Aca­de­mia de Le­tras en­trou em fun­ções

Jornal de Angola - - PARTADA - KÁTIA RA­MOS |

Mai­or aten­ção ao fac­tor cul­tu­ral, em par­ti­cu­lar a an­go­la­ni­da­de, é um de­sa­fio que a mi­nis­tra da Cul­tu­ra, Ca­ro­li­na Cer­quei­ra, dei­xou on­tem no Me­mo­ri­al An­tó­nio Agos­ti­nho Neto, em Lu­an­da, pa­ra a di­rec­ção da re­cém-for­ma­da Aca­de­mia An­go­la­na de Le­tras, pre­si­di­da por Bo­a­ven­tu­ra Cardoso.Pa­ra a mi­nis­tra, a as­so­ci­a­ção cri­a­da é um re­co­nhe­ci­men­to aos ho­mens das ar­tes e a to­dos os que aju­da­ram a ele­var a li­te­ra­tu­ra e os es­tu­dos so­ci­ais a um ní­vel mais am­plo. Ca­ro­li­na Cer­quei­ra con­si­de­ra a iden­ti­fi­ca­ção das ca­rac­te­rís­ti­cas dos an­go­la­nos um de­sa­fio de­ter­mi­nan­te pa­ra en­con­trar o con­jun­to de pas­sos com vis­ta à con­so­li­da­ção da Na­ção.

Mai­or aten­ção ao fac­tor cul­tu­ral, em par­ti­cu­lar a an­go­la­ni­da­de, é um de­sa­fi­os que a mi­nis­tra da Cul­tu­ra, Ca­ro­li­na Cer­quei­ra, dei­xou on­tem no Me­mo­ri­al An­tó­nio Agos­ti­nho Neto, em Lu­an­da, pa­ra a di­rec­ção da re­cém-for­ma­da Aca­de­mia An­go­la­na de Le­tras.

Pa­ra a mi­nis­tra, a as­so­ci­a­ção cri­a­da é um re­co­nhe­ci­men­to aos ho­mens das ar­tes e a to­dos os aju­da­ram a ele­var a li­te­ra­tu­ra e os es­tu­dos so­ci­ais a um ní­vel mais am­plo. Ca­ro­li­na Cer­quei­ra con­si­de­ra a iden­ti­fi­ca­ção das ca­rac­te­rís­ti­cas dos an­go­la­nos um de­sa­fio de­ter­mi­nan­te pa­ra en­con­trar o con­jun­to de pas­sos com vis­ta à con­so­li­da­ção da Na­ção.

Além dis­so, pe­diu tam­bém apoio des­tes in­te­lec­tu­ais das le­tras e ci­ên­ci­as na mai­or sal­va­guar­da e di­vul­ga­ção dos va­lo­res morais, “num mo­men­to em que re­gis­ta­mos a sua que­bra acen­tu­a­da e pre­ci­sa­mos de re­flec­tir so­bre o ru­mo a to­mar no pro­ces­so edu­ca­ti­vo e de so­ci­a­li­za­ção das fa­mí­li­as”.

Ou­tro de­sa­fio que a mi­nis­tra propôs é a aju­da na in­tro­du­ção das lín­guas na­ci­o­nais no sis­te­ma de en­si­no, que o Exe­cu­ti­vo co­me­çou já a im­ple­men­tar e ac­tu­al­men­te os in­te­lec­tu­ais são cha­ma­dos a con­tri­buir. “Os re­sul­ta­dos são mais ani­ma­do­res quan­do as cri­an­ças têm aces­so à edu­ca­ção na sua lín­gua ma­ter­na”, jus­ti­fi­cou. Um úl­ti­mo de­sa­fio que apre­sen­tou pa­ra a no­va Aca­de­mia An­go­la­na de Le­tras é a de se ela­bo­rar o pa­drão da lín­gua por­tu­gue­sa, atra­vés da de­fi­ni­ção da gra­má­ti­ca e do lé­xi­co. “São qua­tro de­sa­fi­os im­por­tan­tes.” Ca­ro­li­na Cer­quei­ra des­ta­cou ain­da o fac­to da Aca­de­mia An­go­la­na de Le­tras ter si­do pro­cla­ma­da no Dia In­ter­na­ci­o­nal da De­mo­cra­cia, que es­te ano se ce­le­bra sob o le­ma “For­ta­le­cer a De­mo­cra­cia é con­di­ção es­sen­ci­al pa­ra al­can­çar o de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel até 2030”. “É in­dis­cu­tí­vel o pa­pel das le­tras an­go­la­nas na pro­mo­ção e pre­ser­va­ção das con­quis­tas de­mo­crá­ti­cas, po­den­do os mem­bros des­ta aca­de­mia con­tri­buir pa­ra o pro­ces­so de de­mo­cra­ti­za­ção em cur­so no país, fa­zen­do ou­vir a sua voz em prol das po­lí­ti­cas pú­bli­cas de in­clu­são so­ci­al e na mo­bi­li­za­ção dos ci­da­dãos pa­ra a ac­ção cí­vi­ca”, dis­se.

A Aca­de­mia é for­ma­da por 43 mem­bros, en­tre es­cri­to­res de re­no­me e in­ves­ti­ga­do­res das ci­ên­ci­as so­ci­ais, cu­jos tra­ba­lhos fo­ram pu­bli­ca­dos em an­to­lo­gi­as e nou­tros tra­ba­lhos co­lec­ti­vos, que são es­tu­da­dos em vá­ri­as par­tes do mun­do.

Du­ran­te o ac­to de pro­cla­ma­ção, o pre­si­den­te da con­se­lho de ad­mi­nis­tra­ção da Aca­de­mia, Bo­a­ven­tu­ra Cardoso, apro­vei­tou pa­ra re­no­var o com­pro­mis­so dos mem­bros de tra­ba­lha­rem mais na dig­ni­fi­ca­ção das lín­guas na­ci­o­nais, hon­ran­do o gé­nio cri­a­dor e in­ven­ti­vo dos an­go­la­nos, com ba­se nas ge­ra­ções pre­ce­den­tes.

Além de Bo­a­ven­tu­ra Cardoso, a Aca­de­mia é cons­ti­tuí­da por Artur Pes­ta­na “Pe­pe­te­la”, pre­si­den­te da Me­sa da As­sem­bleia Ge­ral, Hen­ri­que Gu­er­ra, pre­si­den­te do Con­se­lho Fis­cal e Paulo de Car­va­lho, pre­si­den­te do Con­se­lho Ci­en­tí­fi­co.

M. MACHANGONGO

Mem­bros fun­da­do­res da Aca­de­mia An­go­la­na de Le­tras Bo­a­ven­tu­ra Cardoso e João Melo

M. MACHANGONGO

Mi­nis­tra da Cul­tu­ra Ca­ro­li­na Cer­quei­ra en­tre­ga o di­plo­ma a Ar­lin­do Bar­bei­tos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.