Oposição avi­sa­da a tra­var po­lé­mi­cas

INSTABILIDADE EM MO­ÇAM­BI­QUE Po­lí­cia pe­de a pos­sí­veis ví­ti­mas pa­ra apre­sen­ta­rem quei­xa

Jornal de Angola - - PARTADA -

O Go­ver­no mo­çam­bi­ca­no ad­ver­tiu on­tem a Renamo e de­mais po­lí­ti­cos na oposição pa­ra evi­ta­rem si­tu­a­ções po­lé­mi­cas que dão lu­gar a um cli­ma de mai­or des­con­fi­an­ça no país e que pe­ri­gam a ac­tu­a­ção das ins­ti­tui­ções. Se­gun­do a im­pren­sa mo­çam­bi­ca­na, o Go­ver­no re­fe­ria-se a uma sé­rie de epi­só­di­os que en­vol­vem po­lí­ti­cos na oposição, co­mo a che­fe da ban­ca­da par­la­men­tar da Renamo, Ivo­ne So­a­res, que se quei­xa de ter so­fri­do uma ten­ta­ti­va de as­sas­si­na­to.

O Go­ver­no mo­çam­bi­ca­no ad­ver­tiu on­tem a Renamo e de­mais po­lí­ti­cos na oposição pa­ra evi­ta­rem si­tu­a­ções po­lé­mi­cas que dão lu­gar a um cli­ma de mai­or des­con­fi­an­ça no país e pe­ri­gam a ac­tu­a­ção das ins­ti­tui­ções.

Se­gun­do a im­pren­sa, o Go­ver­no re­fe­ria-se a uma sé­rie de epi­só­di­os que en­vol­vem po­lí­ti­cos na oposição, co­mo a che­fe da ban­ca­da par­la­men­tar da Renamo, Ivo­ne So­a­res, que se quei­xa de ter so­fri­do uma ale­ga­da ten­ta­ti­va de as­sas­si­na­to.

A im­pren­sa mo­çam­bi­ca­na deu gran­de es­pa­ço ao ca­so, o que le­vou uma fon­te jun­to do Go­ver­no, que não se iden­ti­fi­cou, a pe­dir mai­or con­ten­ção da par­te dos mem­bros da Renamo no Par­la­men­to, pa­ra não pre­ju­di­car as ne­go­ci­a­ções de paz.

A de­pu­ta­da Ivo­ne So­a­res con­tra­ri­ou a po­lí­cia mo­çam­bi­ca­na, que de­cla­rou não ter re­ce­bi­do ne­nhu­ma quei­xa. “Fui pes­so­al­men­te à po­lí­cia e, com tes­te­mu­nhas, apre­sen­tei quei­xa e na ter­ça-fei­ra es­ti­ve na Pro­cu­ra­do­ria Pro­vin­ci­al da Zam­bé­zia, on­de pres­tei de­cla­ra­ções so­bre o aten­ta­do”, dis­se a de­pu­ta­da da Renamo.

A po­lí­cia mo­çam­bi­ca­na afir­mou que não re­ce­beu ne­nhu­ma quei­xa so­bre a ale­ga­da ten­ta­ti­va de as­sas­sí­nio da che­fe da ban­ca­da da Re­sis­tên­cia Na­ci­o­nal Mo­çam­bi­ca­na (Renamo), prin­ci­pal par­ti­do na oposição, adi­an­tan­do que não foi ini­ci­a­da ne­nhu­ma in­ves­ti­ga­ção ofi­ci­al.

Er­nes­to Ser­ro­te, che­fe das Relações Pú­bli­cas no Co­man­do Pro­vin­ci­al da Po­lí­cia da Re­pú­bli­ca de Mo­çam­bi­que (PRM) na Zam­bé­zia, no cen­tro do país, ale­ga que não re­ce­beu ne­nhu­ma quei­xa e, por is­so, não há ne­nhu­ma in­ves­ti­ga­ção em cur­so. O prin­ci­pal par­ti­do da oposição em Mo­çam­bi­que de­nun­ci­ou em Ma­pu­to uma ale­ga­da ten­ta­ti­va de as­sas­si­na­to da che­fe da sua ban­ca­da na As­sem­bleia da Re­pú­bli­ca, Ivo­ne So­a­res, na ci­da­de de Qu­e­li­ma­ne, acu­san­do o Go­ver­no de es­tar por de­trás da ac­ção.

Se­gun­do uma no­ta li­da por Ju­li­a­no Ri­car­do, de­pu­ta­do do par­ti­do, um ho­mem que se­guia nu­ma mo­to­ri­za­da ten­tou dis­pa­rar so­bre Ivo­ne So­a­res na vi­a­tu­ra em que era trans­por­ta­da, acom­pa­nha­da por de­ze­nas de qua­dros e mi­li­tan­tes da Renamo, a pou­cos qui­ló­me­tros do ae­ro­por­to de Qu­e­li­ma­ne, cen­tro de Mo­çam­bi­que, mas a ar­ma, de ti­po AK-47, en­cra­vou. De acor­do com o che­fe das Relações Pú­bli­cas da PRM na Zam­bé­zia, as au­to­ri­da­des só sou­be­ram do in­ci­den­te a par­tir dos ór­gãos de co­mu­ni­ca­ção so­ci­al e, até que a Renamo apre­sen­te uma quei­xa ofi­ci­al, não há con­di­ções pa­ra a aber­tu­ra de um pro­ces­so.

O Go­ver­no mo­çam­bi­ca­no aler­tou que prá­ti­cas do gé­ne­ro em na­da aju­dam a re­sol­ver os in­ci­den­tes no país, por ser “in­con­ce­bí­vel atri­buir a res­pon­sa­bi­li­da­de de um cri­me a al­guém, sem ha­ver uma in­ves­ti­ga­ção que le­ve à con­fir­ma­ção da sus­pei­ta e o jul­ga­men­to da ma­té­ria em for­ma de pro­vas, co­mo acon­te­ce num pro­ces­so nor­mal”.

AFP

For­ças da or­dem man­têm as ac­ti­vi­da­des po­li­ci­ais em to­das as re­giões de Mo­çam­bi­que

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.