Pro­mo­tor quer fir­mar par­ce­ri­as

CAM­PE­O­NA­TO DE SUPERMOTO

Jornal de Angola - - DESPORTO - AR­MIN­DO PE­REI­RA |

A Cayat­te Mo­tors­port An­go­la, pro­mo­to­ra do Cam­pe­o­na­to Na­ci­o­nal e Pro­vin­ci­al de Supermoto, nos 250 cc (cen­tí­me­tros cú­bi­cos), con­ti­nua à pro­cu­ra de par­cei­ros, ten­do em vis­ta a pró­xi­ma tem­po­ra­da des­por­ti­va, de mo­do a au­men­tar o nú­me­ro de par­ti­ci­pan­tes e dar mais vi­si­bi­li­da­de à com­pe­ti­ção.

O fac­to foi re­ve­la­do on­tem ao Jor­nal de An­go­la, pe­lo pro­mo­tor e pi­lo­to, San­dro Car­va­lho, quan­do fa­zia o ba­lan­ço das pro­vas até aqui dis­pu­ta­das nas du­as com­pe­ti­ções, que de­cor­rem de for­ma in­ter­ca­la­da.

“Tal co­mo ou­tros agen­tes , con­ti­nu­a­mos à pro­cu­ra de pa­tro­cí­ni­os. A cri­se afec­tou to­das as dis­ci­pli­nas do des­por­to mo­to­ri­za­do. Os pi­lo­tos con­tam com apoi­os par­ti­cu­la­res, as­sim co­mo os or­ga­ni­za­do­res dos even­tos. Nes­ta al­tu­ra en­con­trar pa­tro­ci­na­do­res é uma ta­re­fa ca­da vez mais di­fí­cil. Is­so me le­va a di­zer que o ac­tu­al mo­men­to da mo­da­li­da­de não é dos me­lho­res”, ex­pli­cou.

Ape­sar dis­so, San­dro Car­va­lho fez um ba­lan­ço po­si­ti­vo das com­pe­ti­ções em cur­so, uma vez que a As­so­ci­a­ção Pro­vin­ci­al de Des­por­tos Mo­to­ri­za­dos de Lu­an­da, em par­ce­ria com a Cayat­te, tem cum­pri­do com as pro­vas do ca­len­dá­rio da pre­sen­te tem­po­ra­da, que não di­fe­re do na­ci­o­nal, pro­va dis­pu­ta­da sob a égi­de da Fe­de­ra­ção An­go­la­na de Des­por­tos Mo­to­ri­za­dos (FADM).

Fa­ce à es­cas­sez de re­cur­sos, a or­ga­ni­za­ção pro­cu­ra or­ga­ni­zar as cor­ri­das com o mí­ni­mo cus­to pos­sí­vel. Ou­tra das apos­tas da Cayat­te é tor­nar a com­pe­ti­ção ca­da vez mais vi­sí­vel, daí a par­ce­ria com os ór­gãos de Co­mu­ni­ca­ção So­ci­al e ou­tras en­ti­da­des que, de al­gu­ma for­ma pos­sam con­tri­buir pa­ra a pro­mo­ção das pro­vas.

“Uma das me­di­das que de cer­ta for­ma tem aju­da­do os pi­lo­tos pren­de-se com a re­du­ção do pre­ço das ins­cri­ções. A par­ce­ria com a MM Ra­cing per­mi­te tam­bém aos cor­re­do­res ad­qui­ri­rem os pneus das mo­tos a bai­xo cus­to no mer­ca­do”, re­ve­lou San­dro Car­va­lho, um dos im­pul­si­o­na­do­res da mo­da­li­da­de.

No Cam­pe­o­na­to Na­ci­o­nal, as pro­vas são re­a­li­za­das en­tre Lu­an­da e Ben­gue­la. Es­ten­der a com­pe­ti­ção pa­ra ou­tros pon­tos em 2017 se­ria óp­ti­mo, na vi­são do pro­mo­tor, des­de que ha­ja con­di­ções cri­a­das ao mais al­to ní­vel, co­mo tem vin­do a acon­te­cer com es­tas du­as ci­da­des.

No úl­ti­mo fi­nal de se­ma­na, na pis­ta ad­ja­cen­te ao Es­tá­dio Na­ci­o­nal de Om­ba­ka, Hél­der Coelho “Vuty” (Te­am Mer­ce­ná­ri­os), con­quis­tou o tí­tu­lo de cam­peão, com 53 pon­tos de di­fe­ren­ça em re­la­ção a Adil­son Vi­ei­ra, se­gun­do clas­si­fi­ca­do. A pro­va foi pon­tuá­vel pa­ra quin­ta e pe­núl­ti­ma jornada do Cam­pe­o­na­to Na­ci­o­nal, or­ga­ni­za­da pe­la As­so­ci­a­ção Pro­vin­ci­al de Des­por­tos Mo­to­ri­za­dos de Ben­gue­la.

“Den­tro da ac­tu­al con­jun­tu­ra o ba­lan­ço que fi­ze­mos é po­si­ti­vo. Te­mos ti­do um nú­me­ro ra­zoá­vel de par­ti­ci­pa­ção por pro­va (14), em­bo­ra ha­ja al­guns pi­lo­tos que es­te ano es­tão de fo­ra, por fal­ta de pa­tro­cí­nio, mas é um qua­dro que te­mos cer­te­za vai al­te­rar em 2017 pa­ra o bem da mo­da­li­da­de”, au­gu­rou.

DR

Pe­ças de re­po­si­ção con­di­ci­o­nam o de­sem­pe­nho de mui­tos con­cor­ren­tes da com­pe­ti­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.