Des­mi­na­gem alar­ga pra­zos

Jornal de Angola - - PARTADA -

O pre­si­den­te da Co­mis­são Na­ci­o­nal In­ter­sec­to­ri­al de Des­mi­na­gem e As­sis­tên­cia Hu­ma­ni­tá­ria (CNIDAH), San­ta­na An­dré Pi­tra “Pe­troff”, afir­mou quin­ta-fei­ra que An­go­la pre­ten­de sub­me­ter até 31 de Mar­ço de 2017 um se­gun­do pe­di­do de ex­ten­são do pra­zo pa­ra con­si­de­rar o país li­vre de mi­nas.

O pre­si­den­te da Co­mis­são Na­ci­o­nal In­ter­sec­to­ri­al de Des­mi­na­gem e As­sis­tên­cia Hu­ma­ni­tá­ria (CNIDAH), San­ta­na An­dré Pi­tra “Pe­troff afir­mou quin­ta-fei­ra, em Lu­an­da, que An­go­la pre­ten­de sub­me­ter um se­gun­do pe­di­do de ex­ten­são do pra­zo pa­ra con­si­de­rar o país li­vre de mi­nas, até 31 de Mar­ço de 2017.

O res­pon­sá­vel dis­se que An­go­la ne­ces­si­ta de uma con­tri­bui­ção de mais de 275,2 mi­lhões de dó­la­res pa­ra des­mi­nar o país até 2025, ac­tu­al­men­te ain­da com 1.435 áre­as mi­na­das.

A CNIDAH reu­niu, quin­ta-fei­ra, em Lu­an­da com os prin­ci­pais do­a­do­res da ac­ção con­tra as mi­nas em An­go­la.

San­ta­na An­dré Pi­tra “Pe­troff” dis­se que a cri­se eco­nó­mi­ca e fi­nan­cei­ra que o país en­fren­ta afec­tou sig­ni­fi­ca­ti­va­men­te a ca­pa­ci­da­de na­ci­o­nal de fi­nan­ci­a­men­to das ope­ra­ções de des­mi­na­gem.

O res­pon­sá­vel fri­sou que “a man­ter-se tal si­tu­a­ção [de cri­se], o país po­de­rá não ser ca­paz de, por si só, cum­prir sa­tis­fa­to­ri­a­men­te o ar­ti­go 5º da Con­ven­ção de Otawa até 2025, con­for­me pos­tu­la a De­cla­ra­ção de Ma­pu­to”, re­fe­riu.

Pe­troff dis­se que des­mi­nar An­go­la é um de­sa­fio, por­que pas­sa­dos 14 anos de paz, cen­te­nas de an­go­la­nos, in­cluin­do mu­lhe­res e cri­an­ças, con­ti­nu­am a ser ví­ti­mas de mi­nas ter­res­tres e de ou­tros en­ge­nhos re­ma­nes­cen­tes da guer­ra. “Po­de­mos ci­tar aqui o exem­plo do úl­ti­mo in­ci­den­te que ocor­reu na pro­vín­cia do Bié, no mês pas­sa­do, que vi­ti­mou se­te pes­so­as da mes­ma fa­mí­lia. Es­te fac­to de­mons­tra cla­ra­men­te a com­ple­xi­da­de exis­ten­te em li­dar com as mi­nas ter­res­tres”, afir­mou. Se­gun­do o res­pon­sá­vel, a des­mi­na­gem é um im­pe­ra­ti­vo pa­ra res­pon­der igual­men­te ao de­sa­fio de di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia, sa­li­en­tan­do que con­si­de­rá­veis ex­ten­sões de ter­ras ará­veis con­ti­nu­am con­ta­mi­na­das e inú­me­ros pro­jec­tos so­ci­ais, eco­nó­mi­cos, tu­rís­ti­cos e am­bi­en­tais de­pen­dem da lim­pe­za des­sas áre­as.

O pre­si­den­te da CNIDAH su­bli­nhou que o pro­ces­so de des­mi­na­gem em An­go­la é mui­to mais com­ple­xo, mo­ro­so e one­ro­so, com­pa­ra­ti­va­men­te a ou­tros paí­ses, de­vi­do à sua ex­ten­são ter­ri­to­ri­al, à lon­ge­vi­da­de do con­fli­to ar­ma­do e a fac­to­res cli­má­ti­cos.

An­go­la já de­sem­bol­sou cer­ca de 500 mi­lhões de dó­la­res pa­ra o seu pro­ces­so de des­mi­na­gem, que até à pre­sen­te da­ta dei­xou 1.858 áre­as li­vres de mi­nas.

Ac­tu­al­men­te, es­tá em cur­so uma pes­qui­sa pa­ra ac­tu­a­li­zar as in­for­ma­ções so­bre o pro­ble­ma das mi­nas no país, que co­me­çou a ser mi­na­do na dé­ca­da de 60 e te­ve mais de 15 ac­to­res no con­fli­to ar­ma­do cul­mi­na­do em 2002.

As pes­qui­sas fo­ram já con­cluí­das em dez das 18 pro­vín­ci­as do país, es­tan­do em cur­so em Ma­lan­je, Cu­ne­ne e Mo­xi­co, com pre­vi­são de ter­mi­nar no fi­nal des­te ano.

De acor­do com da­dos da CNIDAH, fo­ram já an­ga­ri­a­dos fun­dos pa­ra actualização da pes­qui­sa na pro­vín­cia do Ben­go, que de­ve es­ten­der-se até Lu­an­da, a ca­pi­tal do país.

Por pes­qui­sar, ain­da es­tão as pro­vín­ci­as do Mo­xi­co, Lun­da Nor­te, Lun­da Sul e Ca­bin­da, cu­jo cus­to es­tá or­ça­do em 228 mil dó­la­res, de­ven­do o tra­ba­lho fi­car con­cluí­do an­tes do fim de Mar­ço de 2017, a ba­se pa­ra An­go­la apre­sen­tar o seu pe­di­do de ex­ten­são. Pa­ra uma An­go­la li­vre de mi­nas, nos cam­pos co­nhe­ci­dos, até 2025, o Go­ver­no es­ti­ma o va­lor de 275 mi­lhões de dó­la­res.

KINDALA MA­NU­EL

Pre­si­den­te da Co­mis­são Na­ci­o­nal In­ter­sec­to­ri­al de Des­mi­na­gem An­dré Pi­tra “Pe­troff”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.