Pre­si­den­te re­ce­be lí­de­res dos Tri­bu­nais de Con­tas

Con­tro­lo da dí­vi­da e re­for­ço das ins­ti­tui­ções es­tá en­tre as pri­o­ri­da­des da or­ga­ni­za­ção

Jornal de Angola - - POLÍTICA - CÂN­DI­DO BES­SA |*

A ne­ces­si­da­de de for­ta­le­ci­men­to das ins­ti­tui­ções de con­tro­lo co­mo me­ca­nis­mo pa­ra me­lho­rar a apli­ca­ção dos re­cur­sos pú­bli­cos es­te­ve no cen­tro da au­di­ên­cia que o Che­fe de Es­ta­do, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, con­ce­deu on­tem aos pre­si­den­tes dos Tri­bu­nais de Con­tas da Co­mu­ni­da­de dos Paí­ses de Lín­gua Por­tu­gue­sa (CPLP).

À saí­da da au­di­ên­cia, o se­cre­tá­rio-ge­ral da Or­ga­ni­za­ção das Ins­ti­tui­ções Su­pe­ri­o­res de Con­tro­lo (OISC) da CPLP, Alen­car Rodrigues, afir­mou que o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca re­al­çou, du­ran­te o en­con­tro, a im­por­tân­cia do con­tro­lo pa­ra cor­rec­ção das ins­ti­tui­ções.

O en­con­tro de­cor­reu nu­ma al­tu­ra em que se re­a­li­za, em Lu­an­da, a IX As­sem­bleia Ge­ral da Or­ga­ni­za­ção das Ins­ti­tui­ções Su­pe­ri­o­res de Con­tro­lo da Co­mu­ni­da­de dos Paí­ses de Lín­gua Por­tu­gue­sa, que é pre­si­di­da por Angola.

O pre­si­den­te do Tri­bu­nal de Con­tas de Angola, Ju­lião An­tó­nio, afir­mou que, nes­ta fa­se de pou­cos re­cur­sos, a gran­de aten­ção é dis­pen­sa­da ao acom­pa­nha­men­to da dí­vi­da pú­bli­ca. No Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do pa­ra es­te ano, o Exe­cu­ti­vo de­ci­diu as­se­gu­rar uma ex­pan­são con­tro­la­da do dé­fi­ce e do en­di­vi­da­men­to pa­ra o re­lan­ça­men­to da eco­no­mia, ao mes­mo tem­po em que au­men­ta a cap­ta­ção e me­lho­ra a efi­ci­ên­cia e efi­cá­cia dos in­ves­ti­men­tos pri­va­dos, com a adop­ção de me­di­das e in­cen­ti­vos di­ver­sos pa­ra a pro­mo­ção das ex­por­ta­ções a cur­to pra­zo. O ob­jec­ti­vo é, igual­men­te, ade­quar ao con­tex­to a pro­gra­ma­ção do pa­ga­men­to da dí­vi­da pú­bli­ca, au­men­tar a re­cei­ta tri­bu­tá­ria não pe­tro­lí­fe­ra, op­ti­mi­zar a des­pe­sa pú­bli­ca com o pes­so­al, pen­sões, fun­ci­o­na­men­to e aqui­si­ção de bens de ca­pi­tal, ra­ci­o­na­li­zar a im­por­ta­ção de bens e ser­vi­ços e au­men­tar a pro­du­ção in­ter­na de bens pa­ra a ces­ta bá­si­ca e pa­ra a ex­por­ta­ção.

Res­pon­sa­bi­li­za­ção fi­nan­cei­ra

Na aber­tu­ra da reu­nião de on­tem, Ju­lião An­tó­nio afir­mou que a res­pon­sa­bi­li­za­ção fi­nan­cei­ra efec­ti­va, o alar­ga­men­to dos mar­cos da le­ga­li­da­de e da re­gu­la­ri­da­de e a apli­ca­ção ou re­for­ço das mo­da­li­da­des de au­di­to­ri­as são al­gu­mas li­nhas de in­ter­ven­ção que os Tri­bu­nais de Con­tas dos paí­ses da CPLP po­dem se­guir, pa­ra con­tri­buir pa­ra os es­for­ços dos Es­ta­dos mem­bros na bus­ca de so­lu­ções pa­ra a saí­da da cri­se.

Ju­lião An­tó­nio de­fen­deu a res­pon­sa­bi­li­za­ção fi­nan­cei­ra efec­ti­va, atra­vés dos pro­ces­sos ju­ris­di­ci­o­nais, que pas­sa pe­lo au­men­to do nú­me­ro de pro­ces­sos em juí­zo e, so­bre­tu­do, pe­la ce­le­ri­da­de na sua con­clu­são. Quan­to ao alar­ga­men­to dos mar­cos da le­ga­li­da­de e da re­gu­la­ri­da­de, o pre­si­den­te do Tri­bu­nal de Con­tas en­ten­de que de­ve ser as­sim pa­ra que ne­las pos­sa ca­ber os con­cei­tos de eco­no­mia, efi­cá­cia e efi­ci­ên­cia, bem co­mo a mo­ra­li­da­de pú­bli­ca.

Em re­la­ção à apli­ca­ção ou re­for­ço das mo­da­li­da­des de au­di­to­ri­as, Ju­lião An­tó­nio afir­mou que a me­di­da per­mi­te ava­li­ar a con­for­ma­ção dos ac­tos às nor­mas e, tam­bém, à jus­te­za, à ra­ci­o­na­li­da­de e à ra­zo­a­bi­li­da­de das op­ções po­lí­ti­cas nas des­pe­sas pú­bli­cas.

O pre­si­den­te do Tri­bu­nal de Con­tas in­di­cou tam­bém a adop­ção de me­ca­nis­mos e a apli­ca­ção de sis­te­mas de con­tro­lo que ha­bi­li­tem os tri­bu­nais fis­ca­li­za­rem os sis­te­mas in­for­ma­ti­za­dos de ges­tão fi­nan­cei­ra e da dí­vi­da pú­bli­ca, além da di­fu­são de bo­as prá­ti­cas, atra­vés de pu­bli­ca­ções, se­mi­ná­ri­os e re­co­men­da­ções pro­fe­ri­das em au­di­to­ri­as, em pro­ces­sos de vis­to no pa­re­cer so­bre a Con­ta Ge­ral do Es­ta­do.

O re­for­ço da ca­pa­ci­da­de ins­ti­tu­ci­o­nal, com re­al­ce pa­ra as ac­ções de for­ma­ção dos re­cur­sos hu­ma­nos e pe­la adop­ção de mé­to­dos e pro­ce­di­men­tos mo­der­nos de fis­ca­li­za­ção é, tam­bém, se­gun­do Ju­lião An­tó­nio, uma das li­nhas que con­tri­bu­em pa­ra a saí­da da cri­se eco­nó­mi­ca e fi­nan­cei­ra.

Ju­lião An­tó­nio fa­lou tam­bém do per­cur­so da ins­ti­tui­ção, pas­sa­dos 14 anos des­de a en­tra­da em fun­ci­o­na­men­to. “O Tri­bu­nal de Con­tas re­gis­ta com sa­tis­fa­ção um gran­de cres­ci­men­to no seu qua­dro or­gâ­ni­co e na in­ten­si­da­de e qua­li­da­de do seu tra­ba­lho. Fun­ci­o­na em ple­no, com a to­ta­li­da­de dos seus juí­zes con­se­lhei­ros em efec­ti­vo ser­vi­ço, com mais de 300 fun­ci­o­ná­ri­os nos ser­vi­ços de apoio téc­ni­co e ad­mi­nis­tra­ti­vo, exer­cen­do a ple­ni­tu­de das su­as com­pe­tên­ci­as le­gal­men­te pre­vis­tas”, re­fe­riu.

A con­tri­bui­ção das ins­ti­tui­ções da CPLP tam­bém foi lem­bra­da du­ran­te o dis­cur­so. Ju­lião An­tó­nio re­al­çou a co­o­pe­ra­ção ins­ti­tu­ci­o­nal, que con­si­de­ra um va­lor a pre­ser­var e um dos pi­la­res de in­ter­ven­ção que de­ve me­re­cer a aten­ção de to­dos, pa­ra a ma­te­ri­a­li­za­ção das ac­ções pro­pos­tas.

Na pre­sen­te as­sem­bleia-ge­ral os paí­ses mem­bros vão apro­var o pla­no es­tra­té­gi­co da or­ga­ni­za­ção, pa­ra os pró­xi­mos cin­co anos, um do­cu­men­to in­di­ca­ti­vo es­tra­té­gi­co de de­sen­vol­vi­men­to da or­ga­ni­za­ção.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

Che­fe de Es­ta­do con­ce­deu on­tem au­di­ên­cia aos pre­si­den­tes dos Tri­bu­nais de Con­tas da CPLP que es­tão reu­ni­dos em Lu­an­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.