EUA que­rem bai­xar per­das por der­ra­mes

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

Os Es­ta­dos Uni­dos da Amé­ri­ca, se­gun­do mai­or pro­du­tor de gás na­tu­ral do Mun­do, de­pois da Rús­sia, que­rem mi­ni­mi­zar as per­das por fu­gas pa­ra a at­mos­fe­ra de­cor­ren­tes da ex­plo­ra­ção des­sa ener­gia, que vem sen­do in­ten­si­va­men­te usa­da no país pa­ra subs­ti­tuir o car­vão.

A fu­ga de gás, cu­jo prin­ci­pal com­po­nen­te é o me­ta­no, um po­de­ro­so ge­ra­dor de efei­to de es­tu­fa, ain­da é uma gran­de pre­o­cu­pa­ção dos ci­en­tis­tas e das ins­tân­ci­as en­vol­vi­das na ca­deia de pro­du­ção.

“Se qui­ser­mos re­du­zir pau­la­ti­na­men­te o uso in­ten­si­vo de fós­seis até even­tu­al­men­te che­gar­mos aos re­no­vá­veis, o gás na­tu­ral dá-nos uma opor­tu­ni­da­de de, tal­vez, ser um com­bus­tí­vel de tran­si­ção, pois não há dú­vi­da que, quan­do o quei­ma­mos, li­ber­ta­mos me­nos dió­xi­do de car­bo­no pa­ra a at­mos­fe­ra”, re­su­miu Da­ve Al­len, pro­fes­sor de en­ge­nha­ria quí­mi­ca da Uni­ver­si­da­de do Te­xas, em Aus­tin (EUA).

A pre­o­cu­pa­ção de Da­ve Al­len e co­le­gas po­de ser tra­du­zi­da em nú­me­ros. “Se um por cen­to a três por cen­to do gás que re­ti­ra­mos do chão li­ber­tar-se, an­tes de usar­mos, per­de­mos to­da es­sa van­ta­gem que ele tem co­mo com­bus­tí­vel de bai­xo car­bo­no”, ex­pli­cou.

Se­gun­do Da­ve Al­len, uma es­ti­ma­ti­va mé­dia apon­ta uma per­da de dois por cen­to de to­do o gás ex­traí­do. “Já per­de­mos boa par­te des­sa van­ta­gem e o que te­mos é uma si­tu­a­ção em que uma pe­que­na par­te das ins­ta­la­ções é res­pon­sá­vel por gran­de par­te das emis­sões”, as­si­na­lou. En­tre os di­as 27 e 28 de Se­tem­bro, a con­fe­rên­cia “Sus­tai­na­ble Gas Re­se­ar­ch In­no­va­ti­on 2016”, que de­cor­reu em São Pau­lo (Bra­sil), reu­niu cer­ca de 140 pes­qui­sa­do­res do Sus­tai­na­ble Gas Ins­ti­tu­te (SGI), dos EUA, do Im­pe­ri­al Col­le­ge of Lon­don, da In­gla­ter­ra, e do Cen­tro de Pes­qui­sa pa­ra Ino­va­ção em Gás Na­tu­ral, do Bra­sil.

Os par­ti­ci­pan­tes dis­cu­ti­ram pro­jec­tos de pes­qui­sa, de­sen­vol­vi­men­to e ino­va­ção, pa­ra ex­plo­rar e de­fi­nir o pa­pel do gás na­tu­ral na ma­triz ener­gé­ti­ca mun­di­al, in­cluin­do no­vas tec­no­lo­gi­as e apli­ca­ções, e no­vas ma­nei­ras de di­mi­nuir a emis­são de ga­ses de efei­to de es­tu­fa.

O Cen­tro de Pes­qui­sa pa­ra Ino­va­ção em Gás Na­tu­ral é uma ins­ti­tui­ção de ex­ce­lên­cia em pes­qui­sa so­bre gás na­tu­ral, que reú­ne cer­ca de 40 do­cen­tes e 200 pes­qui­sa­do­res do es­ta­do de São Pau­lo.

Se­di­a­do na Es­co­la Po­li­téc­ni­ca da Uni­ver­si­da­de de São Pau­lo, o cen­tro tem hoje 29 pro­jec­tos de pes­qui­sa em an­da­men­to. Até 2020, a previsão é que se­jam in­ves­ti­dos 100 mi­lhões de re­ais nes­ses pro­jec­tos, com re­cur­sos da Fun­da­ção de Am­pa­ro à Pes­qui­sa do Es­ta­do de São Pau­lo (FAPESP) e do BG Group/Shell.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.