Es­co­las nas uni­da­des mi­li­ta­res en­cer­ra­das

RE­DE PÚ­BLI­CA De­ci­são anun­ci­a­da on­tem pe­lo res­pon­sá­vel da Edu­ca­ção em Lu­an­da

Jornal de Angola - - NECROLOGIA - VICTORINO JO­A­QUIM |

As es­co­las em ac­ti­vi­da­de nas uni­da­des mi­li­ta­res da pro­vín­cia de Lu­an­da vão ser en­cer­ra­das bre­ve­men­te, por­que a ac­tu­al si­tu­a­ção que o sec­tor da Edu­ca­ção vi­ve já não jus­ti­fi­ca que ha­ja alu­nos a es­tu­da­rem em uni­da­des cas­tren­ses, anun­ci­ou, on­tem, o di­rec­tor do Ga­bi­ne­te Pro­vin­ci­al de Lu­an­da da Edu­ca­ção.

An­dré So­ma, que fa­la­va à co­mu­ni­ca­ção so­ci­al à mar­gem do Con­se­lho de Di­rec­ção Alar­ga­do do Ga­bi­ne­te Pro­vin­ci­al da Edu­ca­ção de Lu­an­da, in­for­mou que as es­co­las sa­em das uni­da­des mi­li­ta­res pa­ra lo­cais a in­di­car pos­te­ri­or­men­te.

“Os quar­téis são pa­ra al­ber­gar mi­li­ta­res e ar­mas e não jo­vens de ba­tas bran­cas”, acen­tu­ou o di­rec­tor pro­vin­ci­al da Edu­ca­ção, que acres­cen­tou es­tar o seu ga­bi­ne­te a tra­ba­lhar, há já al­gum tem­po, com o Mi­nis­té­rio da De­fe­sa, re­pre­sen­ta­do pe­los mi­li­ta­res res­pon­sá­veis de di­rec­ção des­sas es­co­las, e tu­do es­tá a ser fei­to pa­ra que ne­nhum alu­no fi­que sem es­tu­dar.

An­dré So­ma ex­pli­cou que as es­co­las nas uni­da­des mi­li­ta­res fo­ram cri­a­das pa­ra a for­ma­ção aca­dé­mi­ca de mi­li­ta­res, mas, mais tar­de, mui­tos dos fi­lhos de mi­li­ta­res, por fal­ta de va­gas nas es­co­las pú­bli­cas, aca­ba­ram por ser ma­tri­cu­la­dos nes­sas es­co­las, on­de, até ho­je, são tam­bém for­ma­dos mui­tos jo­vens.

Uma ou­tra ra­zão pa­ra o en­cer­ra­men­to das es­co­las nas uni­da­des mi­li­ta­res, de acor­do com An­dré So­ma, tem a ver com o pen­sa­men­to de que “não é mui­to acon­se­lhá­vel mis­tu­rar ci­vis com mi­li­ta­res.”

An­dré So­ma anun­ci­ou, pa­ra o dia 20 des­te mês, a re­a­li­za­ção pe­lo Ga­bi­ne­te Pro­vin­ci­al dos Re­gis­tos de Lu­an­da de uma ac­ção es­pe­ci­al de pro­va de vi­da e ac­tu­a­li­za­ção de da­dos dos pro­fes­so­res e do pes­so­al ad­mi­nis­tra­ti­vo de Lu­an­da, no Pa­vi­lhão Gim­no­des­por­ti­vo da Ci­da­de­la Des­por­ti­va, sob o le­ma “Pro­fes­so­res, pre­sen­tes”. O res­pon­sá­vel pe­lo sec­tor da Edu­ca­ção em Lu­an­da de­cla­rou que a cri­se eco­nó­mi­ca e fi­nan­cei­ra es­tá a “afec­tar o nor­mal fun­ci­o­na­men­to das es­co­las no que diz res­pei­to à aqui­si­ção de ma­te­ri­al de lim­pe­za e de re­po­si­ção dos mei­os in­for­má­ti­cos, de má­qui­nas fo­to­co­pi­a­do­ras e de reprodução de tex­tos.”

En­vol­vi­men­to da so­ci­e­da­de

A cri­se, acres­cen­tou An­dré So­ma, cria tam­bém trans­tor­nos aos pro­gra­mas de re­pa­ra­ção e con­ser­va­ção dos imó­veis e ao pa­ga­men­to de ou­tros ser­vi­ços ne­ces­sá­ri­os ao tra­ba­lho do­cen­te e ad­mi­nis­tra­ti­vo.

“Es­ta re­a­li­da­de tem le­va­do a que mui­tas di­rec­ções de es­co­las so­li­ci­tem o apoio e a co­la­bo­ra­ção dos pais e en­car­re­ga­dos de edu­ca­ção pa­ra mi­ni­mi­zar ou so­lu­ci­o­nar al­guns dos pro­ble­mas”, sa­li­en­tou An­dré So­ma, pa­ra quem é im­por­tan­te a co­la­bo­ra­ção dos en­car­re­ga­dos de edu­ca­ção e dos pais pa­ra o bom fun­ci­o­na­men­to das es­co­las.

A reu­nião de on­tem pers­pec­ti­vou as ac­ções que vão ser de­sen­vol­vi­das em 2017 e apre­sen­tou o ba­lan­ço do ano lec­ti­vo pas­sa­do.

DO­MIN­GOS CADÊNCIA

A re­de pú­bli­ca ab­sor­ve na pro­vín­cia de Lu­an­da mi­lhões de alu­nos na sequên­cia dos in­ves­ti­men­tos fei­tos no sec­tor de­pois do al­can­ce da paz

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.