ONU pro­me­te aca­bar com a fo­me no mun­do

Agên­ci­as es­pe­ci­a­li­za­das da or­ga­ni­za­ção mun­di­al re­no­vam com­pro­mis­so as­su­mi­do há qua­tro anos

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

Agên­ci­as es­pe­ci­a­li­za­das da ONU reu­ni­ram-se, sex­ta-fei­ra, em No­va Ior­que, pa­ra re­no­var o com­pro­mis­so de er­ra­di­car até 2030 a fo­me no Mun­do, qua­tro anos de­pois do lan­ça­men­to da ini­ci­a­ti­va “Fo­me Ze­ro” pe­lo se­cre­tá­rio-ge­ral, Ban Ki-mo­on.

Os lí­de­res da Or­ga­ni­za­ção das Nações Unidas pa­ra a Ali­men­ta­ção e Agri­cul­tu­ra (FAO), do Pro­gra­ma Ali­men­tar Mun­di­al (PAM) e do Fun­do In­ter­na­ci­o­nal de De­sen­vol­vi­men­to Agrí­co­la (IFAD) com­pro­me­te­ram-se a al­can­çar a me­ta co­mo par­te dos Ob­je­ti­vos de De­sen­vol­vi­men­to Sus­ten­tá­vel, tam­bém co­nhe­ci­da co­mo “Agen­da 2030”.

O di­re­tor-ge­ral da FAO, o bra­si­lei­ro Jo­sé Gra­zi­a­no da Sil­va, dis­se à Rá­dio ONU que o im­pac­to é ain­da mais se­ve­ro nos paí­ses mais po­bres. “Eu acho que o que nós vi­mos, nos dois úl­ti­mos anos, prin­ci­pal­men­te com El Niño a des­vas­tar o les­te e o su­des­te de Áfri­ca, foi ater­ra­dor”, dis­se Jo­sé Gra­zi­a­no da Sil­va, pa­ra quem “o pro­gres­so de 10 anos foi per­di­do no es­pa­ço de um ano”.

A ini­ci­a­ti­va “Fo­me Ze­ro” nas­ceu no Bra­sil e ser­viu co­mo mo­de­lo pa­ra mui­tos paí­ses no Mun­do. Pa­ra o director-ge­ral da FAO, es­ta é uma ta­re­fa não só dos go­ver­nos, mas tam­bém do sec­tor pri­va­do, da so­ci­e­da­de ci­vil e dos pe­que­nos agri­cul­to­res.

Na reu­nião, re­a­li­za­da em pa­ra­le­lo com os de­ba­tes da As­sem­bleia-Ge­ral da ONU, a che­fe do Pro­gra­ma Ali­men­tar Mun­di­al (PAM), Ertha­rin Cou­sin, afir­mou que o pe­di­do de união das agên­ci­as das Nações Unidas na lu­ta con­tra a fo­me par­tiu do lí­der da ONU, Ban Ki-mo­on, que pe­diu aos che­fes do PAM, do IFAD e da FAO que for­mas­sem um ver­da­dei­ro mo­vi­men­to pa­ra er­ra­di­car a fo­me, que afec­ta ho­je 800 mi­lhões de pes­so­as no Mun­do. Já o pre­si­den­te do Fun­do In­ter­na­ci­o­nal de De­sen­vol­vi­men­to Agrí­co­la (IFAD), Ka­nayo F. Nwan­ze, dis­se que é pre­ci­so vol­tar a aten­ção pa­ra as áre­as ru­rais que con­cen­tram as pes­so­as mais po­bres e fa­min­tas do mun­do. Pa­ra Jo­sé Gra­zi­a­no da Sil­va, é pre­ci­so ain­da tra­ba­lhar com do­a­do­res pa­ra res­pon­der a si­tu­a­ções ines­pe­ra­das, co­mo acon­te­ceu, há al­guns anos, no nor­des­te do Bra­sil que en­fren­tou en­chen­tes após um pe­río­do de se­ca.

Fo­me ze­ro emer­gen­ci­al

“Es­ta­mos a fa­zer um apelo ho­je prin­ci­pal­men­te aos do­a­do­res. Es­ta­mos a pôr em mar­cha o que eu cha­mo de um pro­gra­ma fo­me ze­ro emer­gen­ci­al, que foi tes­ta­do pe­la pri­mei­ra vez no nor­des­te bra­si­lei­ro, em 2003”, acen­tu­ou o director-ge­ral da FAO. Jo­sé Gra­zi­a­no da Sil­va par­ti­ci­pou em vá­ri­os even­tos pa­ra­le­los du­ran­te a As­sem­bleia-Ge­ral da ONU, in­cluin­do um en­con­tro de al­to ní­vel so­bre a re­sis­tên­cia an­ti­mi­cro­bi­a­na, que tam­bém con­tou com a par­ti­ci­pa­ção da di­rec­to­ra-ge­ral da Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al da Saú­de, Mar­ga­ret Chan.

A ONU di­vul­gou na quar­ta-fei­ra um no­vo re­la­tó­rio, no qual re­ve­la que 800 mi­lhões de pes­so­as es­tão su­jei­tas a si­tu­a­ções de fo­me e po­bre­za no Mun­do. Lan­ça­do ofi­ci­al­men­te pe­lo se­cre­tá­rio-ge­ral, Ban Ki-mo­on, o re­la­tó­rio so­bre a no­va agen­da de de­sen­vol­vi­men­to glo­bal traz tam­bém es­ta­tís­ti­cas pre­o­cu­pan­tes so­bre ou­tros gra­ves pro­ble­mas en­fren­ta­dos pe­la Hu­ma­ni­da­de.

Ape­sar dos nú­me­ros, a or­ga­ni­za­ção mun­di­al des­ta­cou que, pro­por­ci­o­nal­men­te, hou­ve uma me­lho­ria nos da­dos so­bre a po­bre­za ex­tre­ma.

AFP

A agri­cul­tu­ra é en­ca­ra­da pe­los lí­de­res mun­di­ais co­mo um dos prin­ci­pais sec­to­res pro­du­ti­vos pa­ra a er­ra­di­ca­ção da fo­me e po­bre­za no mun­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.