Kya­ku Kya­daff bri­lha no fes­ti­val

Com­po­si­tor con­quis­tou tam­bém o pré­mio de Me­lhor Pro­du­ção uma ino­va­ção do con­cur­so

Jornal de Angola - - PARTADA - ROQUE SIL­VA |

A canção “Mbi ya Nany”, in­ter­pre­ta­da pe­lo con­cor­ren­te Armm Ond­ka­mú, da au­to­ria de Kya­ku Kya­daff, sa­grou-se ven­ce­do­ra da XIX edi­ção do Fes­ti­val da Canção de Luanda, re­a­li­za­da sex­ta­fei­ra, no pá­tio da rá­dio An­te­na Co­mer­ci­al (LAC).

A mú­si­ca foi elei­ta pe­lo jú­ri Gran­de Pré­mio da Canção, tro­féu atri­buí­do ao au­tor da mú­si­ca que jun­ta o me­lhor con­jun­to de itens exi­gi­dos pe­lo re­gu­la­men­to (com­po­si­ção e pro­du­ção).

A mes­ma canção per­mi­tiu a Kya­ku Kya­daff o pré­mio de Me­lhor Pro­du­ção, uma ca­te­go­ria in­cluí­da es­te ano que vi­sa pres­ti­gi­ar a fi­gu­ra do pro­du­tor e o gé­nio cri­a­ti­vo. O ar­tis­ta re­ce­beu, pe­los dois pré­mi­os, um to­tal de um mi­lhão e 200 mil kwan­zas.O mú­si­co dis­se que a con­quis­ta pro­va que a apos­ta nos jo­vens ta­len­tos de­ve con­ti­nu­ar. “É uma apos­ta que fiz por acre­di­tar na for­ça e ca­pa­ci­da­de de des­co­nhe­ci­dos pe­lo pú­bli­co, tal co­mo fui um dia, por is­so o pré­mio é gra­ti­fi­can­te”.

Ain­da com o te­ma “Mbi ya Nany”, Armm Ond­ka­mú ven­ceu a ca­te­go­ria In­ter­pre­ta­ção da Canção Ven­ce­do­ra. O can­tor re­ce­beu 200 mil Kwan­zas. Dis­se que o tro­féu é o in­cen­ti­vo que pre­ci­sa­va pa­ra dar con­ti­nui­da­de a car­rei­ra, que ain­da está no iní­cio.

O jú­ri do XIX Fes­ti­val da Canção de Luanda, pre­si­di­do por Ca­la­be­to, la­de­a­do por Cre­mil­da de Li­ma, Yo­la Se­me­do, Lu­to Costa e Ana Pau­la Go­di­nho, ele­geu pa­ra Me­lhor Voz a can­to­ra Líp­sia, que con­cor­reu com a canção “Tic Tac”, Me­lhor Le­tra a Lí­dio Go­mes, pe­lo te­ma “La­gri­mas”, de sua au­to­ria. O Pré­mio LAC Uni­tel Au­di­to­res, uma ca­te­go­ria com vo­ta­ção to­tal do pú­bli­co por men­sa­gens te­le­fó­ni­cas, foi atri­bui­do a Bran­ca Ce­les­te que con­cor­reu com o te­ma “Twendy Ka­valy”.

A ga­la de atri­bui­ção de pré­mi­os aos ven­ce­do­res da XIX foi uma ver­da­dei­ra fes­ta de des­co­ber­ta de ta­len­tos da mú­si­ca. O jú­ri as­su­miu pu­bli­ca­men­te ti­do di­fi­cul­da­des pa­ra ele­ger­nos ven­ce­do­res. Da in­ter­pre­ta­ção, voz e com­po­si­ção, os con­cor­ren­tes es­ti­ve­ram mui­to equi­pa­ra­das, dis­se o pre­si­den­te ao Jor­nal de An­go­la, pa­ra quem qual­quer um po­dia ser ven­ce­dor, ape­sar e ha­ver al­guns itens que os di­fe­ren­ci­ou. O sem­ba, ki­la­pan­ga e afro jazz fo­ram os rit­mos es­co­lhi­dos pe­los con­cor­ren­tes. Uma vi­a­gem de cam­boio aos qua­tro can­tos de An­go­la foi o que a ha­bi­tu­al rap­só­dia re­tra­tou nu­ma ho­me­na­gem aos co­mi­nhos-de-fer­ro. Pas­san­do por vá­ri­as es­ta­ções, des­de às des­truí­das pe­la guer­ra, e as no ac­ti­vo, co­mo Zen­za do Itom­be, Ca­nho­ca, Lo­bi­to, Bun­go e Mo­ça­me­des, ac­to­res, bai­la­ri­nos e mú­si­cos, en­tre cri­an­ças e adul­tos, apre­sen­ta­ram di­fe­ren­tes ma­ni­fes­ta­ções a re­pre­sen­tar os lo­cais por on­de al­gu­ma vez o api­to do comboio já so­ou. A rap­só­dia, com o te­ma “Nos trilhos da mú­si­ca... um comboio de can­ções”, in­cluiu 16 te­mas de Duo Ca­nho­to, João Ale­xan­dre, Ga­bri­el Tchi­e­ma, Wal­ter Ana­nás, Mo­niz de Al­mei­da, Gi­se­la Sil­va, Ana­be­la Aya, Ga­ri Si­ne­di­ma, Pau­la Mi­ran­da e Krhis MC, que ao la­do do Bal­let Ki­lan­du­ki­lu, no pal­co com uma car­ru­a­gem cons­truí­do ar­te­sa­nal­men­te, re­tra­tam o dia a dia de uma es­ta­ção, axal­ta­ram as be­le­zas na­tu­rais e a di­ver­si­da­de cul­tu­ral an­go­la­na.

Pau­la Mi­ran­da cha­mou aten­ção pa­ra a pre­ser­va­ção da Pa­lan­ca Ne­gra Gi­gan­te, um ani­mal en­con­tra­do ape­nas em An­go­la, na in­ter­pre­ta­ção de canção “Malanje”. A rap­só­dia, com en­ce­na­ção de Ma­ne­co Vieira Di­as e pro­du­ção mu­si­cal de Li­vongh, de­di­cou ao Car­na­val, mai­or fes­ta po­pu­lar de An­go­la, o mo­men­to fi­nal da fes­ta, que por si­nal ar­ran­cou mui­tos aplau­sos sa pla­teia. Im­pres­si­o­na­da pe­la for­ma co­mo os ca­mi­nhos de fer­ro fo­ram re­tra­ta­dos, a mi­nis­tra da Cul­tu­ra, Ca­ro­li­na Cer­quei­ra, dis­se que ape­sar de a po­pu­la­cão fi­car pri­va­da al­gum tem­po des­te im­por­tan­te meio de trans­por­te, os os com­boi­os sem­pre ti­ve­ram um sig­ni­fi­ca­do es­pe­ci­al pa­ra o po­vo an­go­la­no, mo­ti­vo pe­lo qual se mos­tra fe­liz com a ho­me­na­gem.

A co­or­de­na­do­ra-ge­ral do fes­ti­val fez um ba­lan­ço po­si­ti­vo do con­cur­so, pe­la re­a­li­za­ção do mes­mo ter se acon­te­ci­do sem cons­tran­gi­men­tos ape­sar dos par­cos apoi­os fi­nan­cei­ros pa­ra es­te ano, o que mo­ti­vou a sua re­a­li­za­ção no pá­tio da rá­dio LAC. Luí­sa Fan­cony as­su­miu o com­pro­mis­so con­tí­nuo na apos­ta no gé­nio cri­a­ti­vo do ar­tis­ta an­go­la­no.

JO­SÉ SOARES

A mú­si­ca an­go­la­na es­te­ve em des­ta­que

EDU­AR­DO PE­DRO

In­tér­pre­te Armm Ond­ka­mú da canção ven­ce­do­ra e o au­tor Kai­ku Ki­a­daff exi­bem o pré­mio en­tre­gue pe­la mi­nis­tra da Cul­tu­ra e a di­rec­to­ra da LAC

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.