Apoio da Chi­na aos agri­cul­to­res

Jornal de Angola - - PARTADA - JOSÍNA DE CAR­VA­LHO |

O sector da Agri­cul­tu­ra vai be­ne­fi­ci­ar de dez mi­lhões de dó­la­res da Chi­na, des­ti­na­dos à cons­tru­ção do Cen­tro de De­mons­tra­ção de Tec­no­lo­gi­as Agrí­co­las em An­go­la. O acor­do pa­ra a cons­tru­ção da in­fra­es­tru­tu­ra, a par­tir do pró­xi­mo mês de De­zem­bro, na Es­ta­ção Ex­pe­ri­men­tal de Ma­zo­zo do Ins­ti­tu­to de Investigação Agro­nó­mi­ca, no mu­ni­cí­pio de Ico­lo e Ben­go, foi as­si­na­do pe­la di­rec­to­ra do Ga­bi­ne­te de In­ter­câm­bio do Ministério da Agri­cul­tu­ra, Olin­da So­bri­nho.

O sector da Agri­cul­tu­ra vai be­ne­fi­ci­ar de 10 mi­lhões de dó­la­res da Chi­na, des­ti­na­dos à cons­tru­ção do Cen­tro de De­mons­tra­ção de Tec­no­lo­gi­as Agrí­co­las em An­go­la.

O acor­do que vai per­mi­tir a cons­tru­ção da in­fra-es­tru­tu­ra, a par­tir do pró­xi­mo mês de De­zem­bro, na Es­ta­ção Ex­pe­ri­men­tal de Ma­zo­zo do Ins­ti­tu­to de Investigação Agro­nó­mi­ca, lo­ca­li­za­do no mu­ni­cí­pio de Ico­lo e Ben­go, foi as­si­na­do na se­gun­da­fei­ra, em Lu­an­da, pe­la di­rec­to­ra do Ga­bi­ne­te de In­ter­câm­bio do Ministério da Agri­cul­tu­ra, Olin­da So­bri­nho, e pe­lo con­se­lhei­ro da Em­bai­xa­da da Chi­na em An­go­la, Li Yong Iun, na pre­sen­ça do mi­nis­tro da Agri­cul­tu­ra, Mar­cos Nhun­ga, do se­cre­tá­rio de Es­ta­do, Ama­ro Ta­ti, do em­bai­xa­dor da Chi­na, Cui Ai Min, e de vá­ri­os res­pon­sá­veis do sector.

Ava­li­a­do em mais de dez mi­lhões de dó­la­res, o em­pre­en­di­men­to vai ocu­par uma área de 54 hec­ta­res, ter es­cri­tó­ri­os, alo­ja­men­tos, zo­nas de pro­du­ção e trans­for­ma­ção de pro­du­tos, de de­mons­tra­ção de cul­ti­vo e de cri­a­ção ani­mal, e equi­pa­men­tos pa­ra a investigação. O se­cre­tá­rio de Es­ta­do da Agri­cul­tu­ra, Ama­ro Ta­ti, dis­se que as no­vas tec­no­lo­gi­as, a investigação e re­cur­sos hu­ma­nos qua­li­fi­ca­dos são im­por­tan­tes pi­la­res do de­sen­vol­vi­men­to agrí­co­la, sem os quais não é pos­sí­vel pra­ti­car a agri­cul­tu­ra. “A Agri­cul­tu­ra é ci­ên­cia e tam­bém pre­ci­sa de tec­no­lo­gia. Por is­so, agra­de­ce­mos o apoio do go­ver­no chi­nês, que vem com­ple­tar uma im­por­tan­te ins­ti­tui­ção no nos­so país, que é o Ins­ti­tu­to de Investigação Agro­nó­mi­ca de An­go­la”, su­bli­nhou.

O em­bai­xa­dor da Chi­na con­si­de­rou o acor­do um im­por­tan­te ins­tru­men­to de co­o­pe­ra­ção agrí­co­la a lon­go pra­zo en­tre os dois paí­ses, na me­di­da em que pre­vê igual­men­te a for­ma­ção de re­cur­sos hu­ma­nos, na pro­vín­cia do Hu­am­bo, e ac­ções que vão pro­mo­ver a in­dus­tri­a­li­za­ção do sector e di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia an­go­la­na.

No âm­bi­to da co­o­pe­ra­ção bi­la­te­ral, Cui Ai Min deu a co­nhe­cer que se re­a­li­za nos di­as 8 e 9 do pró­xi­mo mês, em Lu­an­da, um fó­rum de in­ves­ti­men­to en­tre em­pre­sá­ri­os dos dois paí­ses. Es­te even­to, adi­an­tou, te­rá a par­ti­ci­pa­ção do Ministério do Comércio e de mais de 200 em­pre­sá­ri­os do seu país, e abor­da­gens so­bre a co­o­pe­ra­ção agrí­co­la. “As po­ten­ci­a­li­da­des agrí­co­las an­go­la­nas são imen­sas. Por is­so, es­te país tem con­di­ções fa­vo­rá­veis pa­ra o seu de­sen­vol­vi­men­to”, dis­se o em­bai­xa­dor, ga­ran­tin­do que a Chi­na vai dar apoio pa­ra o êxi­to da co­o­pe­ra­ção nes­te do­mí­nio.

O Go­ver­no da Chi­na vai ofe­re­cer dois mil mi­lhões de ie­nes aos paí­ses de lín­gua por­tu­gue­sa de Áfri­ca e Ásia pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to da pro­du­ção agrí­co­la e in­dus­tri­al, bem co­mo 2.500 bol­sas de es­tu­do pa­ra jo­vens des­tes paí­ses, se­gun­do o con­se­lhei­ro da Em­bai­xa­da da Chi­na em An­go­la, Li Yong Iun. Es­tas ofer­tas, in­for­mou, são ape­nas al­gu­mas de um pa­co­te de mais de 18, que o go­ver­no chi­nês anun­ci­ou re­cen­te­men­te na Con­fe­rên­cia Mi­nis­te­ri­al do Fó­rum de Ma­cau en­tre a Chi­na e os paí­ses de lín­gua por­tu­gue­sa.

Na se­ma­na pas­sa­da, a Chi­na con­ce­deu uma aju­da não re­em­bol­sá­vel a An­go­la, no va­lor de cem mi­lhões de yu­ans, co­mo par­te de um mon­tan­te glo­bal so­li­ci­ta­do pe­las au­to­ri­da­des an­go­la­nas, des­ti­na­do a im­ple­men­tar um pro­jec­to do Cen­tro In­te­gra­do de For­ma­ção e Tec­no­lo­gia (Cin­fo­tec) e ou­tro do pro­jec­to de ma­nu­ten­ção téc­ni­ca do Hos­pi­tal Pro­vin­ci­al de Lu­an­da.

No âm­bi­to do “Acor­do de co­o­pe­ra­ção eco­nó­mi­ca e téc­ni­ca en­tre o Go­ver­no da Re­pú­bli­ca Po­pu­lar da Chi­na e o Go­ver­no da Re­pú­bli­ca de An­go­la”, os ban­cos de De­sen­vol­vi­men­to da Chi­na e o Na­ci­o­nal de An­go­la de­vem abrir um li­vro em no­me das res­pec­ti­vas par­tes, de­sig­na­do “Aid Ac­count nº 2016/1”, em ren­min­bi, a di­vi­sa chi­ne­sa, e sem ju­ros, pa­ra o re­gis­to e in­for­ma­ção de to­dos os pa­ga­men­tos re­fe­ren­tes às des­pe­sas re­sul­tan­tes da doação, de acor­do com os pro­ce­di­men­tos das ope­ra­ções do Ban­co chi­nês.

AA­gên­cia pa­ra a Pro­mo­ção de In­ves­ti­men­to e Ex­por­ta­ções (APIEX) re­a­li­za, a par­tir de ho­je, em Lu­an­da, a pri­mei­ra con­fe­rên­cia que vi­sa au­men­tar a com­pre­en­são so­bre a im­por­tân­cia das ex­por­ta­ções en­quan­to veí­cu­lo de equi­lí­brio da ba­lan­ça de pa­ga­men­tos e meio pa­ra a cap­ta­ção de di­vi­sas pa­ra o país.

De acor­do com a or­ga­ni­za­ção, o even­to cons­ti­tui um ac­to de in­cen­ti­vo à pro­du­ção na­ci­o­nal e in­te­gra­ção re­gi­o­nal, bem co­mo de mo­bi­li­za­ção dos de­ci­so­res, vin­cu­lar a clas­se em­pre­sa­ri­al ao pro­ces­so de ex­por­ta­ção e pro­mo­ver o de­ba­te en­tre am­bos; par­ti­lha de ex­pe­ri­ên­ci­as, apre­sen­ta­ção dos prin­ci­pais cons­tran­gi­men­tos en­con­tra­dos pe­los ex­por­ta­do­res e me­ca­nis­mos de apoio e in­cen­ti­vo às ex­por­ta­ções. Ho­je, pri­mei­ro dia do fó­rum com tér­mi­no pre­vis­to pa­ra ama­nhã, os par­ti­ci­pan­tes re­a­li­zam vi­si­tas a em­pre­sas de va­ri­a­dos sec­to­res, se­pa­ra­dos em qua­tro gru­pos che­fi­a­dos por se­cre­tá­ri­os de Es­ta­do e ad­mi­nis­tra­do­res da APIEX.

A con­fe­rên­cia con­ta com a par­ti­ci­pa­ção de mem­bros dos dis­tin­tos ór­gãos do Exe­cu­ti­vo, ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras, in­ves­ti­do­res pri­va­dos, po­ten­ci­ais e ac­tu­ais ex­por­ta­do­res, bem co­mo de as­so­ci­a­ções em­pre­sa­ri­ais se­di­a­das no país. Sob o le­ma “Ex­por­tar pa­ra di­ver­si­fi­car a eco­no­mia”, a con­fe­rên­cia vai abor­dar “A im­por­tân­cia da ex­por­ta­ção en­quan­to meio de cap­ta­ção de re­cur­sos cam­bi­ais pa­ra o sis­te­ma fi­nan­cei­ro, “A im­por­tân­cia dos mer­ca­dos in­ter­na­ci­o­nais”, “As po­lí­ti­cas dos ban­cos afri­ca­nos” e “A im­ple­men­ta­ção do AGOA”, en­tre ou­tros.

O ad­mi­nis­tra­dor da APIEX pre­ci­sou que o fó­rum pre­ten­de mo­bi­li­zar os de­ci­so­res, vin­cu­lar a clas­se em­pre­sa­ri­al ao pro­ces­so de ex­por­ta­ção, pro­mo­ver o au­men­to das ex­por­ta­ções e de in­ves­ti­men­to di­rec­to es­tran­gei­ro no país e con­tri­buir pa­ra a com­pe­ti­ti­vi­da­de das em­pre­sas na­ci­o­nais, atra­vés da sua in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção.

Lopes Paulo re­ve­lou que a APIEX no­tou que o pro­ces­so de ex­por­ta­ção em An­go­la ain­da apre­sen­ta cons­tran­gi­men­tos quer de ín­do­le téc­ni­ca, quer bu­ro­crá­ti­ca, ci­tan­do co­mo exem­plo o fac­to de os con­ten­to­res de­mo­ra­rem en­tre 20 e 50 di­as pa­ra dei­xa­rem o país, até ob­te­rem uma au­to­ri­za­ção ad­mi­nis­tra­ti­va.

Uma das ques­tões a ser de­ba­ti­da no en­con­tro as­sen­ta na ne­ces­si­da­de do in­cre­men­to da pro­du­ção na­ci­o­nal pa­ra subs­ti­tuir as im­por­ta­ções e au­men­tar as ex­por­ta­ções, cap­tar di­vi­sas pa­ra o país e re­du­zir a pres­são so­bre o sector fi­nan­cei­ro e as re­cei­tas do pe­tró­leo.

“Pa­ra atin­gir os ob­jec­ti­vos pre­co­ni­za­dos, é im­por­tan­te que o sector pri­va­do participe ac­ti­va­men­te na pro­du­ção, no comércio in­ter­no e ex­ter­no e ser­vi­ços”, dis­se.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.