De­fen­di­do sis­te­ma ju­rí­di­co di­nâ­mi­co

DI­REI­TOS DE AU­TOR E CONEXOS Exe­cu­ti­vo es­tá pre­o­cu­pa­do com a pro­tec­ção in­te­lec­tu­al dos cri­a­do­res

Jornal de Angola - - CULTURA - MA­NU­EL ALBANO |

A im­por­tân­cia de um Sis­te­ma Ju­rí­di­co di­nâ­mi­co e ac­tu­an­te pa­ra res­pon­der po­si­ti­va­men­te à ques­tão do com­ba­te à pi­ra­ta­ria e à con­tra­fac­ção das obras dos cri­a­do­res na­ci­o­nais, de­ve con­ti­nu­ar a ser um dos de­sa­fi­os do Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra e par­cei­ros.

A afir­ma­ção foi fei­ta pe­lo se­cre­tá­rio de Es­ta­do da Cul­tu­ra, Cor­né­lio Ca­ley, na ce­ri­mó­nia de en­cer­ra­men­to da con­fe­rên­cia na­ci­o­nal so­bre di­rei­tos de au­tor e conexos, em Lu­an­da, ten­do re­al­ça­do que o país tem da­do pas­sos po­si­ti­vos na ela­bo­ra­ção de re­gu­la­men­tos so­bre a ma­té­ria.

Cor­né­lio Ca­ley re­fe­riu que as me­di­das sur­gem da im­por­tân­cia de me­lho­rar-se a le­gis­la­ção em vi­gor so­bre a pro­tec­ção dos di­rei­tos de au­tor e conexos no país, ten­do acres­cen­ta­do ser im­por­tan­te pro­te­ger-se aque­les que cri­am idei­as e ge­rar ri­que­za ma­te­ri­al e ima­te­ri­al: “Os cri­a­do­res pre­ci­sam de ser pro­te­gi­dos pe­la so­ci­e­da­de da­da a com­pe­ti­ti­vi­da­de que a glo­ba­li­za­ção nos im­põe.”

A con­fe­rên­cia, re­al­çou, te­ve re­fle­xões va­li­o­sas, o que vai per­mi­tir tra­tar da ques­tão da pro­tec­ção da pro­pri­e­da­de in­te­lec­tu­al no país de for­ma di­fe­ren­te, par­tin­do do pres­su­pos­to de que a ri­que­za par­te do co­nhe­ci­men­to e da cri­a­ti­vi­da­de dos ci­da­dãos.

O di­rec­tor do ga­bi­ne­te ju­rí­di­co do Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra, Agui­nal­do Cris­tó­vão, de­fen­deu a cri­a­ção de me­ca­nis­mos es­tra­té­gi­cos, de for­ma a com­ba­ter-se a pi­ra­ta­ria.

Pa­ra o ju­ris­ta, é ne­ces­sá­ria a cri­a­ção de me­ca­nis­mos le­gais que de­vem ser ac­ci­o­na­dos au­to­ma­ti­ca­men­te e que os ma­gis­tra­dos do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co es­te­jam bem in­for­ma­dos so­bre os pro­ces­sos re­la­ti­vos à con­tra­fac­ção de bens cul­tu­rais. Na pro­pos­ta de lei ac­tu­al, dis­se, exis­te uma al­te­ra­ção re­la­ti­va­men­te à an­te­ri­or so­bre a for­ma co­mo se vê a res­pon­sa­bi­li­da­de da uti­li­za­ção in­de­vi­da das obras dos cri­a­do­res.

Pon­de­ra­ção

O di­rec­tor-ge­ral de Li­vros, Ar­qui­vos e Bi­bli­o­te­cas, do Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra de Por­tu­gal, Nuno Gon­çal­ves, dis­se ser fun­da­men­tal o es­tu­do pro­fun­do e uma pru­dên­cia so­bre di­plo­mas li­ga­dos a ques­tões dos di­rei­tos de au­tor, por cau­sa da sua com­ple­xi­da­de.

To­dos os paí­ses, su­ge­re, ne­ces­si­tam de ter um sis­te­ma ju­rí­di­co or­ga­ni­za­do, ca­paz de per­mi­tir aos na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros tra­ba­lha­rem nas in­dús­tri­as cul­tu­rais e cri­a­ti­vas, com se­gu­ran­ça e pro­tec­ção. Pa­ra o res­pon­sá­vel por­tu­guês, é fun­da­men­tal ter um ser­vi­ço pú­bli­co com co­nhe­ci­men­tos só­li­dos e pre­pa­ra­ção pa­ra tra­tar de as­sun­tos so­bre a ma­té­ria, por exi­gir dos téc­ni­cos com­pre­en­são cul­tu­ral, ju­rí­di­ca e di­plo­má­ti­ca.

A subs­cri­ção aos ins­tru­men­tos in­ter­na­ci­o­nais e con­ven­ções, aler­tou, de­ve ser ana­li­sa­da com pon­de­ra­ção em fun­ção da com­ple­xi­da­de, pa­ra que a sua ade­são se­ja fei­ta de for­ma cons­ci­en­te.

O ad­mi­nis­tra­dor pa­ra a Área Ju­rí­di­ca, Li­cen­ci­a­men­to e Con­tra­tos, da União Na­ci­o­nal dos Ar­tis­tas e Com­po­si­to­res (UNAC), Afri­ka­nu Kan­gom­be, es­pe­ra que o sis­te­ma dos di­rei­tos de au­tor fun­ci­o­ne, de­pois de to­do o exer­cí­cio le­gis­la­ti­vo fei­to pe­lo Exe­cu­ti­vo, com a apro­va­ção da Lei dos Au­to­res, Conexos e Re­gu­la­men­tos.

Com a apro­va­ção da fu­tu­ra lei da ta­be­la de co­bran­ças, ga­ran­te, o país vai es­tar em con­di­ções de ins­ta­lar de­fi­ni­ti­va­men­te o sis­te­ma de li­cen­ci­a­men­to, co­bran­ça e dis­tri­bui­ção dos di­rei­tos de au­tor em An­go­la.

Ar­re­ca­da­ção de re­cei­tas

Pa­ra uma mai­or e efi­caz pro­tec­ção dos di­rei­tos de au­tor e da pro­pri­e­da­de in­te­lec­tu­al, o pre­si­den­te do Con­se­lho de Di­rec­ção da So­ci­e­da­de An­go­la­na dos Di­rei­tos de Au­tor (SADIA), Lo­pi­to Fei­jó, re­co­nhe­ceu ser im­por­tan­te exis­tir um me­lhor co­nhe­ci­men­to da lei por par­te dos ac­to­res in­ter­ve­ni­en­tes (au­to­res e pú­bli­co).

Um dos de­sa­fi­os, ar­gu­men­ta, de­ve tam­bém pas­sar pe­la cri­a­ção de uma ins­ti­tui­ção es­pe­cí­fi­ca pa­ra ar­re­ca­dar e co­brar pe­los pro­du­tos usa­dos, ca­ben­do à mes­ma a res­pon­sa­bi­li­da­de de re­pas­sar os va­lo­res ar­re­ca­da­dos às so­ci­e­da­des de ges­tão, pa­ra os dis­tri­buí­rem aos au­to­res ou as­so­ci­a­dos.

A con­fe­rên­cia foi re­a­li­za­da no âm­bi­to dos es­for­ços in­ter­nos de cons­tru­ção da ca­pa­ci­da­de dos qua­dros an­go­la­nos, pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to, pro­tec­ção, uso e apro­vei­ta­men­to dos di­rei­tos da pro­pri­e­da­de in­te­lec­tu­al.

O en­con­tro ser­viu ain­da pa­ra co­lher e re­ter al­guns ele­men­tos de re­fe­rên­cia à ela­bo­ra­ção de pro­pos­tas es­sen­ci­ais pa­ra o aper­fei­ço­a­men­to dos ins­tru­men­tos le­gais exis­ten­tes, em es­pe­ci­al, e a efi­caz ges­tão do Sis­te­ma Na­ci­o­nal dos Di­rei­tos de Au­tor e Conexos.

MA­RIA AU­GUS­TA

Cor­né­lio Ca­ley (à es­quer­da) re­co­nhe­ceu a im­por­tân­cia da re­a­li­za­ção da con­fe­rên­cia na­ci­o­nal

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.