Mi­nis­tro de­fen­de in­te­rac­ção com os par­ti­dos

Jornal de Angola - - POLÍTICA - FLÁVIA MASSUA e KAMUANGA JÚ­LIA | Sau­ri­mo

O mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio de­fen­deu on­tem, em Sau­ri­mo, um diá­lo­go per­ma­nen­te en­tre a Di­rec­ção dos Re­gis­tos e os par­ti­dos po­lí­ti­cos, pa­ra os de­vi­dos es­cla­re­ci­men­tos so­bre o an­da­men­to do pro­ces­so de actualização do re­gis­to elei­to­ral em cur­so no país.

Bor­ni­to de Sou­sa fa­la­va num en­con­tro man­ti­do com mem­bros do Go­ver­no Pro­vin­ci­al da Lun­da Sul e da so­ci­e­da­de ci­vil, que de­cor­reu no an­fi­te­a­tro do Ins­ti­tu­to Mé­dio Po­li­téc­ni­co de Sau­ri­mo.

No seu dis­cur­so, o mi­nis­tro es­cla­re­ceu al­gu­mas si­tu­a­ções li­ga­das à im­por­tân­cia da actualização de da­dos elei­to­rais e o re­gis­to de ci­da­dãos que com­ple­tem 18 anos até 2017, des­ta­can­do os ní­veis cres­cen­tes de “abs­ten­ção que em 2008 fo­ram de 13 por cen­to e em 2012 atin­gi­ram os 37. Bor­ni­to de Sou­sa con­si­de­rou pre­o­cu­pan­tes es­tes da­dos, ra­zão pe­la qu­al, dis­se, no mo­de­lo de ac­tu­a­ção no pro­ces­so de actualização dos ci­da­dãos, pa­ra as elei­ções de 2017, op­tou-se por tec­no­lo­gi­as mais avan­ça­das que per­mi­tam um con­tro­lo mais efi­caz.

Du­ran­te o en­con­tro, fo­ram le­van­ta­das ques­tões li­ga­das à fra­ca ac­tu­a­ção dos agen­tes cí­vi­cos, si­tu­a­ção de ci­da­dãos que des­de as úl­ti­mas elei­ções, em 2012, pas­sa­ram a re­si­dir no ex­te­ri­or do país e a con­fu­são que al­guns fa­zem so­bre o re­gis­to elei­to­ral e o re­gis­to de da­dos que as ope­ra­do­ras de te­le­fo­nia mó­vel tam­bém es­tão a efec­tu­ar. Quan­to ao úl­ti­mo as­sun­to, o mi­nis­tro es­cla­re­ceu que uma coi­sa não tem na­da a ver com a ou­tra. Um re­gis­to de da­dos te­le­fó­ni­cos na­da tem a ver com o re­gis­to elei­to­ral.

Quan­to à par­ti­ci­pa­ção dos ci­da­dãos an­go­la­nos que re­si­dem no ex­te­ri­or do país, Bor­ni­to de Sou­sa dis­se que a lei é cla­ra e a cons­ci­ên­cia de ca­da um po­de pe­sar qu­an­do se tra­ta de de­ci­dir so­bre os des­ti­nos da na­ção. “A dis­po­ni­bi­li­za­ção de ca­da ci­da­dão pa­ra par­ti­ci­par nas elei­ções do seu país re­pre­sen­ta um ac­to cí­vi­co de ma­tu­ri­da­de e de res­pei­to à de­mo­cra­cia”, dis­se o mi­nis­tro.

De­pois de de­sem­bar­car no ae­ro­por­to “De­o­lin­da Ro­dri­gues”, o mi­nis­tro da Ad­mi­nis­tra­ção do Ter­ri­tó­rio, em com­pa­nhia da go­ver­na­do­ra Cân­di­da Nar­ci­so, vi­si­tou as bri­ga­das fi­xas de re­gis­to elei­to­ral si­tu­a­das nos bair­ros Mu­lom­be, San­to An­tó­nio e 11 de No­vem­bro, bem co­mo o ar­ma­zém lo­gís­ti­co, si­tu­a­do nos ar­re­do­res do bair­ro da Ju­ven­tu­de. Aqui, Bor­ni­to de Sou­sa as­sis­tiu ao re­gis­to de al­guns ci­da­dãos, dei­xou pa­la­vras de en­co­ra­ja­men­to e pa­ci­ên­cia aos bri­ga­dis­tas, pa­ra um des­fe­cho sa­lu­tar do pro­ces­so.

O di­rec­tor pro­vin­ci­al dos Re­gis­tos, Do­min­gos Ca­tam­bi­la, apre­sen­tou as es­ta­tís­ti­cas. Com mais de 500 mil ha­bi­tan­tes, a pro­vín­cia da Lun­da Sul es­ti­ma re­gis­tar 192.242 ci­da­dãos. Des­de o iní­cio do pro­ces­so, a 25 de Agos­to pas­sa­do, 53.420 ci­da­dãos efec­tu­a­ram a pro­va de vi­da na pro­vín­cia.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.