção à de­ci­são, Ale­xan­dre Se­bas­tião An­dré, pre­si­den­te do PADDA-AP, um dos par­ti­dos co­li­ga­dos à CA­SA e que des­de o iní­cio se ma­ni­fes­tou con­tra a trans­for­ma­ção em par­ti­do, mi­ni­mi­zou a re­so­lu­ção saí­da do II Con­gres­so Ordinário des­ta for­ma­ção po­lí­ti­ca, afir­man­do que uma de­ci­são co­mo es­ta não de­ve ser to­ma­da por de­cre­to.

Ale­xan­dre An­dré, que no en­tan­to foi re­con­du­zi­do por Abel Chi­vu­ku­vu­ku pa­ra ocu­par uma das seis vi­ce-pre­si­dên­ci­as da CA­SA, dis­se que a de­ci­são da trans­for­ma­ção da co­li­ga­ção em par­ti­do foi uma de­ci­são dos de­le­ga­dos e ca­be ago­ra às for­ma­ções po­lí­ti­cas co­li­ga­das pro­nun­ci­a­rem-se. “A CA­SA-CE ain­da não es­tá trans­for­ma­da em par­ti­do. A co­li­ga­ção con­ti­nua. Não exis­te ne­nhu­ma trans­for­ma­ção do pon­to de vis­ta ma­te­ri­al. A CA­SA-CE tem pes­so­as sin­gu­la­res, que são os mi­li­tan­tes (que to­ma­ram es­ta de­ci­são), mas tam­bém tem as pes­so­as co­lec­ti­vas, que são os par­ti­dos po­lí­ti­cos a si co­li­ga­dos”, sus­ten­tou o po­lí­ti­co, lem­bran­do que fo­ram es­tes (par­ti­dos) que cons­ti­tuí­ram a co­li­ga­ção. “Es­tes par­ti­dos são os pi­la­res le­gais da CA­SA-CE”, su­bli­nhou, re­fe­rin­do-se ao PAL­MA, PADDA-AP, PPA e PNSA.

De acor­do ain­da com a re­so­lu­ção, li­da por Wil­li­am To­net, o II Con­gres­so Ordinário da CA­SA apro­vou a es­tra­té­gia elei­to­ral cons­ti­tuí­da por dez me­di­das su­ge­ri­das por Abel Chi­vu­ku­vu­ku, pa­ra a ela­bo­ra­ção do pro­gra­ma de go­ver­no às pró­xi­mas elei­ções ge­rais. Os es­ta­tu­tos fo­ram igual­men­te apro­va­dos, ins­tru­men­to ju­rí­di­co que vai re­gu­lar o fun­ci­o­na­men­to e or­ga­ni­za­ção dos ór­gãos e es­tru­tu­ras da CA­SA. Fi­nal­men­te, exor­tou to­dos os an­go­la­nos a en­ga­ja­rem-se no pro­ces­so do registo elei­to­ral.

Vi­ce-pre­si­den­tes

Ain­da on­tem, foi con­fe­ri­da a pos­se do pre­si­den­te elei­to, bem co­mo apre­sen­ta­dos os seis vi­ce-pre­si­den­tes in­di­ca­dos por Abel Chi­vu­ku­vu­ku. Tra­ta-se de An­dré Men­des de Car­va­lho “Mi­au”, Ma­nu­el Fernandes, Lin­do Ber­nar­do Ti­to, Ce­si­nan­da Xa­vi­er, Wil­li­am To­net e Ale­xan­dre Se­bas­tião An­dré, que foi al­vo de apu­pos da mai­o­ria dos de­le­ga­dos, cla­ra­men­te por ter si­do de­fen­sor da não trans­for­ma­ção da CA­SA-CE em par­ti­do.

Os mem­bros do Con­se­lho De­li­be­ra­ti­vo Na­ci­o­nal (CDN) fo­ram pos­te­ri­or­men­te apre­sen­ta­dos, em que cons­tam no­mes co­mo os dos can­di­da­tos der­ro­ta­dos Car­los Pi­nho e João Ka­lu­pe­te­ca, bem co­mo a es­po­sa e o ir­mão, Ma­ria Vi­tó­ria Chi­vu­ku­vu­ku e Amé­ri­co Chi­vu­ku­vu­ku, res­pec­ti­va­men­te.

Ao en­cer­rar o Con­gres­so, Chi­vu­ku­vu­ku agra­de­ceu aos can­di­da­tos der­ro­ta­dos pe­lo pa­pel de­sem­pe­nha­do du­ran­te o conclave e com­pro­me­teu-se a tra­ba­lhar com eles em prol da for­ma­ção po­lí­ti­ca e da po­pu­la­ção.

Aos con­gres­sis­tas, exor­tou o ar­re­ga­çar das man­gas, ten­do em con­ta os pró­xi­mos com­pro­mis­sos. “Se qui­ser­mos co­e­são so­ci­al, te­mos de tra­ba­lhar, se­não con­ti­nu­a­re­mos na si­tu­a­ção de po­bre­za em que nos en­con­tra­mos. Eu es­tou pron­to e acre­di­to que vós tam­bém es­tais pron­tos. Ago­ra é ho­ra de tra­ba­lho”, en­co­ra­jou.

Pa­ra ho­je es­tá pre­vis­ta a elei­ção do se­cre­tá­rio-exe­cu­ti­vo na­ci­o­nal e seu ad­jun­to, am­bos pro­pos­tos pe­lo pre­si­den­te. Sa­be-se des­de já que Le­o­nel Go­mes de­ve ser re­con­du­zi­do no car­go de se­cre­tá­rio-exe­cu­ti­vo na­ci­o­nal. Ain­da pa­ra ho­je, de­vem ser apre­sen­ta­das as com­po­si­ções dos con­se­lhos Pre­si­den­ci­al e Exe­cu­ti­vo Na­ci­o­nal, as­sim co­mo do Se­cre­ta­ri­a­do Exe­cu­ti­vo Na­ci­o­nal. A CA­SA-CE é a ter­cei­ra mai­or for­ça po­lí­ti­ca na As­sem­bleia Na­ci­o­nal, on­de ocu­pa oi­to as­sen­tos.

SAN­TOS PE­DRO

De­le­ga­dos en­tre­ga­ram ao pre­si­den­te re­e­lei­to a cha­ve sim­bó­li­ca da CA­SA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.