Avi­a­ção ci­vil dis­cu­te se­gu­ran­ça dos vo­os

Jornal de Angola - - OPINIÃO -

A iden­ti­fi­ca­ção atem­pa­da dos pas­sa­gei­ros nos ae­ro­por­tos, des­de a par­ti­da ao des­ti­no final, nu­ma ini­ci­a­ti­va pa­ra com­ba­ter o ter­ro­ris­mo, é um dos te­mas das reu­niões do co­mi­té exe­cu­ti­vo e das co­mis­sões de tra­ba­lho da Or­ga­ni­za­ção In­ter­na­ci­o­nal da Avi­a­ção Ci­vil (ICAO), que de­cor­rem em Montreal, Ca­na­dá, com a par­ti­ci­pa­ção do se­cre­tá­rio de Es­ta­do pa­ra a Avi­a­ção Ci­vil, Má­rio Do­min­gues.

O co­mi­té exe­cu­ti­vo dis­cu­te ain­da al­te­ra­ção dos es­ta­tu­tos e os pro­gra­mas de as­sis­tên­cia téc­ni­ca a al­guns paí­ses pa­ra apli­ca­ção das nor­mas re­co­men­da­das e de cum­pri­men­to obri­ga­tó­rio pe­los Es­ta­dos mem­bros e uma no­va mol­du­ra pa­ra as po­lí­ti­cas de se­gu­ran­ça ope­ra­ci­o­nal. Ou­tro as­sun­to em de­ba­te tem a ver com as ques­tões am­bi­en­tais, pa­ra as­se­gu­rar a re­du­ção de ele­men­tos ne­ga­ti­vos, co­mo a po­lui­ção so­no­ra e am­bi­en­tal.

A co­mis­são téc­ni­ca, em que par­ti­ci­pa o di­rec­tor-ge­ral ad­jun­to do INAVIC, Rui Car­rei­ra, de­ba­te as po­lí­ti­cas, mo­ni­to­ri­za­ção e es­tan­dar­di­za­ção da se­gu­ran­ça e na­ve­ga­ção aé­rea, no âm­bi­to do Pro­gra­ma “No coun­try left behind”, con­tri­buin­do pa­ra que os Es­ta­dos mem­bros es­te­jam em per­ma­nen­te ac­tu­a­li­za­ção e ao mes­mo ní­vel de cum­pri­men­to das nor­mas e prá­ti­cas re­co­men­da­das pe­la Or­ga­ni­za­ção In­ter­na­ci­o­nal da Avi­a­ção Ci­vil.

As co­mis­sões eco­nó­mi­ca, ju­rí­di­ca e ad­mi­nis­tra­ti­va tam­bém es­tão reu­ni­das pa­ra tra­tar da quo­ti­za­ção fi­nan­cei­ra, de­sen­vol­vi­men­to eco­nó­mi­co do trans­por­te aé­reo, a ac­tu­a­li­za­ção de re­gu­la­men­tos e po­lí­ti­cas de trans­por­te e na­ve­ga­ção aé­re­as, or­ça­men­tos pa­ra o pe­río­do 2017 e 2019 e o re­for­ço das au­di­to­ri­as.

On­tem, a as­sem­bleia apro­vou os do­cu­men­tos re­sul­tan­tes das dis­cus­sões nas co­mis­sões de es­pe­ci­a­li­da­de e ele­geu no­vos mem­bros pa­ra as di­ver­sas es­tru­tu­ras do to­po à ba­se da or­ga­ni­za­ção.

A se­gu­ran­ça da avi­a­ção exis­te pa­ra a pre­ven­ção de ac­tos ma­li­ci­o­sos con­tra ae­ro­na­ves e os seus pas­sa­gei­ros e tri­pu­la­ções. Na sequên­cia dos aten­ta­dos de 11 de Se­tem­bro de 2001, nos Es­ta­dos Uni­dos, a União Eu­ro­peia adop­tou um con­jun­to de re­gras de se­gu­ran­ça pa­ra a pro­tec­ção da avi­a­ção ci­vil. Es­tas re­gras são ac­tu­a­li­za­das re­gu­lar­men­te em res­pos­ta à mu­ta­ção dos ris­cos. Os Es­ta­dos­Mem­bros con­ser­vam o di­rei­to de apli­car me­di­das mais exi­gen­tes.

O ob­jec­ti­vo da se­gu­ran­ça da avi­a­ção é im­pe­dir ac­tos de in­ter­fe­rên­cia ilí­ci­ta, so­bre­tu­do ve­dar a en­tra­da nas ae­ro­na­ves de ob­jec­tos pe­ri­go­sos, co­mo ar­mas e ex­plo­si­vos. Já há dé­ca­das que a se­gu­ran­ça da avi­a­ção es­ta­va na or­dem do dia, quan­do se tor­nou uma pre­o­cu­pa­ção pre­men­te na sequên­cia dos aten­ta­dos ter­ro­ris­tas de Se­tem­bro de 2001. Des­de en­tão, o qua­dro re­gu­la­dor nes­te do­mí­nio co­nhe­ceu uma ex­pan­são subs­tan­ci­al em to­do o mun­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.