CNE pas­sa a su­per­vi­si­o­nar re­gis­to

AC­TU­A­LI­ZA­ÇÃO DO RE­GIS­TO ELEI­TO­RAL Pre­si­den­te da Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral pre­o­cu­pa­do com a au­sên­cia de fis­cais de par­ti­dos nos pos­tos

Jornal de Angola - - PARTADA - RO­DRI­GUES CAMBALA | ELAUTÉRIO SILIPULENI | Ond­ji­va

A Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral (CNE) deu iní­cio on­tem ao tra­ba­lho de su­per­vi­são do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção pre­sen­ci­al do re­gis­to. O Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio (MAT) faz a en­tre­ga ama­nhã à CNE do pri­mei­ro re­la­tó­rio do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral, que ar­ran­cou a 25 de Agos­to. Pa­ra a su­per­vi­são do pro­ces­so de re­gis­to em to­do o país, a CNE con­ta com três mil co­mis­sá­ri­os e 2.700 fun­ci­o­ná­ri­os. O pre­si­den­te da CNE, An­dré da Sil­va Ne­to, ga­ran­tiu que o ór­gão que di­ri­ge tem mei­os hu­ma­nos e ma­te­ri­ais pa­ra de­sen­vol­ver, sem cons­tran­gi­men­tos, a ac­ti­vi­da­de de su­per­vi­são do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral.

O Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio en­tre­ga, ama­nhã, à Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral (CNE) o pri­mei­ro re­la­tó­rio do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral, que ar­ran­cou a 25 de Agos­to.

A in­for­ma­ção foi avan­ça­da, on­tem, à im­pren­sa pe­lo pre­si­den­te da CNE, An­dré da Sil­va Ne­to, que, em com­pa­nhia do mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio, Bor­ni­to de Sou­sa, re­a­li­zou uma vi­si­ta de cons­ta­ta­ção do fun­ci­o­na­men­to de dois pos­tos de re­gis­to elei­to­ral lo­ca­li­za­dos de­fron­te à Ra­dio Na­ci­o­nal de An­go­la e à Ad­mi­nis­tra­ção Dis­tri­tal do Sam­bi­zan­ga.

A CNE, que des­de, on­tem, deu iní­cio ao tra­ba­lho de su­per­vi­são do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção pre­sen­ci­al, con­ta com três mil co­mis­sá­ri­os na­ci­o­nais e dois mil e 700 fun­ci­o­ná­ri­os, en­vol­vi­dos no pro­ces­so em to­do o país. Sil­va Ne­to dis­se que o tra­ba­lho dos su­per­vi­so­res con­sis­te em fa­zer vi­si­tas de cons­ta­ta­ção jun­to das bri­ga­das do re­gis­to elei­to­ral, no sen­ti­do de apre­ci­ar a qua­li­da­de do tra­ba­lho que es­tá a ser efec­tu­a­do em to­do o país. O pre­si­den­te da CNE as­se­gu­rou que o pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção do re­gis­to elei­to­ral de­cor­re com nor­ma­li­da­de, por não se cons­ta­tar quais­quer si­tu­a­ções que pos­sam pro­vo­car em­ba­ra­ços na ac­ti­vi­da­de.

Ga­ran­tiu que a Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral tem mei­os hu­ma­nos e ma­te­ri­ais pa­ra de­sen­vol­ver, sem cons­tran­gi­men­to, a ac­ti­vi­da­de de su­per­vi­são do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção. “Em fun­ção do ca­len­dá­rio es­ta­be­le­ci­do, a CNE ini­cia a su­per­vi­são”, dis­se, su­bli­nhan­do que, num pri­mei­ro mo­men­to, a Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral es­te­ve a su­per­vi­si­o­nar à dis­tân­cia o com­por­ta­men­to ini­ci­al da ac­ti­vi­da­de do MAT. O pre­si­den­te da CNE dis­se es­tar pre­o­cu­pa­do com a au­sên­cia de fis­cais de par­ti­dos po­lí­ti­cos nos pos­tos de re­gis­to elei­to­ral. Es­ta cons­ta­ta­ção foi ob­ser­va­da nos pos­tos mon­ta­dos jun­to da RNA e da Ad­mi­nis­tra­ção Dis­tri­tal do Sam­bi­zan­ga, on­de fo­ram en­con­tra­dos ape­nas fis­cais do MPLA e da co­li­ga­ção CA­SA-CE.

Sil­va Ne­to ape­lou às es­tru­tu­ras su­pe­ri­o­res dos ou­tros par­ti­dos po­lí­ti­cos pa­ra agi­li­za­rem a pre­sen­ça dos fis­cais jun­to das bri­ga­das, pa­ra po­de­rem pas­sar a in­for­ma­ção ne­ces­sá­ria aos ór­gãos de di­rec­ção e even­tu­ais re­cla­ma­ções so­bre os pro­ce­di­men­tos que es­tão a ser se­gui­dos. O pre­si­den­te da CNE con­si­de­rou que a pre­sen­ça dos fis­cais de par­ti­dos po­lí­ti­cos evi­ta ar­gu­men­tos des­ti­tuí­dos de fun­da­men­tos e ma­ni­pu­la­ção de in­for­ma­ção.

Su­per­vi­são no Cu­ne­ne

A Co­mis­são Pro­vin­ci­al Elei­to­ral do Cu­ne­ne (CPE) ini­ci­ou on­tem o pro­ces­so de su­per­vi­são de ac­tu­a­li­za­ção de da­dos e do re­gis­to elei­to­ral, in­for­mou o pre­si­den­te da Co­mis­são Pro­vin­ci­al Elei­to­ral. Jor­ge Bes­sa dis­se ter to­das as con­di­ções pre­pa­ra­das pa­ra a su­per­vi­são do pro­ces­so, no qua­dro das atri­bui­ções das ta­re­fas da Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral. “Fo­ram já de­fi­ni­das as for­mas co­mo es­te ór­gão vai exer­cer a su­per­vi­são, que vai ser atra­vés de vi­si­tas de cons­ta­ta­ção das bri­ga­das de re­gis­to e por meio da re­cep­ção de re­la­tó­ri­os pe­rió­di­cos so­bre o an­da­men­to do pro­ces­so do re­gis­to elei­to­ral, a se­rem en­tre­gues pe­lo Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio (MAT)”, dis­se Jor­ge Bes­sa, que acres­cen­tou: “Va­mos ac­tu­ar a ní­vel mu­ni­ci­pal e na­ci­o­nal, com equi­pas de su­per­vi­são com­pos­tas de três a qua­tro mem­bros que vão fa­zer es­te tra­ba­lho.”

A Co­mis­são Pro­vin­ci­al Elei­to­ral do Cu­ne­ne, in­for­mou Jor­ge Bes­sa, tem dis­po­ní­veis 137 su­per­vi­so­res dis­tri­buí­dos nos seis mu­ni­cí­pi­os da pro­vín­cia que vão acom­pa­nhar o pro­ces­so. Jor­ge Bes­sa ga­ran­tiu que a Co­mis­são Pro­vin­ci­al Elei­to­ral con­ti­nua em­pe­nha­da na re­a­li­za­ção de ta­re­fas pa­ra que na­da fal­te du­ran­te o pro­ces­so. “Con­ti­nu­a­mos em­pe­nha­dos com a mes­ma res­pon­sa­bi­li­da­de no sen­ti­do de al­can­çar to­dos os ob­jec­ti­vos tra­ça­dos na ma­te­ri­a­li­za­ção da su­per­vi­são do re­gis­to elei­to­ral”, dis­se Jor­ge Bes­sa.

O pre­si­den­te da Co­mis­são Pro­vin­ci­al Elei­to­ral fa­lou tam­bém dos ór­gãos que es­tão di­rec­ta­men­te en­vol­vi­dos na ta­re­fa de su­per­vi­são e des­ta­cou o tra­ba­lho do Mi­nis­té­rio da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio, que vai exe­cu­tar o re­gis­to elei­to­ral. À Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral cou­be o pa­pel de su­per­vi­são.

KINDALA MA­NU­EL

Co­mis­são Na­ci­o­nal Elei­to­ral deu on­tem iní­cio aos tra­ba­lhos de su­per­vi­são do pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção pre­sen­ci­al de da­dos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.