Con­tri­bu­to de Ne­to em de­ba­te

MA­PA GEOPOLÍTICO AFRI­CA­NO

Jornal de Angola - - CULTURA - MÁ­RIO COHEN |

A vi­são es­tra­té­gi­ca de António Agos­ti­nho Ne­to pa­ra a In­de­pen­dên­cia das re­pú­bli­cas da Na­mí­bia, Mo­çam­bi­que e Zim­babwe foi o fo­co da se­gun­da con­fe­rên­cia so­bre a vi­da e obra do pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la, re­a­li­za­da on­tem, em Lu­an­da, no Me­mo­ri­al.

A con­fe­rên­cia foi re­a­li­za­da pe­la di­rec­ção do Me­mo­ri­al, sob o le­ma “O Le­ga­do de Agos­ti­nho Ne­to no No­vo Ma­pa Geopolítico Afri­ca­no”, es­tá in­se­ri­da no pro­gra­ma de ac­ti­vi­da­des e nas com­pe­tên­ci­as e atri­bui­ções da­que­la or­ga­ni­za­ção, en­quan­to Ins­ti­tui­ção de Uti­li­da­de Pú­bli­ca.

No dis­cur­so de aber­tu­ra da con­fe­rên­cia, o ad­mi­nis­tra­dor exe­cu­ti­vo da­que­la ins­ti­tui­ção dis­se que a ini­ci­a­ti­va vi­sa a pre­ser­va­ção e in­ves­ti­ga­ção do le­ga­do do Po­e­ta Mai­or, co­mo lí­der da Lu­ta de Li­ber­ta­ção Na­ci­o­nal, Fun­da­dor da Na­ção, es­ta­dis­ta e ho­mem de cul­tu­ra.

Hél­der Ben­to acres­cen­tou que di­vul­gar os fei­tos e os pen­sa­men­tos po­lí­ti­cos de António Agos­ti­nho Ne­to, seu pa­pel ful­cral pa­ra In­de­pen­dên­cia dos paí­ses afri­ca­nos e per­mi­tir que os es­tu­dan­tes an­go­la­nos co­nhe­çam e man­te­nham o con­tac­to com a sua obra, as­sim co­mo as su­as re­a­li­za­ções, são gran­des ta­re­fas da di­rec­ção do Me­mo­ri­al.

Pa­ra o ora­dor Moreira Bas­tos, que dis­ser­tou so­bre o te­ma “Pa­pel de Ne­to pa­ra a In­de­pen­dên­cia da Na­mí­bia, Mo­çam­bi­que e Zim­babwe”, não é fá­cil fa­lar da di­men­são po­lí­ti­ca e cul­tu­ral de Agos­ti­nho Ne­to ou fa­zer uma in­cur­são teó­ri­ca so­bre o pa­pel de­sem­pe­nha­do pe­lo Fun­da­dor da Na­ção no con­ti­nen­te afri­ca­no, prin­ci­pal­men­te nos paí­ses on­de con­tri­buiu pa­ra a sua In­de­pen­dên­cia.

Moreira Bas­to dis­se que a vi­são prag­má­ti­ca de Ne­to cir­cuns­cre­ve nos seus pen­sa­men­tos po­lí­ti­co, as­sim co­mo na sua es­tra­té­gia de po­lí­ti­ca ex­ter­na, ten­do re­ve­la­do que é nes­te pen­sa­men­to que se en­qua­dra os dis­cur­sos do Po­e­ta Mai­or que sem­pre afir­ma­va que An­go­la é e se­rá uma gran­de po­tên­cia na re­vo­lu­ção em Áfri­ca.

O ora­dor dis­se que é uma hon­ra ter apre­sen­ta­do uma co­mu­ni­ca­ção na con­fe­rên­cia, en­qua­dra­da nas ac­ti­vi­da­des do Dia do He­rói Na­ci­o­nal, e, si­mul­ta­ne­a­men­te, da­ta do seu 37.º ani­ver­sá­rio da mor­te, ocor­ri­da a 10 de Se­tem­bro de 1979.A con­fe­rên­cia so­bre “O Le­ga­do de Agos­ti­nho Ne­to no No­vo Ma­pa Geopolítico Afri­ca­no” con­tou com a pre­sen­ça de vá­ri­as in­di­vi­du­a­li­da­des, en­tre as quais Cor­né­lio Ca­ley, Se­cre­tá­rio de Es­ta­do da Cul­tu­ra, e Ma­ria Eu­gé­nia Ne­to, viú­va do pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la.

A pri­mei­ra con­fe­ren­cia foi re­a­li­za­da no dia 20 de Se­tem­bro de 2012, na qual es­ti­ve­ram em de­ba­te os te­mas “A Tra­jec­tó­ria do Pen­sa­men­to Po­lí­ti­co e so­bre sua Obra Poé­ti­ca” e “Di­men­são Po­lí­ti­ca e Es­ta­dis­ta de Agos­ti­nho Ne­to”.

MA­RIA AU­GUS­TA

Ma­ria Eu­gé­nia Ne­to foi uma das fi­gu­ras que par­ti­ci­pou on­tem na con­fe­rên­cia em Lu­an­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.