No­vo pó­lo no Lubango

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

Um no­vo Pó­lo de De­sen­vol­vi­men­to In­dus­tri­al é cri­a­do es­te ano na cen­tra­li­da­de da Eywa, ar­re­do­res do Lubango, pe­la Di­rec­ção da In­dús­tria Ge­o­lo­gia e Mi­nas da Huí­la, nu­ma área de 400 hec­ta­res.

A An­gop ci­tou on­tem a di­rec­to­ra des­tes ser­vi­ços a afir­mar que o pó­lo pre­vê a im­plan­ta­ção de uni­da­des de trans­for­ma­ção de ro­chas or­na­men­tais, pro­du­ção de ali­men­tos, ves­tuá­rio e ma­te­ri­ais de cons­tru­ção.

Pau­la Jo­a­quim re­fe­riu-se a em­pre­sá­ri­os in­te­res­sa­dos em ins­ta­lar já fá­bri­cas de com­po­nen­tes pa­ra ca­sas pré-fa­bri­ca­das, de ra­ções, ci­men­to e trans­for­ma­ção de ro­chas or­na­men­tais (gra­ni­to ne­gro) e o pro­ces­so só não avan­çou mais de­vi­do a al­gu­mas obri­ga­ções que es­tão a ser tra­ta­das jun­to dos mi­nis­té­ri­os da Ge­o­lo­gia e Mi­nas e da In­dús­tria, dis­se Pau­la Jo­a­quim, que acres­cen­tou: “Com a cri­a­ção da no­va zo­na, pre­vê-se ge­rar mais opor­tu­ni­da­des pa­ra as em­pre­sas que ope­ram na pro­vín­cia da Huí­la, a fim de di­na­mi­zar a ex­plo­ra­ção de gra­ni­to ne­gro e a sua trans­for­ma­ção em uni­da­des fa­bris da re­gião, as­sim co­mo im­pul­si­o­nar a in­dús­tria ali­men­tar e de ves­tuá­rio.”

A cri­a­ção da no­va zo­na vai ga­ran­tir que mais em­pre­sas te­nham a opor­tu­ni­da­de de tra­ba­lhar na área, bem co­mo ofe­re­cer mai­or nú­me­ro de pos­tos de tra­ba­lho aos jo­vens.

Ges­to­res das áre­as de su­per­vi­são e re­gu­la­ção do Ban­co Na­ci­o­nal de An­go­la (BNA), in­cluin­do o go­ver­na­dor da ins­ti­tui­ção, Val­ter Fi­li­pe, e re­pre­sen­tan­tes dos prin­ci­pais ban­cos an­go­la­nos e da as­so­ci­a­ção re­pre­sen­ta­ti­va do sec­tor, a Abanc, reu­ni­ram ter­ça-fei­ra, em Washing­ton, com a As­so­ci­a­ção de Ban­cos e Re­gu­la­do­res Ame­ri­ca­nos (ABA) e com as ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras de pri­mei­ro es­ca­lão da ban­ca nor­te-ame­ri­ca­na.

O ob­jec­ti­vo dos con­tac­tos foi apre­sen­tar o pla­no de ade­qua­ção do sis­te­ma fi­nan­cei­ro an­go­la­no às nor­mas pru­den­ci­ais e bo­as prá­ti­cas in­ter­na­ci­o­nais, mos­tran­do os avan­ços efec­tu­a­dos de co­mo ir ao en­con­tro das nor­mas de re­gu­la­ção vi­gen­tes tan­to nos Es­ta­dos Uni­dos co­mo na Eu­ro­pa, que ho­je são mais aper­ta­das.

In­ter­ven­ções da as­so­ci­a­ção de ban­cos ame­ri­ca­nos, da Uni­da­de de In­for­ma­ção Fi­nan­cei­ra, de ban­cos co­mer­ci­ais an­go­la­nos e ame­ri­ca­nos do­mi­na­ram o en­con­tro, que se cen­trou no apri­mo­ra­men­to ao com­ba­te ao bran­que­a­men­to de ca­pi­tais e de fi­nan­ci­a­men­to ao ter­ro­ris­mo.

À me­sa, es­te­ve ain­da a su­per­vi­são com­por­ta­men­tal e pru­den­ci­al, tec­no­lo­gi­as de in­for­ma­ção, for­ma­ção de re­cur­sos hu­ma­nos e o com­pli­an­ce, ten­do fi­ca­do si­na­li­za­da a as­si­na­tu­ra de um me­mo­ran­do de en­ten­di­men­to en­tre as res­pec­ti­vas as­so­ci­a­ções ban­cá­ri­as. O Ban­co Na­ci­o­nal de An­go­la tra­ba­lha ago­ra com o Re­ser­ve Bank, da Áfri­ca do Sul, o Ban­co de Por­tu­gal, o Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal e o Ban­co Mun­di­al, com o ob­jec­ti­vo de mos­trar o qua­dro ac­tu­al da ban­ca an­go­la­na.

Tra­ta-se de uma fren­te am­pla na­ci­o­nal, en­vol­ven­do o ban­co cen­tral e a ban­ca co­mer­ci­al na­ci­o­nal, a qual ac­tua nos cen­tros fi­nan­cei­ros mun­di­ais, no sen­ti­do de tra­zer cre­di­bi­li­da­de ao sis­te­ma fi­nan­cei­ro an­go­la­no, com a úni­ca fi­na­li­da­de de des­blo­que­ar o pro­ble­ma exis­ten­te nas re­la­ções com os ban­cos cor­res­pon­den­tes in­ter­na­ci­o­nais.

Na agen­da do Ban­co Na­ci­o­nal de An­go­la, cons­tam en­con­tros com os de­par­ta­men­tos de Es­ta­do nor­te­a­me­ri­ca­no, de Jus­ti­ça e do Te­sou­ro. As ins­ti­tui­ções com quem o BNA já man­te­ve en­con­tros são o Bank of Amé­ri­ca, Exim, Uni­ted Bank, World Bank, Ted Bank, Or­chard We­alth and Le­gacy Ma­na­ge­ment, Ci­ti­bank e Ca­pi­tal One.

O en­con­tro de ter­ça-fei­ra em Washing­ton, com a As­so­ci­a­ção de Ban­cos e Re­gu­la­do­res nor­te-ame­ri­ca­nos e gran­des ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras dos Es­ta­dos Uni­dos, con­tou com a pre­sen­ça do em­bai­xa­dor de An­go­la nos Es­ta­dos Uni­dos, Agos­ti­nho Ta­va­res, e com a di­rec­to­ra exe­cu­ti­va an­go­la­na da 25ª Cons­ti­tuên­cia do Ban­co Mun­di­al, Ana Di­as Lou­ren­ço.

A mis­são an­go­la­na es­tá em Washing­ton des­de o iní­cio des­te mês, ten­do já par­ti­ci­pa­do das reu­niões es­ta­tu­tá­ri­as das ins­ti­tui­ções de Bret­ton Wo­ods e man­ti­do vá­ri­os en­con­tros com in­ves­ti­do­res, em pai­néis or­ga­ni­za­dos pe­los ban­cos VTB Ca­pi­tal, Stan­dard Bank e JP Mor­gan, em que fo­ram par­ti­lha­das in­for­ma­ções re­le­van­tes pa­ra os mer­ca­dos fi­nan­cei­ros in­ter­na­ci­o­nais.

KINDALA MANUEL

Ban­ca na­ci­o­nal apos­ta na con­for­mi­da­de le­gal

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.