Aten­ção à mu­lher ru­ral

FÓRUM EM MALANJE RECOMENDA EMPODERAMENTO

Jornal de Angola - - PARTADA - LUÍSA VICTORIANO |* Malanje * Com An­gop

A mi­nis­tra da Fa­mí­lia e Pro­mo­ção da Mu­lher, Fi­lo­me­na Del­ga­do, re­a­fir­mou em Malanje a ne­ces­si­da­de do empoderamento das mu­lhe­res, so­bre­tu­do as do meio ru­ral, en­quan­to in­dis­pen­sá­veis par­tí­ci­pes do pro­ces­so de de­sen­vol­vi­men­to das co­mu­ni­da­des, com vis­ta à me­lho­ria das con­di­ções de vi­da e pro­mo­ção do bem-es­tar so­ci­al. Ao dis­cur­sar du­ran­te o IX Fórum Na­ci­o­nal da Mu­lher Ru­ral, que en­cer­rou sex­ta-fei­ra em Malanje, Fi­lo­me­na Del­ga­do pe­diu mais diá­lo­go com as mu­lhe­res pa­ra que se­jam en­con­tra­das as me­lho­res pa­ra os pro­ble­mas que elas en­fren­tam no dia-a-dia. De­fen­deu a im­por­tân­cia da ele­va­ção do ní­vel de for­ma­ção técnico-pro­fis­si­o­nal da mu­lher nas zo­nas ru­rais, pa­ra que pos­sam ge­rir me­lhor os seus ne­gó­ci­os. O co­or­de­na­dor re­si­den­te da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das em An­go­la, Pa­o­lo Ba­la­del­li, dis­se que é pre­ci­so pres­tar uma aten­ção es­pe­ci­al à mu­lher ru­ral, que tem res­pon­sa­bi­li­da­des acres­ci­das na se­gu­ran­ça dos la­res, ali­men­ta­ção das fa­mí­li­as, saú­de e edu­ca­ção das fu­tu­ras ge­ra­ções. Pa­o­lo Ba­la­del­li enal­te­ceu a ini­ci­a­ti­va do Mi­nis­té­rio da Fa­mí­lia e Pro­mo­ção da Mu­lher de re­a­li­zar o en­con­tro em Malanje e acres­cen­tou que o Fórum vai per­mi­tir tra­çar po­lí­ti­cas con­cre­tas pa­ra a re­du­ção da po­bre­za nas co­mu­ni­da­des ru­rais.

A mi­nis­tra da Fa­mí­lia e Pro­mo­ção da Mu­lher, Fi­lo­me­na Del­ga­do, re­a­fir­mou, em Malanje, a ne­ces­si­da­de do empoderamento das mu­lhe­res, so­bre­tu­do as do meio ru­ral, en­quan­to in­dis­pen­sá­veis par­tí­ci­pes do pro­ces­so de de­sen­vol­vi­men­to das co­mu­ni­da­des, com vis­ta à me­lho­ria das con­di­ções de vi­da e pro­mo­ção do bem-es­tar.

Ao dis­cur­sar na aber­tu­ra do IX Fórum Na­ci­o­nal da Mu­lher Ru­ral, que de­cor­reu em Malanje, sob o le­ma “Re­for­ce­mos o pa­pel da mu­lher ru­ral pa­ra os de­sa­fi­os da diversificação da eco­no­mia”, Fi­lo­me­na Del­ga­do pe­diu mais diá­lo­go com as mu­lhe­res pa­ra se afe­rir as prin­ci­pais di­fi­cul­da­des que as mes­mas en­fren­tam e, a par­tir daí, en­con­trar-se me­ca­nis­mos pa­ra os so­lu­ci­o­nar.

As mu­lhe­res, ex­pli­cou, são as ca­ta­li­sa­do­ras do pro­gres­so das co­mu­ni­da­des, pe­lo que não po­dem des­cu­rar a im­por­tân­cia de ele­va­rem o seu ní­vel de for­ma­ção técnico-pro­fis­si­o­nal, am­pli­an­do des­te mo­do as su­as com­pe­tên­ci­as pa­ra o au­men­to da pro­du­ção e, con­se­quen­te­men­te, con­tri­buí­rem pa­ra au­men­to de re­cei­tas pa­ra as res­pec­ti­vas fa­mí­li­as.

Fi­lo­me­na Del­ga­do enal­te­ceu os es­for­ços do Exe­cu­ti­vo em prol do de­sen­vol­vi­men­to da mu­lher, con­subs­tan­ci­a­dos na cri­a­ção de po­lí­ti­cas pa­ra o efei­to, com des­ta­que pa­ra a apro­xi­ma­ção dos dis­tin­tos ser­vi­ços so­ci­ais bá­si­cos nas co­mu­ni­da­des. Ao in­ter­vir no en­con­tro, o go­ver­na­dor de Malanje, Nor­ber­to dos San­tos “Kwa­ta Ka­nawa”, enal­te­ceu o con­tri­bu­to pres­ta­do pe­la mu­lher ru­ral na diversificação da eco­no­mia na­ci­o­nal. O go­ver­na­dor re­fe­riu que a mu­lher não se li­mi­ta a tra­ba­lhar na pro­du­ção agrí­co­la, mas sim em vá­ri­os sec­to­res so­ci­o­e­co­nó­mi­cos que têm con­tri­buí­do pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to do país.

“A mu­lher ru­ral é um sím­bo­lo vi­vo dos cos­tu­mes, tra­di­ções e co­nhe­ci­men­tos e, atra­vés des­tes prin­cí­pi­os, são trans­mi­ti­dos va­lo­res que iden­ti­fi­cam a cul­tu­ra de ca­da po­vo no seio fa­mi­li­ar”, sus­ten­tou Nor­ber­to dos San­tos. De acor­do com o go­ver­nan­te, a ní­vel do agre­ga­do fa­mi­li­ar, as mu­lhe­res ru­rais são pro­du­to­ras de bens e ser­vi­ços pa­ra o mer­ca­do que têm con­tri­buí­do pa­ra a ali­men­ta­ção de mui­tas fa­mí­li­as, pa­ra além do pa­pel de edu­ca­do­ra dos fi­lhos e de so­ci­a­li­za­ção de no­vas ge­ra­ções.

No­vas es­tra­té­gi­as

No seu en­ten­der, a re­a­li­za­ção do Fórum Na­ci­o­nal da Mu­lher Ru­ral vai per­mi­tir tra­çar no­vas es­tra­té­gi­as que vi­sam re­sol­ver os prin­ci­pais pro­ble­mas que as afec­tam, o seu empoderamento so­ci­o­e­co­nó­mi­co, bem co­mo pers­pec­ti­var uma par­ti­ci­pa­ção ac­ti­va e in­te­gra­da das mes­mas, ten­do em con­ta os de­sa­fi­os do Exe­cu­ti­vo fa­ce à ac­tu­al con­jun­tu­ra eco­nó­mi­ca. A di­rec­to­ra pro­vin­ci­al da Fa­mí­lia e Pro­mo­ção da Mu­lher, Ân­sia Sa­la­ti­el Ca­mu­an­ga, dis­se que o en­con­tro vi­sa pro­mo­ver o empoderamento da mu­lher ru­ral e das su­as fa­mí­li­as, pers­pec­ti­van­do uma par­ti­ci­pa­ção ac­ti­va e in­te­gra­da nas ini­ci­a­ti­vas que con­cor­rem pa­ra a diversificação da eco­no­mia e o de­sen­vol­vi­men­to das su­as co­mu­ni­da­des.

To­dos os es­for­ços vão ser fei­tos em con­jun­to com os par­cei­ros so­ci­ais pa­ra in­se­rir as mu­lhe­res em ac­ções que con­tri­bu­em pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to da eco­no­mia do país, ga­ran­tiu Ân­sia Sa­la­ti­el Ca­mu­an­ga. O en­con­tro, es­cla­re­ceu, vai per­mi­tir mo­bi­li­zar as mu­lhe­res ru­rais e cons­ci­en­ci­a­li­zá-las no que to­ca à sua par­ti­ci­pa­ção nas ta­re­fas li­ga­das à diversificação da eco­no­mia e pro­mo­ver o de­sen­vol­vi­men­to das co­mu­ni­da­des.

Se­gu­ran­ça dos la­res

O co­or­de­na­dor re­si­den­te da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das em An­go­la, Pa­o­lo Ba­la­del­li, dis­se que a mu­lher ru­ral tem res­pon­sa­bi­li­da­des acres­ci­das na se­gu­ran­ça dos la­res, ali­men­ta­ção das fa­mí­li­as, saú­de e edu­ca­ção, en­tre ou­tras. Pa­o­lo Ba­la­del­li enal­te­ceu a ini­ci­a­ti­va do Mi­nis­té­rio da Fa­mí­lia e Pro­mo­ção da Mu­lher de re­a­li­zar o en­con­tro e acres­cen­tou que o mes­mo vai per­mi­tir tra­çar po­lí­ti­cas con­cre­tas pa­ra a re­du­ção da po­bre­za nas co­mu­ni­da­des ru­rais.

Par­ti­ci­pa­ram no Fórum Na­ci­o­nal da Mu­lher Ru­ral a vi­ce-pre­si­den­te da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, Jo­a­na Li­na, deputados e mem­bros do Exe­cu­ti­vo e dos go­ver­nos pro­vin­ci­ais.Os par­ti­ci­pan­tes ana­li­sa­ram o grau de cum­pri­men­to das re­co­men­da­ções saí­das do Fórum Na­ci­o­nal de Aus­cul­ta­ção da Mu­lher Ru­ral, o pon­to de si­tu­a­ção dos pro­gra­mas mu­ni­ci­pais in­te­gra­dos de de­sen­vol­vi­men­to ru­ral e de com­ba­te à po­bre­za, pers­pec­ti­vas, cons­tran­gi­men­tos, as­sim co­mo o Pla­no Exe­cu­ti­vo de Com­ba­te à Vi­o­lên­cia Doméstica.

Ma­té­ri­as li­ga­das à si­tu­a­ção ac­tu­al da mu­lher ru­ral, in­te­gra­ção dos pro­gra­mas de Trans­fe­rên­ci­as Mo­ne­tá­ri­as Di­rec­tas e de Aqui­si­ção de Pro­du­tos Agro-Pe­cuá­ri­os (Pa­pa­gro), o re­lan­ça­men­to do cré­di­to agrí­co­la de cam­pa­nha, me­ca­nis­mos de re­for­ço e apoio à agri­cul­tu­ra fa­mi­li­ar, fo­men­to da aqui­cul­tu­ra e pis­ci­cul­tu­ra, bem co­mo o im­pac­to do ren­di­men­to das fa­mí­li­as do meio ru­ral, vão ser tam­bém dis­cu­ti­das du­ran­te o en­con­tro.

O Fórum Na­ci­o­nal da Mu­lher Ru­ral abor­dou igual­men­te ques­tões re­la­ci­o­na­das com as téc­ni­cas de pro­du­ção e cul­ti­vo de co­gu­me­los, o pro­gra­ma fi­nan­cei­ro com­par­ti­ci­pa­do pa­ra a me­lho­ria de ne­gó­ci­os, a si­tu­a­ção do pro­gra­ma “Água pa­ra To­dos”, mu­ni­ci­pa­li­za­ção dos ser­vi­ços de saú­de, ope­ra­ci­o­na­li­za­ção da Lei Ge­ral so­bre o co­o­pe­ra­ti­vis­mo, o sub­pro­gra­ma de­no­mi­na­do “Nas­cer com o re­gis­to” e a par­ti­ci­pa­ção de par­tei­ras tra­di­ci­o­nais.

Mi­nis­tra Fi­lo­me­na Del­ga­do re­al­çou o pa­pel das mu­lhe­res no pro­gres­so das co­mu­ni­da­des JO­SÉ SOARES

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.