Cen­tral de aten­di­men­to inau­gu­ra­da

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - ARCÂNGELA RO­DRI­GUES |

Uma cen­tral de aten­di­men­to, com três li­nhas te­le­fó­ni­cas de apoio ao uten­te, foi, on­tem, inau­gu­ra­da em Lu­an­da pe­la Agên­cia Na­ci­o­nal de Re­sí­du­os, nu­ma ce­ri­mó­nia pre­si­di­da pe­lo pre­si­den­te do seu Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção, Sa­bi­no Fer­raz.

A cen­tral fun­ci­o­na com um ca­nal de de­nún­ci­as, cu­jo nú­me­ro é 923166756, dis­po­ní­vel 24 ho­ras por dia, uma li­nha de aten­di­men­to ao cli­en­te, com o mes­mo nú­me­ro, a fun­ci­o­nar de se­gun­da a sex­ta-fei­ra, das 8 às 17 ho­ras, e o 991166756, dis­po­ní­vel no WhatsApp 24 ho­ras por dia.

A cen­tral de aten­di­men­to tem por mis­são re­ce­ber e aten­der re­cla­ma­ções dos be­ne­fi­ciá­ri­os das ac­ti­vi­da­des de ges­tão dos re­sí­du­os só­li­dos, sen­si­bi­li­zar pa­ra a me­lho­ria da re­co­lha e tra­ta­men­to de li­xo e dis­po­ni­bi­li­zar in­for­ma­ções so­bre ma­té­ri­as li­ga­das aos re­sí­du­os só­li­dos.

No seu dis­cur­so, Sa­bi­no Fer­raz afir­mou que a cen­tral de aten­di­men­to, já dis­po­ní­vel ao pú­bli­co des­de o dia da sua inau­gu­ra­ção, vai per­mi­tir uma me­lhor re­la­ção com a po­pu­la­ção e en­ti­da­des sin­gu­la­res e co­lec­ti­vas.

Sa­bi­no Fer­raz lem­brou que a Agên­cia Na­ci­o­nal de Re­sí­du­os tem a com­pe­tên­cia de re­gu­lar a ac­ti­vi­da­de de con­ces­são de ser­vi­ço pú­bli­co na área de re­sí­du­os, dar res­pos­ta às re­cla­ma­ções dos be­ne­fi­ciá­ri­os, re­sol­ver con­fli­tos que en­vol­vam as ope­ra­do­ras na ges­tão dos re­sí­du­os só­li­dos e fis­ca­li­zar.

AA­gên­cia Na­ci­o­nal de Re­sí­du­os, inau­gu­ra­da em Ou­tu­bro de 2014, tem a sua se­de na ur­ba­ni­za­ção No­va Vi­da, mu­ni­cí­pio de Be­las.

Na ce­ri­mó­nia de inau­gu­ra­ção, a mi­nis­tra do Am­bi­en­te, Ma­ria de Fá­ti­ma Jar­dim, dis­se es­pe­rar que a agên­cia ma­te­ri­a­li­ze os pla­nos es­tra­té­gi­cos tra­ça­dos, que in­clu­em um pro­gra­ma de re­co­lha se­lec­ti­va e re­ci­cla­gem de re­sí­du­os, com vis­ta à pro­mo­ção da saú­de e bem-es­tar das po­pu­la­ções.

Em Ju­lho do ano pas­sa­do, o mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio, Bor­ni­to de Sou­sa, dis­se, num se­mi­ná­rio so­bre “Con­tro­lo e Fis­ca­li­za­ção na área dos Re­sí­du­os”, des­ti­na­do a go­ver­na­do­res pro­vin­ci­ais e a ad­mi­nis­tra­do­res mu­ni­ci­pais, que os mu­ni­cí­pi­os e as ci­da­des em An­go­la de­vem se­guir o exem­plo de paí­ses em que o li­xo é trans­for­ma­do de um mal pa­ra uma van­ta­gem, uma vez que po­de ser usa­do co­mo uma fon­te de re­cei­tas e em ener­gia lim­pa.

O se­mi­ná­rio, re­a­li­za­do em Lu­an­da, foi or­ga­ni­za­do pe­lo Mi­nis­té­rio do Am­bi­en­te em par­ce­ria com a Agên­cia Na­ci­o­nal de Re­sí­du­os.

M.MACHANGONGO

Po­pu­la­ção vai ser mais in­ter­ven­ti­va na fis­ca­li­za­ção com a aber­tu­ra da cen­tral de aten­di­men­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.