Equi­pas pro­mo­vi­das de­fi­nem objectivo

Jornal de Angola - - DESPORTO - AN­TÓ­NIO DE BRITO |

O San­ta Ri­ta de Cás­sia do Uí­ge, JGM do Hu­am­bo e FC Bra­vos do Mo­xi­co tra­ba­lham pa­ra a me­lho­ria da qua­li­da­de dos plan­téis, com a fi­na­li­da­de de ga­ran­tir a per­ma­nên­cia no Cam­pe­o­na­to Na­ci­o­nal de Fu­te­bol da I Di­vi­são,Girabola Zap, da­do que na alta com­pe­ti­ção a exi­gên­cia é mai­or, com­pa­ra­ti­va­men­te ao Zo­nal de Apu­ra­men­to.

Com ape­nas dois anos de exis­tên­cia, o San­ta Ri­ta de Cás­sia ga­nhou na pre­sen­te tem­po­ra­da fu­te­bo­lís­ti­ca tu­do que ha­via pa­ra ga­nhar, o Cam­pe­o­na­to Pro­vin­ci­al, Sé­rie A do Zo­nal de Apu­ra­men­to e o tí­tu­lo Na­ci­o­nal da II Di­vi­são.

Em de­cla­ra­ções ao Jor­nal de An­go­la, Paulo Sa­rai­va, trei­na­dor da for­ma­ção do Uí­ge, des­ta­cou o tra­ba­lho re­a­li­za­do e o es­pí­ri­to de equi­pa, que cul­mi­nou com as três con­quis­tas.

“Ven­ce­mos com to­do o mé­ri­to. Os meus jo­ga­do­res fo­ram bri­o­sos”, elo­gi­ou o trei­na­dor, su­bli­nhan­do que vai re­for­çar os três sec­to­res, pa­ra ga­ran­tir a ma­nu­ten­ção da equi­pa no cam­pe­o­na­to: “O ata­que ga­nha os jo­gos e a de­fe­sa os cam­pe­o­na­tos. Se es­ti­ver­mos bem, va­mos cau­sar mui­tas sur­pre­sas”.

Em dois anos, Paulo Sa­rai­va co­lo­ca a se­gun­da equi­pa no Girabola, de­pois do Do­mant de Bu­la Atum­ba do Ben­go. Em 2013 e 2014, o ti­mo­nei­ro angolano ori­en­tou o Atlé­ti­co do Na­mi­be e 1º de Maio de Ben­gue­la, na I Di­vi­são.

O JGM do Hu­am­bo quer evi­tar a des­pro­mo­ção na mai­or pro­va fu­te­bo­lís­ti­ca na­ci­o­nal. A for­ma­ção do Pla­nal­to Cen­tral vê nos mi­li­ta­res do Rio Se­co a so­lu­ção pa­ra ter su­ces­so no Girabola ZAP. “Va­mos re­for­çar o plan­tel com al­guns jo­ga­do­res do 1º de Agos­to. Re­ce­be­mos ga­ran­ti­as do ge­ne­ral Car­los Hen­drick. O 1º de Agos­to es­tá a re­a­li­zar um ex­ce­len­te tra­ba­lho nos es­ca­lões de for­ma­ção. Mui­tos jo­ga­do­res aca­bam por não ter es­pa­ço na equi­pa prin­ci­pal. O en­con­tro foi bas­tan­te pro­vei­to­so. Fi­cá­mos fe­li­zes com a re­cep­ção”, des­ta­cou o pre­si­den­te do JGM, Jor­ge Man­gri­nha.

A se­guir ao en­con­tro com o pre­si­den­te do clu­be mi­li­tar, Jor­ge Man­gri­nha vi­si­tou no sá­ba­do a Aca­de­mia Des­por­ti­va e al­mo­çou com os jo­ga­do­res do In­ter­na­to 4 de Abril. O pre­si­den­te do JGM do Hu­am­bo diz que pre­ten­de man­ter uma par­ce­ria es­tra­té­gi­ca com a for­ma­ção mi­li­tar, por ser um dos mai­o­res clu­bes do país, que es­tá a er­guer uma im­po­nen­te obra pa­ra or­gu­lhar o país.

En­tre as três for­ma­ções, o FC Bra­vos do Ma­quis tem so­bre os om­bros uma vasta ex­pe­ri­ên­cia, na sua no­na par­ti­ci­pa­ção no con­ví­vio dos gran­des clu­bes. San­ta Ri­ta e JGM são es­tre­an­tes.

Abor­da­do so­bre o re­for­ço do plan­tel, o téc­ni­co João Pin­tar re­fe­riu que não vai me­xer mui­to na equi­pa, por­que o gru­po é qua­se o mes­mo da épo­ca pas­sa­da, ape­sar da saí­da de oi­to jo­ga­do­res. “Em equi­pa que ga­nha não se me­xe.Va­mos man­ter a es­pi­nha dor­sal pa­ra dar cor­po aos nos­sos ob­jec­ti­vos”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.