Go­ver­no e for­ças da opo­si­ção pro­cu­ram da­ta pa­ra as elei­ções

Pre­si­den­te Jo­seph Ka­bi­la pro­mo­ve de­ba­te in­ter­no so­bre as elei­ções

Jornal de Angola - - PARTADA - ELEAZAR VAN-DÚNEM |

As de­cla­ra­ções do mi­nis­tro con­go­lês dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros, Ray­mond Tshi­ban­da, em Lu­an­da, se­gun­do as quais o seu Go­ver­no pro­cu­ra en­con­trar con­sen­sos pa­ra as elei­ções ge­rais de­cor­re­rem num cli­ma de paz e es­ta­bi­li­da­de, de­mons­tra a von­ta­de do Go­ver­no de Kinsha­sa em de­sa­nu­vi­ar a ten­são no país, agra­va­da após a co­mis­são elei­to­ral ad­mi­tir adi­ar a vo­ta­ção ini­ci­al­men­te pre­vis­ta pa­ra No­vem­bro e o Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal de­ter­mi­nar que o Pre­si­den­te ces­san­te, Jo­seph Ka­bi­la, po­de con­ti­nu­ar a go­ver­nar com o adi­a­men­to.

No­tí­ci­as di­vul­ga­das re­cen­te­men­te nos mei­os de co­mu­ni­ca­ção so­ci­al da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go (RDC) dão con­ta que, num fó­rum com os par­ti­dos do po­der e da opo­si­ção cri­a­do pe­lo Pre­si­den­te con­go­lês pa­ra dis­cu­tir as pró­xi­mas elei­ções ge­rais, as for­ças po­lí­ti­cas que apoi­am Jo­seph Ka­bi­la ex­cluí­ram do seu dis­cur­so a pos­si­bi­li­da­de de o ac­tu­al Che­fe de Es­ta­do, cu­jo man­da­to ter­mi­na em 19 de De­zem­bro des­te ano, se can­di­da­tar a um ter­cei­ro man­da­to, ile­gal à luz da Cons­ti­tui­ção con­go­le­sa.

Na mais re­cen­te ci­mei­ra da Co­mu­ni­da­de de De­sen­vol­vi­men­to da Áfri­ca Aus­tral (SADC), re­a­li­za­da em Mba­ba­ne, ca­pi­tal da Su­a­zi­lân­dia, os Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no da Co­mu­ni­da­de re­a­fir­ma­ram à RDC a exi­gên­cia pe­lo res­pei­to da Re­so­lu­ção 2277 do Con­se­lho de Se­gu­ran­ça da ONU, que re­co­men­da que a co­mis­são elei­to­ral con­go­le­sa pu­bli­que um ca­len­dá­rio pa­ra a re­a­li­za­ção de elei­ções ge­rais e ao Go­ver­no con­go­lês que crie con­di­ções fi­nan­cei­ras pa­ra tal. Além da SADC, a União Afri­ca­na, União Eu­ro­peia e Or­ga­ni­za­ção In­ter­na­ci­o­nal da Fran­co­fo­nia têm de­fen­di­do a “im­por­tân­cia cru­ci­al” de um diá­lo­go en­tre to­dos os po­lí­ti­cos con­go­le­ses que con­du­za ao con­sen­so e à re­a­li­za­ção de elei­ções ge­rais li­vres, jus­tas e trans­pa­ren­tes.

O Se­cre­tá­rio-Ge­ral da ONU ma­ni­fes­tou por vá­ri­as ve­zes “pro­fun­da com­pre­en­são” com o au­men­to das ten­sões e com o que cha­ma de “con­tí­nua in­cer­te­za” so­bre o pro­ces­so elei­to­ral na RDC e pe­diu o “es­tri­to res­pei­to das li­ber­da­des e dos di­rei­tos fun­da­men­tais” pre­vis­tos na Cons­ti­tui­ção, bem co­mo “con­ten­ção e ex­pres­são das opi­niões de for­ma pa­cí­fi­ca”.

O Con­se­lho de Se­gu­ran­ça, que alar­gou até 31 de Mar­ço de 2017 o man­da­to da Mis­são da ONU na RDC e man­tém um con­tin­gen­te de 20 mil efec­ti­vos no país, ape­lou ao Go­ver­no con­go­lês pa­ra ga­ran­tir que as elei­ções pre­vis­tas pa­ra No­vem­bro “se­jam re­a­li­za­das com su­ces­so e den­tro do pra­zo”. Mas, co­mo de­mons­tra o anún­cio da co­mis­são elei­to­ral, se­gun­do o qual o atra­so da ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral tor­na ine­vi­tá­vel adi­ar as elei­ções por pe­lo me­nos um ano e meio, o ape­lo não foi se­gui­do.

As de­cla­ra­ções ago­ra pro­fe­ri­das em Lu­an­da pe­lo mi­nis­tro con­go­lês dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros pa­re­cem in­di­car que a pres­são da co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal es­tá a dar fru­tos e uma pos­tu­ra mais vol­ta­da ao apa­zi­gua­men­to com as ou­tras for­ças da so­ci­e­da­de glo­bal con­go­le­sa.

O de­sa­nu­vi­a­men­to da ten­são na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go é po­si­ti­vo, mas o Go­ver­no con­go­lês de­ve dar mais pas­sos pa­ra con­ven­cer a opo­si­ção, a so­ci­e­da­de ci­vil e a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal que o adi­a­men­to das elei­ções não é uma ma­no­bra do Pre­si­den­te con­go­lês “pa­ra pro­te­lar a sua ine­vi­tá­vel saí­da da Pre­si­dên­cia”, co­mo acu­sam os de­trac­to­res de Jo­seph Ka­bi­la. Es­tes pas­sos po­di­am in­cluir uma de­cla­ra­ção do Pre­si­den­te con­go­lês a afas­tar de­fi­ni­ti­va­men­te os ru­mo­res da ale­ga­da pre­ten­são de al­te­rar a Cons­ti­tui­ção con­go­le­sa pa­ra lhe per­mi­tir con­cor­rer a um ter­cei­ro man­da­to, anun­ci­ar uma no­va da­ta “ina­diá­vel” pa­ra a re­a­li­za­ção do es­cru­tí­nio, do­tar a Co­mis­são elei­to­ral de au­to­no­mia e mei­os fi­nan­cei­ros pa­ra con­cluir o re­gis­to elei­to­ral no mais cur­to es­pa­ço de tem­po e con­ven­cer as for­ças po­lí­ti­cas que ain­da não par­ti­ci­pam no fó­rum de diá­lo­go que pro­mo­ve reu­niões pe­rió­di­cas en­tre os par­ti­dos do po­der e da opo­si­ção a in­te­grá-lo.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

Jo­seph Ka­bi­la cri­ou fó­rum com os par­ti­dos po­lí­ti­cos do Go­ver­no e da opo­si­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.