Pre­si­den­te fa­la ho­je à Na­ção

Pro­gra­mas de­sen­vol­vi­dos pe­lo Exe­cu­ti­vo e pers­pec­ti­vas pa­ra o fu­tu­ro de­vem ser te­mas da men­sa­gem

Jornal de Angola - - PARTADA - ADELINA INÁ­CIO |*

O dis­cur­so do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca so­bre o es­ta­do da Na­ção, a ser pro­fe­ri­do ho­je na As­sem­bleia Na­ci­o­nal, por oca­sião da aber­tu­ra do no­vo ano le­gis­la­ti­vo, é aguar­da­do com bas­tan­te ex­pec­ta­ti­va, quer por par­te de po­lí­ti­cos, quer da so­ci­e­da­de no ge­ral. O mi­nis­tro da Administração Pú­bli­ca, Tra­ba­lho e Se­gu­ran­ça So­ci­al, António Pi­tra Ne­to, acre­di­ta que do dis­cur­so do Che­fe de Es­ta­do de­vem sair ori­en­ta­ções pa­ra o sec­tor que di­ri­ge. “Te­mos de­sa­fi­os im­por­tan­tes na área da for­ma­ção pro­fis­si­o­nal e te­mos ne­ces­si­da­de de fa­zer ar­ti­cu­la­ções no âm­bi­to da se­gu­ran­ça so­ci­al, e acre­di­ta­mos que se­rá um dis­cur­so bas­tan­te ori­en­ta­dor na­qui­lo que são os de­sa­fi­os e me­tas que te­mos”, sa­li­en­tou. Quem tam­bém aguar­da com ex­pec­ta­ti­va a men­sa­gem do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, na aber­tu­ra do ano le­gis­la­ti­vo, é o mi­nis­tro da Ener­gia e Águas, João Bap­tis­ta Bor­ges.

O dis­cur­so do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca so­bre o es­ta­do da Na­ção, a ser pro­fe­ri­do ho­je na As­sem­bleia Na­ci­o­nal, por oca­sião da aber­tu­ra do no­vo ano le­gis­la­ti­vo, é agua­da­do com bas­tan­te ex­pec­ta­ti­va, quer por par­te de po­lí­ti­cos, quer da so­ci­e­da­de no ge­ral.

O mi­nis­tro da Administração Pú­bli­ca, Tra­ba­lho e Se­gu­ran­ça So­ci­al, António Pi­tra Ne­to, acer­di­ta que do dis­cur­so do Che­fe de Es­ta­do po­de­rão sair ori­en­ta­ções pa­ra o sec­tor que di­ri­ge.

Em de­cla­ra­ções à An­gop, à mar­gem de uma visita de cons­ta­ta­ção so­bre o fun­ci­o­na­men­to dos Ser­vi­ços In­te­gra­dos do Ci­da­dão (SIAC), Pi­tra Ne­to re­fe­riu que as ori­en­ta­ções são ne­ces­sá­ri­as pa­ra se co­me­çar a apro­fun­dar e a me­lho­rar o pro­gra­ma de re­for­mas da administração pú­bli­ca.

“Te­mos de­sa­fi­os im­por­tan­tes na área da for­ma­ção pro­fis­si­o­nal e te­mos ne­ces­si­da­de de fa­zer ar­ti­cu­la­ções no âm­bi­to da se­gu­ran­ça so­ci­al, e acre­di­ta­mos que se­rá um dis­cur­so bas­tan­te ori­en­ta­dor na­qui­lo que são os de­sa­fi­os e me­tas que te­mos”, sa­li­en­tou.

Quem aguar­da tam­bém com ex­pec­ta­ti­va a men­sa­gem do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, ama­nhã, na aber­tu­ra do ano le­gis­la­ti­vo, é o mi­nis­tro da Ener­gia e Águas. João Bap­tis­ta Bor­ges dis­se es­pe­rar que a men­sa­gem do Che­fe de Es­ta­do abor­de os ga­nhos e os pro­gra­mas que es­tão a ser de­sen­vol­vi­dos no seu sec­tor. O mi­nis­tro es­pe­ra ain­da que o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca fa­ça re­fe­rên­cia aos pro­gra­mas de­sen­vol­vi­dos e as pers­pec­ti­vas cri­a­das com os in­ves­ti­men­tos efec­tu­a­dos pe­lo Exe­cu­ti­vo, ten­do em con­ta o im­pac­to sig­ni­fi­ca­ti­vo que es­te sec­tor tem na vi­da das po­pu­la­ções. “Es­pe­ro, aci­ma de tu­do, que Sua Ex­ce­lên­cia fa­le dos ga­nhos e tam­bém da­qui­lo que se pers­pec­ti­va pa­ra o fu­tu­ro, os gran­des in­ves­ti­men­tos que se vão fa­zer no do­mí­nio da ener­gia e das águas”, re­fe­riu. O secretário pro­vin­ci­al da UNITA no Mo­xi­co, João Cawe­za, dis­se es­pe­rar que o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Jo­sé Eduardo dos San­tos, fa­ça uma abor­da­gem so­bre o ac­tu­al es­ta­do da eco­no­mia an­go­la­na, quan­do dis­cur­sar na As­sem­bleia Na­ci­o­nal.

O po­lí­ti­co au­gu­ra que o Che­fe de Es­ta­do de­ta­lhe os da­dos re­la­ci­o­na­dos com o an­da­men­to do pro­gra­ma que da­rá sus­ten­ta­bi­li­da­de ali­men­tar, so­ci­al e eco­nó­mi­ca aos an­go­la­nos. “Que­re­mos ou­vir quais são as li­nhas que o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca po­de­rá di­tar pa­ra os an­go­la­nos”, fri­sou João Cawe­za, acres­cen­tan­do que aguar­da ain­da que o Che­fe de Es­ta­do fa­le da re­le­vân­cia do cré­di­to agrí­co­la de cam­pa­nha, um meio im­por­tan­te pa­ra es­ti­mu­lar o agri­cul­tor a au­men­tar a pro­du­ção.

Por sua vez, o secretário pro­vin­ci­al do PRS no Bié, Eduardo Kawin­di­ma, es­pe­ra que o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca apre­sen­te um dis­cur­so apa­zi­gua­dor, on­de to­dos os ci­da­dãos se re­ve­jam. O do­cen­te uni­ver­si­tá­rio Sa­bi­no Ca­ni­ve­te, da Es­co­la Su­pe­ri­or Po­li­téc­ni­ca do Bié, acre­di­ta que o Pre­si­den­te Jo­sé Eduardo dos San­tos po­de­rá pro­nun­ci­ar-se so­bre o Pla­no Na­ci­o­nal de For­ma­ção de Qu­a­dros, uma vez que a ju­ven­tu­de es­tá an­si­o­sa em au­men­tar, ca­da vez mais, o seu ní­vel aca­dé­mi­co e pro­fis­si­o­nal.

De acor­do com o do­cen­te, a abor­da­gem so­bre o es­ta­do ac­tu­al da Na­ção mo­ti­va de cer­ta ma­nei­ra a po­pu­la­ção, por ser um dis­cur­so ori­en­ta­dor que po­de­rá, de cer­ta ma­nei­ra, tra­zer con­for­to e âni­mo pa­ra os ci­da­dãos con­ti­nu­a­rem a tra­ba­lhar em prol da pá­tria.

“O Pre­si­den­te Jo­sé Eduardo dos San­tos ha­bi­tu­ou os an­go­la­nos a lan­çar men­sa­gens de es­pe­ran­ça de um fu­tu­ro me­lhor pa­ra o país”, afir­mou o do­cen­te, pa­ra quem o dis­cur­so de se­gun­da-fei­ra não de­ve fu­gir à re­gra.

Ex­pec­ta­ti­vas dos de­pu­ta­dos

Lí­de­res dos gru­pos par­la­men­ta­res re­pre­sen­ta­dos na As­sem­bleia Na­ci­o­nal dis­se­ram ao Jor­nal de An­go­la que há ex­pec­ta­ti­va re­la­ti­va­men­te à men­sa­gem so­bre o es­ta­do da Na­ção.

O quar­to vi­ce-pre­si­den­te da ban­ca­da par­la­men­tar do MPLA, João Pin­to, afir­mou que o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca de­ve fa­zer re­fe­rên­ci­as aos gran­des pla­nos e ob­jec­ti­vos na­ci­o­nais, da con­jun­tu­ra in­ter­na­ci­o­nal e da ques­tão da se­gu­ran­ça re­gi­o­nal, uma vez que An­go­la é um Es­ta­do res­pon­sá­vel pela se­gu­ran­ça da re­gião. O de­pu­ta­do afir­mou que o Che­fe de Es­ta­do vai ain­da no seu dis­cur­so ape­lar à uni­da­de e à co­e­são.

“O Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca vai ori­en­tar as li­nhas ge­rais das ques­tões a se­rem con­cre­ti­za­das no pro­gra­ma de go­ver­no de 2012-2017. Ape­sar de te­rem si­do di­mi­nuí­das as ex­pec­c­ta­ti­vas so­bre a sua exe­cu­ção, em con­sequên­cia da cri­se, os pro­jec­tos es­tru­tu­ran­tes des­te pro­gra­ma man­têm-se”, dis­se. João Pin­to afir­mou que, des­de 2012 - al­tu­ra em que co­me­çou o man­da­to dos ac­tu­ais de­pu­ta­dos - até ao mo­men­to, a eco­no­mia do país es­tá mais ro­bus­ta, a so­ci­e­da­de mais es­cla­re­ci­da, o nú­me­ro de qu­a­dros do país au­men­tou e a res­pon­sa­bi­li­da­de so­ci­al dos de­pu­ta­dos tam­bém. Os de­pu­ta­dos vão con­cre­ti­zar, até Mar­ço do pró­xi­mo ano, o que es­tá no Pla­no de Ta­re­fas Es­sen­ci­ais pa­ra a Re­a­li­za­ção das Elei­ções Ge­rais e Au­tár­qui­cas.

Pri­o­ri­da­des da UNITA

A vi­ce-pre­si­den­te do gru­po par­la­men­tar da UNITA, Na­vi­ta Ngo­lo, dis­se que o seu grui­po par­la­men­tar es­pe­ra que o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca cum­pra o que es­ta­be­le­ce a Cons­ti­tui­ção e di­ga ao país co­mo é que vai re­sol­ver as ne­ces­si­da­des bá­si­cas dos ci­da­dãos e a fal­ta de di­vi­sas. Na­vi­ta Ngo­lo afir­mou que a agen­da par­la­men­tar da UNITA es­tá vi­ra­da pa­ra a re­a­li­za­ção de elei­ções trans­pa­ren­tes no pró­xi­mo ano. O gru­po par­la­men­tar da UNITA, dis­se, vai con­ti­nu­ar a in­sis­tir que a ac­ti­vi­da­de par­la­men­tar che­gue a to­dos os ci­da­dãos, pa­ra que es­tes en­ten­dam o que se dis­cu­te na As­sem­bleia Na­ci­o­nal e o que os de­pu­ta­dos es­tão a fa­zer.

Co­mo pri­o­ri­da­des da UNITA na le­gis­la­tu­ra que ho­je co­me­ça apon­tou o com­ba­te à cor­rup­ção, a al­te­ra­ção à Lei so­bre as Elei­ções Ge­rais e a apro­va­ção do pa­co­te das elei­ções au­tár­qui­cas. Re­la­ti­va­men­te às pro­pos­tas de al­te­ra­ção da Lei das Elei­ções Ge­rais, Na­vi­ta Ngo­lo con­si­de­ra que a pro­pos­ta do MPLA “es­tá aquém da­qui­lo que de­ve ser um pro­ces­so nor­mal das elei­ções”.

CA­SA quer mais con­di­ções

O vi­ce-pre­si­den­te do gru­po par­la­men­tar da CA­SA-CE, Ma­nu­el Fernandes, dis­se que a co­li­ga­ção vai in­sis­tir na me­lho­ria das con­di­ções de tra­ba­lho dos de­pu­ta­dos, bem co­mo na pro­ble­má­ti­ca re­la­ci­o­na­da com a trans­mis­são in­di­rec­ta dos de­ba­tes da As­sem­bleia Na­ci­o­nal.

Ma­nu­el Fernandes en­ten­de ser im­por­tan­te que o Par­la­men­to dê opor­tu­ni­da­de ao elei­to­ra­do de ve­rem os seus elei­tos na As­sem­bleia Na­ci­o­nal. A CA­SA-CE tam­bém vai cen­trar as su­as aten­ções na apro­va­ção do Pa­co­te Le­gis­la­ti­vo elei­to­ral que vai dar cor­po à re­a­li­za­ção das elei­ções ge­rais no pró­xi­mo ano. Apon­tou ain­da co­mo pri­o­ri­da­de o de­ba­te do Re­gi­men­to In­ter­no da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, um di­plo­ma que re­gu­la a di­nâ­mi­ca e fun­ci­o­na­men­to do ór­gão le­gis­la­ti­vo. Em re­la­ção à men­sa­gem so­bre o es­ta­do da Na­ção, a CA­SA-CE es­pe­ra que o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca fa­le so­bre a po­bre­za, as de­mo­li­ções e a dí­vi­da do país, no­me­a­da­men­te so­bre o quan­to de­ve­mos à Chi­na e outros paí­ses.

PRS ex­pec­tan­te

O pre­si­den­te do gru­po par­la­men­tar do PRS, Be­ne­di­to Da­ni­el, con­si­de­rou que a ex­pec­ta­ti­va re­la­ti­va­men­te à men­sa­gem so­bre o es­ta­do da Na­ção é gran­de, por­que 2017 é o ano das elei­ções e ain­da há mui­to tra­ba­lho a fa­zer a ní­vel do Par­la­men­to. O de­pu­ta­do de­fen­deu que as leis que fa­zem par­te do pa­co­te elei­to­ral de­vem ser ade­qua­das à Cons­ti­tui­ção da Re­pú­bli­ca.

O de­pu­ta­do do PRS en­ten­de que o mai­or de­sa­fio do Par­la­men­to co­lo­ca­se ao pa­co­te le­gis­la­ti­vo au­tár­qui­co. “O de­sa­fio foi lan­ça­do em 2014 pe­lo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca e até ao mo­men­to a As­sem­bleia Na­ci­o­nal não con­se­gue cum­prir ca­bal­men­te es­ta ta­re­fa, ape­sar de cons­tar no Pla­no de Ta­re­fas pa­ra as elei­ções ge­rais e au­tár­qui­cas”, dis­se.

Be­ne­di­to Da­ni­el acre­di­ta que a As­sem­bleia Na­ci­o­nal vai em­pe­nhar-se no sen­ti­do de se apro­var o pa­co­te le­gis­la­ti­vo pa­ra que em 2018 acon­te­çam as elei­ções au­tár­qui­cas.

O de­pu­ta­do es­pe­ra que Pre­si­den­te Jo­sé Eduardo dos San­tos fa­ça um ba­lan­ço so­bre o man­da­to que ter­mi­na, pois os an­go­la­nos pre­ci­sam de sa­ber se as pro­mes­sas fei­tas fo­ram cum­pri­das. “Pre­ci­sa­mos de ou­vir as po­lí­ti­cas a cur­to pra­zo. O que es­tá a ser fei­to pa­ra se ga­ran­tir que a clas­se mé­dia não de­sa­pa­re­ça”, dis­se.

FNLA afi­na es­tra­té­gi­as

O de­pu­ta­do da FNLA Lu­cas Ngon­da en­ten­de que uma das pri­o­ri­da­des do seu par­ti­do se­rá a pre­pa­ra­ção pa­ra as pró­xi­mas elei­ções. “Gran­de par­te do tem­po va­mos pas­sar a afi­nar as nos­sas es­tra­té­gi­as pa­ra as pró­xi­mas elei­ções”, dis­se Lu­cas Ngon­da, sa­li­en­tan­do que os de­pu­ta­dos de­vem de­fen­der os in­te­res­ses ge­rais e de­pois os par­ti­dá­ri­os.

O tam­bém pre­si­den­te da FNLA dis­se que os par­la­men­ta­res têm ain­da a mis­são de pa­ci­fi­car os es­pí­ri­tos e o Par­la­men­to de­ve ser­vir de exem­plo. Tal co­mo outros lí­de­res dos gru­pos par­la­men­ta­res, Lu­cas Ngon­da tam­bém fa­lou da ex­pec­ta­ti­va do dis­cur­so so­bre o es­ta­do da Na­ção e en­ten­de que é o mo­men­to do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, en­quan­to Che­fe do Exe­cu­ti­vo, fa­lar dos vá­ri­os pro­ble­mas li­ga­dos à cri­se eco­nó­mi­ca e fi­nan­cei­ra e apon­tar as so­lu­ções pa­ra a saí­da da mes­ma.

De acor­do com o pro­gra­ma, o Pre­si­den­te Jo­sé Eduardo dos San­tos é re­ce­bi­do com hon­ras mi­li­ta­res e com cum­pri­men­tos de bo­as-vin­das, pe­lo Pre­si­den­te da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, Fer­nan­do da Piedade Di­as dos San­tos, e de­pu­ta­dos. A men­sa­gem so­bre o es­ta­do da Na­ção é an­te­ce­di­da por um dis­cur­so de bo­as-vin­das de Fer­nan­do da Piedade Di­as dos San­tos.

A ses­são de aber­tu­ra do no­vo ano par­la­men­tar con­ta com a pre­sen­ça de mem­bros do Exe­cu­ti­vo, pre­si­den­tes dos tri­bu­nais su­pe­ri­o­res, lí­de­res de par­ti­dos po­lí­ti­cos com as­sen­to par­la­men­tar, au­to­ri­da­des tra­di­ci­o­nais e re­li­gi­o­sas, re­pre­sen­tan­tes de or­ga­nis­mos da so­ci­e­da­de ci­vil e mem­bros do cor­po di­plo­má­ti­co acre­di­ta­dos em An­go­la.

Nos ter­mos do Re­gi­men­to In­ter­no da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, a le­gis­la­tu­ra com­pre­en­de cin­co ses­sões le­gis­la­ti­vas ou anos par­la­men­ta­res. Ca­da ses­são co­me­ça a 15 de Ou­tu­bro e ter­mi­na a 15 de Agos­to do ano se­guin­te.

FRAN­CIS­CO BERNARDO

SAN­TOS PE­DRO

Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca vai ama­nhã à se­de da As­sem­bleia Na­ci­o­nal pa­ra pro­fe­rir o dis­cur­so so­bre o es­ta­do da Na­ção na aber­tu­ra do ano le­gis­la­ti­vo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.