A re­con­ta­gem de vo­tos

Jornal de Angola - - OPINIÃO - FAUSTINO HEN­RI­QUE |

As pa­la­vras de Ali Bongo, Pre­si­den­te de­cla­ra­do elei­to pe­lo Mi­nis­té­rio do In­te­ri­or nas elei­ções pre­si­den­ci­ais de 27 de Agos­to, no Gabão, se­gun­do as quais a me­lhor for­ma de con­tes­tar os re­sul­ta­dos elei­to­rais é por via dos tri­bu­nais, ga­nham for­ça com as opi­niões dos ad­vo­ga­dos que re­pre­sen­tam os dois prin­ci­pais con­ten­do­res.

Se­gun­do es­tes, os re­pre­sen­tan­tes das du­as par­tes es­tão de acor­do com a re­a­li­za­ção da re­con­ta­gem dos vo­tos, so­bre­tu­do num dos bas­tiões de Ali Bongo, on­de se crê que te­nha si­do ins­tru­men­tal na vitória elei­to­ral aper­ta­da que ob­te­ve di­an­te de Je­an Ping, de acor­do com os nú­me­ros da Co­mis­são Elei­to­ral e anun­ci­a­dos pe­lo Mi­nis­té­rio do In­te­ri­or.

Não há na­da ain­da ofi­ci­al da par­te do Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal que, de acor­do com as leis lo­cais, de­ve­rá pro­nun­ci­ar-se nos pró­xi­mos 15 di­as, a con­tar da da­ta da en­tra­da do re­cur­so, pa­ra ofi­ci­al­men­te de­cla­rar a re­con­ta­gem dos vo­tos.

De­pois do re­cur­so de Je­an Ping, o opo­nen­te de Ali Bongo nas re­fe­ri­das elei­ções que, se­gun­do os nú­me­ros, as te­rá per­di­do por uma mar­gem de cer­ca de 5.000 vo­tos, aque­la ins­ti­tui­ção vai de­ci­dir-se pe­la re­con­ta­gem dos vo­tos na pro­vín­cia de Haut-Ou­goué, re­du­to de Ali Bongo. Nes­ta pro­vín­cia, num uni­ver­so de 99 por cen­to, Ali Bongo ob­te­ve 95 por cen­to dos vo­tos, com um que o co­lo­cou à fren­te de Je­an Ping na con­ta­gem fi­nal com a di­fe­ren­ça de 5.000 vo­tos.

Em to­do o ca­so, a apro­xi­ma­ção en­tre os re­pre­sen­tan­tes das du­as par­tes cons­ti­tui um pas­so em fren­te na bus­ca da saí­da do im­pas­se que se ins­ta­lou após as elei­ções pre­si­den­ci­ais cu­jos re­sul­ta­dos fo­ram re­cla­ma­dos pe­las du­as par­tes, abei­ran­do o país de um ba­nho de san­gue.

O cli­ma de ten­são acen­tu­ou-se nu­ma al­tu­ra em que tan­to Ali Bongo co­mo Je­an Ping re­cla­ma­ram a vitória, ten­do cau­sa­do di­vi­são e vi­o­lên­cia na sociedade ga­bo­ne­sa, an­te os ape­los à cal­ma vin­dos de to­dos os la­dos.

Em to­do o ca­so, va­le a pe­na res­sal­tar a pos­tu­ra de Es­ta­do de Ali Bongo, que sou­be es­tar à al­tu­ra da on­da de ten­são em vol­ta das elei­ções e da pu­bli­ca­ção dos re­sul­ta­dos. Mas va­le igual­men­te des­ta­car o pa­pel de Je­an Ping que, pe­la con­tes­ta­ção dos re­sul­ta­dos elei­to­rais, rei­te­rou sem­pre a ne­ces­si­da­de do re­cur­so a mei­os le­gais e pa­cí­fi­cos, re­pro­van­do a vi­o­lên­cia.

É pou­co pro­vá­vel que uma even­tu­al re­con­ta­gem, tal co­mo se es­pe­ra atra­vés do acór­dão do Tri­bu­nal Cons­ti­tu­ci­o­nal nos pró­xi­mos di­as, ve­nha a re­ver­ter os re­sul­ta­dos das elei­ções e dar a vitória a Je­an Ping. Mas a for­ma de­mo­crá­ti­ca e le­gal co­mo os agen­tes po­lí­ti­cos pro­cu­ram ge­rir o ac­tu­al qua­dro, re­cor­ren­do às ins­ti­tui­ções, cons­ti­tui um bom pre­ce­den­te na re­gião cen­tro­a­fri­ca­na e pa­ra a Áfri­ca em ge­ral.

O Gabão pode fi­car me­lhor ser­vi­do se Ali Bongo, nu­ma ati­tu­de de re­con­ci­li­a­ção e pa­ci­fi­ca­ção ar­qui­tec­tar um Go­ver­no alar­ga­do com fi­gu­ras re­pre­sen­ta­ti­vas de to­das as sen­si­bi­li­da­des po­lí­ti­cas do país. Mui­tos po­dem en­ca­rar es­sa pos­si­bi­li­da­de co­mo um pa­li­a­ti­vo, mas pa­re­ce cres­cer em Áfri­ca a ideia se­gun­do a qu­al em processos elei­to­rais pro­ble­má­ti­cos mais va­le apos­tar na re­con­ci­li­a­ção em de­tri­men­to do mo­de­lo “qu­em ven­ce, le­va tu­do”. Em­bo­ra mui­tos sec­to­res en­ca­rem com mui­tas re­ser­vas um even­tu­al en­ten­di­men­to en­tre os re­pre­sen­tan­tes de Je­an Ping e do Pre­si­den­te elei­to, Ali Bongo, não pa­re­ce que as par­tes te­nham vin­ca­do mui­to as su­as po­si­ções ao pon­to de fe­cha­rem to­das as por­tas de diá­lo­go.

Pa­ra os pró­xi­mos di­as, fi­ca o de­sa­fio pa­ra a Co­mis­são Elei­to­ral, pa­ra as au­to­ri­da­des em ge­ral e os po­lí­ti­cos em par­ti­cu­lar, so­bre a ges­tão do pro­ces­so de re­con­ta­gem dos vo­tos nu­ma pro­vín­cia que mui­tos acre­di­tam que te­nha con­tri­buí­do pa­ra a vitória de Ali Bongo.

Nos pró­xi­mos di­as e de­pois de re­con­fir­ma­da a de­ci­são do Cons­ti­tu­ci­o­nal, to­das as aten­ções vão es­tar vi­ra­das pa­ra Haut-Ou­goué, o ber­ço dos Bon­gos, pa­ra sa­ber se os re­sul­ta­dos pu­bli­ca­dos pe­lo Mi­nis­té­rio do In­te­ri­or con­di­zem com o plei­to ou, se pa­ra sur­pre­sa ge­ral, Je­an Ping ve­nha even­tu­al­men­te ser de­cla­ra­do ven­ce­dor das elei­ções pre­si­den­ci­ais de 27 de Agos­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.