A voz que ten­ta des­per­tar

Jornal de Angola - - OPINIÃO - MA­RIA ISABEL SANCHEZ

Fun­da­do há pou­co mais de meio sé­cu­lo co­mo al­ter­na­ti­va à bi­po­la­ri­da­de en­tre os Es­ta­dos Uni­dos e a União So­vié­ti­ca (URSS), o Mo­vi­men­to de Paí­ses Não-Ali­nha­dos (NOAL) é um gru­po de 120 na­ções que pro­cu­ra ago­ra re­cu­pe­rar o an­ti­go vi­gor, apa­ga­do com o fim da Guer­ra Fria.

O Mo­vi­men­to dos Paí­ses NãoA­li­nha­dos, que re­a­li­za a sua XVII Ci­mei­ra na Ilha de Mar­ga­ri­ta, nas Ca­raí­bas da Ve­ne­zu­e­la, pas­sou a ser pre­si­di­do, a par­tir de sá­ba­do, du­ran­te três anos, por es­te país pro­du­tor de pe­tró­leo, mer­gu­lha­do na pi­or cri­se eco­nó­mi­ca e po­lí­ti­ca da sua his­tó­ria re­cen­te.

Al­guns ana­lis­tas in­ter­na­ci­o­nais en­ca­ram o Mo­vi­men­to co­mo uma pe­ça de mu­seu da Guer­ra Fria, após a que­da do Mu­ro de Ber­lim (1989) e a dis­so­lu­ção da URSS (1991). Em­bo­ra o seu ob­jec­ti­vo fos­se con­ser­var uma po­si­ção neu­tra fren­te às su­per­po­tên­ci­as e se er­guer co­mo a ter­cei­ra voz, al­guns paí­ses per­ma­ne­ce­ram ali­a­dos a Washing­ton e ou­tros a Mos­co­vo, co­mo Cu­ba.

“É um blo­co em de­ca­dên­cia, um fó­rum po­lí­ti­co pa­ra pro­cu­rar que os paí­ses mais de­sen­vol­vi­dos te­nham po­lí­ti­cas mais fle­xí­veis com os ou­tros”, co­men­tou à AFP Raquel Ga­muz, pro­fes­so­ra de po­lí­ti­ca ex­ter­na da Uni­ver­si­da­de Cen­tral da Ve­ne­zu­e­la. Os seus de­fen­so­res pla­nei­am uma re­no­va­ção do mo­vi­men­to, des­ta­can­do-o co­mo o se­gun­do mai­or or­ga­nis­mo do mun­do, de­pois das Na­ções Uni­das, pe­lo nú­me­ro de mem­bros: 120 Es­ta­dos e 17 ob­ser­va­do­res.

Es­tes paí­ses re­pre­sen­tam qua­se dois ter­ços dos in­te­gran­tes da ONU e abri­gam 55 por cen­to da po­pu­la­ção mun­di­al. Cer­ca de 80 por cen­to das re­ser­vas mun­di­ais de pe­tró­leo es­tão nos paí­ses da Or­ga­ni­za­ção dos Paí­ses Ex­por­ta­do­res de Pe­tró­leo (OPEP), mem­bros ple­nos do Mo­vi­men­to NOAL.

Ve­lhos e no­vos co­lo­ni­a­lis­mos

O Pre­si­den­te da Ve­ne­zu­e­la, Ni­co­lás Ma­du­ro, que re­ce­beu a pre­si­dên­cia do NOAL das mãos do seu ho­mó­lo­go ira­ni­a­no, Has­san Roha­ni, pro­põe-se tor­ná-lo uma “or­ga­ni­za­ção” des­ti­na­da a lu­tar con­tra as “no­vas for­mas de re­co­lo­ni­za­ção”, num mo­men­to em que acu­sa os Es­ta­dos Uni­dos de apoi­a­rem os seus opo­si­to­res pa­ra o der­ru­bar.

“Vou apre­sen­tar pro­vas e de­nún­ci­as de to­das as ten­ta­ti­vas de gol­pe, ame­a­ças, ata­ques. Vou apro­vei­tar es­ta Ci­mei­ra e a pre­si­dên­cia dos Não-Ali­nha­dos pa­ra de­nun­ci­ar es­ta di­rei­ta pró-im­pe­ri­a­lis­ta que se ajo­e­lha”, as­se­gu­rou Ma­du­ro, que acu­sa os Es­ta­dos Uni­dos de de­ses­ta­bi­li­za­rem os go­ver­nos de es­quer­da na Amé­ri­ca La­ti­na.

O NOAL tem as su­as raí­zes na Con­fe­rên­cia de Ban­dung, re­a­li­za­da na In­do­né­sia em 1955, que reu­niu 29 go­ver­nan­tes, e nas­ceu for­mal­men­te na Ci­mei­ra de Bel­gra­do em 1961. De­sem­pe­nhou um pa­pel im­por­tan­te na lu­ta con­tra o co­lo­ni­a­lis­mo, o ra­cis­mo e o apartheid na Áfri­ca do Sul.

Al­guns de seus lí­de­res em­ble­má­ti­cos fo­ram Ga­mal Ab­del Nas­ser (Egip­to), Sh­ri Jawahar­lal Neh­ru (Ín­dia), Jo­sip Broz Ti­to (Ju­gos­lá­via), Fi­del Cas­tro (Cu­ba), que pre­si­diu ao Mo­vi­men­to dos Não-Ali­nha­dos em du­as oca­siões an­tes de a Ilha res­ta­be­le­cer relações com a Ca­sa Bran­ca, em 2015, no que é con­si­de­ra­do o úl­ti­mo con­fli­to da Guer­ra Fria no con­ti­nen­te.

Os crí­ti­cos do Mo­vi­men­to dos Paí­ses Não-Ali­nha­dos di­zem que reu­niu di­ri­gen­tes po­lé­mi­cos, al­guns acu­sa­dos de se­rem di­ta­do­res e vi­o­la­rem os di­rei­tos hu­ma­nos.

Na Ci­mei­ra em Mar­ga­ri­ta, que tra­ta de te­mas co­mo a paz, a in­de­pen­dên­cia, a so­li­da­ri­e­da­de, a so­be­ra­nia, a não in­ter­fe­rên­cia e a co­o­pe­ra­ção, par­ti­ci­pa­ram ape­nas os pre­si­den­tes de Irão, Zim­babwe, Cu­ba, Equa­dor, Bo­lí­via, El Sal­va­dor e a Au­to­ri­da­de Pa­les­ti­na. Os ou­tros Che­fes de Es­ta­do fi­ze­ram-se re­pre­sen­tar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.