In­ves­ti­ga­ção ci­en­tí­fi­ca é pri­o­ri­da­de

Mi­nis­tro Luís Go­mes Sam­bo de­fen­de uma po­lí­ti­ca na­ci­o­nal no sec­tor

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

A in­ves­ti­ga­ção ci­en­tí­fi­ca no Sis­te­ma Na­ci­o­nal de Saú­de é uma pri­o­ri­da­de na agen­da do Mi­nis­té­rio da Saú­de, de­cla­rou na ter­ça-fei­ra, em Lu­an­da, o ti­tu­lar da pas­ta.

Luís Go­mes Sam­bo, que fa­la­va a jor­na­lis­tas du­ran­te uma vi­si­ta da mi­nis­tra da Ci­ên­cia e Tec­no­lo­gia, Ma­ria Cân­di­da Tei­xei­ra, ao Mi­nis­té­rio da Saú­de e ao Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Saú­de Pú­bli­ca, dis­se que o re­for­ço da in­ves­ti­ga­ção ci­en­tí­fi­ca é ne­ces­sá­rio pa­ra dar res­pos­tas efi­ca­zes às ques­tões de saú­de em An­go­la.

O mi­nis­tro da saú­de ma­ni­fes­tou a sua sa­tis­fa­ção com a ac­tu­al co­la­bo­ra­ção com o Mi­nis­té­rio da Ci­ên­cia e Tec­no­lo­gia e in­sis­tiu na ne­ces­si­da­de de ser de­fi­ni­da uma po­lí­ti­ca na­ci­o­nal de in­ves­ti­ga­ção ci­en­tí­fi­ca no do­mí­nio da saú­de e tam­bém uma es­tra­té­gia.

Além dis­so, o mi­nis­tro Luís Go­mes Sam­bo dis­se ser ne­ces­sá­rio “ali­nhar” par­te do or­ça­men­to do Mi­nis­té­rio da Saú­de pa­ra a in­ves­ti­ga­ção, so­bre­tu­do nas uni­da­des sa­ni­tá­ri­as di­fe­ren­ci­a­das.

O ali­nha­men­to, acres­cen­tou, é ex­ten­si­vo aos pro­gra­mas e aos ins­ti­tu­tos de saú­de pú­bli­ca, por se­rem res­pon­sá­veis pe­lo aten­di­men­to à po­pu­la­ção, sem nun­ca pôr de par­te a in­ves­ti­ga­ção des­ti­na­da à me­lho­ria da con­di­ção pro­fis­si­o­nal dos téc­ni­cos.

Cen­tro mé­di­co no Kilamba

Um gru­po de pro­fis­si­o­nais de saú­de, en­tre an­go­la­nos e cu­ba­nos, abriu, na Cen­tra­li­da­de do Kilamba, pro­vín­cia de Lu­an­da, um cen­tro mé­di­co

Luís Go­mes Sam­bo dis­se que o re­for­ço da in­ves­ti­ga­ção ci­en­tí­fi­ca é ne­ces­sá­rio pa­ra dar res­pos­tas efi­ca­zes às ques­tões de saú­de em An­go­la

com o ob­jec­ti­vo de apoi­ar, a pre­ços aces­sí­veis, os es­for­ços do Exe­cu­ti­vo na ex­pan­são dos ser­vi­ços de saú­de à po­pu­la­ção.

A res­pon­sá­vel da uni­da­de sa­ni­tá­ria, Ireilys Fer­rer, dis­se, na ter­ça-fei­ra, à An­gop que o Me­di­cal One, no­me do es­ta­be­le­ci­men­to, tem ca­pa­ci­da­de pa­ra aten­der 100 pes­so­as por dia e dá pri­o­ri­da­de no aten­di­men­to a cri­an­ças, grá­vi­das e pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia.

O gru­po de pro­fis­si­o­nais de­ci­diu abrir o es­ta­be­le­ci­men­to de saú­de na Cen­tra­li­da­de do Kilamba pa­ra fa­ci­li­tar a vi­da dos mo­ra­do­res, que dei­xam as­sim de se des­lo­car à ci­da­de à pro­cu­ra de ser­vi­ços de saú­de es­pe­ci­a­li­za­dos, de­cla­rou a mé­di­ca.

O cen­tro mé­di­co Me­di­cal One co­lo­cou à dis­po­si­ção da po­pu­la­ção ser­vi­ços de clí­ni­ca ge­ral, pe­di­a­tria, car­di­o­lo­gia, gas­tro­en­te­ro­lo­gia, gi­ne­co­lo­gia e obs­te­trí­cia, of­tal­mo­lo­gia, or­to­pe­dia e otor­ri­no­la­rin­go­lo­gia.

O cen­tro tem um la­bo­ra­tó­rio de aná­li­ses clí­ni­cas, com ca­pa­ci­da­de pa­ra 150 amos­tras por dia, uma sa­la de eco­gra­fi­as e uma ou­tra de ob­ser­va­ção, on­de os ca­sos de emer­gên­cia mé­di­ca re­ce­bem o pri­mei­ro au­xí­lio, pa­ra de­pois se­rem trans­fe­ri­dos pa­ra hos­pi­tais de re­fe­rên­cia.

Lo­ca­li­za­do na rua do Ke­ro, jun­to ao shop­ping “Mall Chi­nês”, o cen­tro mé­di­co tem um cor­po clí­ni­co in­te­gra­do por 16 mé­di­cos, dois en­fer­mei­ros e dois téc­ni­cos de la­bo­ra­tó­rio, en­tre an­go­la­nos e cu­ba­nos. Es­tá aber­to das 8h00 às 22h00.

PAU­LO MULAZA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.